A História de Daniel - Capítulo 1

Conselheiros do Rei

Seria o verão de 605 AC em seu calendário quando tudo desmoronou para o meu povo. Eu tinha 13 anos de idade e era um Príncipe Real de Judá. Por 150 anos o Senhor tinha estado nos ameçando com juízos se não parássemos de ofendê-Lo com nosso comportamento pagão, usando até mesmo a derrota e captura de nossos primos, as 10 tribos de Israel, para demonstrar o que aconteceria a nós. Lembrem-se, depois da morte do Rei Salomão 300 anos antes, uma guerra civil nos separou em duas nações, Israel no norte e Judá no sul.

Primeiro o Senhor fez Isaías advertir meu tio-avô Ezequias sobre Babilônia (vocês a chamam de Iraque) quando ele era o Rei de Judá (Isaías 39) e tem falado através de todos os profetas desde então que está ficando sem paciência conosco. Mas como os humanos por todas as eras, nós não acreditamos que Ele realmente iria chegar até o fim. Esse foi um grande erro. (Antes de escarnecerem demais de nós, lembrem-se que ele tem avisado você por 2000 anos!)

Para lhes dar uma pequena introduçao, Nabopolozor era o Rei de Babilônia e seu filho de 20 anos, Nabucodonozor, era o general de seu exército quando as forças Babilônicas derrotaram o Faraó Neco do Egito na Batalha de Carsemis em 606 AC. Tendo anteriormente conquistado a Assíria, os Babilônicos eram agora praticamente governantes do mundo conhecido, e relembrando as histórias que crescera ouvindo sobre as lendárias riquesas de Israel, Nabucodozor decidiu atacar Jerusalém em seu caminho de volta para casa. (Ele não sabia disso então, mas estava sendo usado por Deus como instrumento do juízo contra nós.)

Esta foi a primeira de três batalhas que pelos próximos 19 anos iriam causar a destruição total de Jerusalém. No processo, o glorioso Templo de Salomão seria totalmente queimado e a riquesa de Judá e todos os seus sobreviventes seriam levados para Babilônia para 70 anos de servidão, deixando Jerusalém um desolado monte de ruínas. Parece que por 490 anos nós ignoramos o mandamento do SENHOR para deixar nossa terra descansar por um ano de cada sete. Isso era chamado de Sábado da terra e estava descrito em Levíticos 25.1-7. Nossa derrota para a Babilônia foi a punição do SENHOR por nossa adoração a falsos deuses, sendo a extensão de nossa servidão determinada pelos 70 anos sabáticos que não observamos. E assim "para que se cumprisse a palavra do Senhor, pela boca de Jeremias, até que a terra se agradasse dos seus sábados; todos os dias da assolação repousou, até que os setenta anos se cumpriram" (2 Crônicas 36.21). Como eu disse, os profetas haviam previsto todas essas coisas, mas eu estou me adiantando.

Para evitar nossa derrota total e tentar escapar debaixo do juizo do SENHOR, os Líderes de Judá penhoraram sua lealdade a Babilônia. Eles também concordaram em pagar um enorme tributo anual a Nabucodonosor, que recentemente ficara sabendo da morte de seu pai e era agora o Rei de Babilônia. Como demonstração de boa fé, meu tio Jeoiaquim concordou em permitir que Nabucodonosor levasse vários Príncipes Reais e outros nobre para Babilônia como reféns. Eu fui um dos escolhidos para ir, e entre os demais estavam meus três melhores amigos , Ananias, Misael e Azarias (Nabucodonosor trocou seus nomes para Sadraque, Mesaque e Abedenego, e esses são os nomes pelos quais são conhecidos hoje. Meu novo nome, Beltessazar, nunca pegou de verdade).

Mais tarde eu fiquei sabendo que Ezequiel, apesar de ser Levita, também havia sido levado e documentaria a derrota de Judá a partir de Babilônia enquanto Jeremias foi deixado para dar um testemunho ocular a partir de Jerusalém.

Em Babilônia, nós nos juntamos aos melhores dos outros reféns para um programa de treinamento de três anos desenhado para nos ensinar a lingua e a cultura dos Babilônicos e nos preparar para o serviço do Rei. Foram-nos oferecidos alimentos e bebidas da cozinha particular do Rei, mas, como não era Kosher, nós quatro declinamos, pedindo vegetais e água no lugar. Isso criou um grande problema para o homem encarregado e poderia fazer com que fosse demitido e até morto, mas ele concordou em nos dar um período de 10 dias de experiência e então nos comparar com os outros que estavam comendo a comida do Rei e bebendo seu vinho.

Não era tanto porque a comida do Rei era tão ruim, mas porque o SENHOR estava honrando nossa obediência aos Seus mandamentos que, no final dos 10 dias, nós pareciamos mais saldáveis e melhor nutridos do que os outros. Então eles nos permitiram permanecer em nossa dieta, e o SENHOR nos concedeu conhecimento e entendimento sobrenatural, me concedendo até mesmo o poder de interpretar sonhos e visões. Isto em breve viria bem a calhar.

Quando o nosso treinamento estava completo, fomos examinados minuciosamente pelo Rei e devemos ter sido aprovados com louvor, pois ele nos indicou para seu grupo de conselheiros. Imagine, três adolescentes Judeus como conselheiros do regente do mundo conhecido. Mas como o próprio Rei tinha somente seus vinte e poucos anos de idade, e como ele não confiava nos conselheiros que tinha herdado de seu pai, tanto que poderia derrubá-los, isso fez algum sentido. Talvez tenha sido aí que a frase "Não confie em ninguém com mais de 30" realmente se originou.

É claro que você não durará muito tempo na política sem aprender algumas técnicas de sobrevivência e assim também os demias conselheiros. Apesar de claramente ciumentos por causa de nossa indicação, eles seguiram em frente e começaram a procurar uma oportunidade para se vingar. Isso levaria alguns anos, mas, mesmo depois de literalmente salvarmos seus pescoços, eles revidaram duas vezes e quase nos pegaram.