A História do Apocalipse

Este texto foi traduzido do site www.gracethrufaith.com a partir do texto original de Jack Kelley.

Esta é uma narrativa em primeira pessoa sobre o Livro do Apocalipse, onde o autor escreve como se fosse o próprio João contando como foi receber todas as revelações e explicando cada uma delas de forma simples e direta.

Capítulo 1

Eu estava vivendo na ilha grega de Patmos quando Ele me incumbiu de cuidar do projeto. Hoje Patmos é uma parada turística na rota marítima da Turquia Ocidental para Atenas. Ela é visitada diariamente por navios de cruzeiro e balsas lotados de visitantes que vão lá para dar uma olhada no gigantesco monastério e mais de 300 pequenas capelas, todos com o meu nome. Mas no meu tempo, esta era uma colônia romana, cinco quilômetros quadrados de rochas e desespero, desolação e solidão. Eu estava lá porque não pararia (não poderia parar) de pregar o Evangelho. As autoridades haviam tentado de todas as formas me calar, mas nenhuma delas funcionou. Então eles finalmente me mandaram para Patmos onde eu não poderia falar com ninguém, ou assim eles pensavam.

Eu ouvi Sua voz antes de vê-Lo, e quando me virei eu caí com a face no chão aos Seus pés, sabendo que era o Senhor. Pense em estar com medo. Antes, Ele havia sido mais parecido com um dos rapazes, mas agora Ele era o Rei do Universo. Pela forma como se apresentou (como se precisasse) eu soube que não era uma passada casual, mas uma visita oficial. Algo grandioso estava a caminho.

Apesar de já se terem passado 50 anos desde a última vez que O vim, Ele não perdeu tempo com bate-papo, mas me instruiu imediatamente a escrever uma carta de três partes, um livro na verdade, e enviá-la para as sete igrejas que Ele me indicou. As três partes eram:

  1. as coisas que foram (Seu tempo na terra antes de a Igreja nascer),
  2. as coisas que eram então (a era da igreja representada pelas sete congregações indicadas), e
  3. as coisas que iriam acontecer após a era da igreja (a grande tribulação, Sua 2ª Vinda, e Seu Reino de 1000 anos).

Capítulos 2-3

Ele então se lançou direto em um monólogo sobre essas sete igrejas. Logo ficou óbvio que Ele as havia escolhido cuidadosamente por causa de sua natureza, e na ordem em que as colocou, elas se tornaram uma crônica do que se tornou a história da igreja. Ela começaria pequena e fiel, mas em breve cresceria em uma organização formal em perigo de se esquecer de seu propósito original, adorá-Lo (Éfeso). Seu crescimento amedrontaria os governos do mundo que tentariam suprimi-la até o fim (Esmirna). Falhando nesse intento, eles a abraçariam e mudariam de dentro para fora em um poderoso governo em e por si só, mais sintonizada com o modo do mundo do que com o dEle (Pérgamo). Perto do fim de seu tempo, a igreja se dividiria em quatro componentes: Católica (Tiatira), Protestante (Sardes), Evangélica (Filadélfia) e Liberal / Nova Era (Laodicéia ). Essas quatro existiriam lado a lado até o arrebatamento, quando Ele removeria os fiéis para Ele do meio delas, trazendo um fim à Era da Igreja e deixando o restante para suportar os julgamentos do tempo do fim.

Capítulo 4

E então algo aconteceu que literalmente me desmontou. Eu olhei para cima e vi essa porta no céu que estava aberta, e ouvi a Sua voz novamente, me mandando “Suba aqui!” Num momento eu voei através do tempo e do espaço, pousando num piscar de olhos diante do Trono de Deus, no final dos tempos. Não há como descrever como me senti, num minuto eu estava do lado de fora de minha caverna no 1º século e no instante seguinte estava de pé no céu, no século 21. Mas aparentemente eu estava participando do Arrebatamento da Igreja, exatamente como Ele havia prometido à igreja de Filadélfia. Havia milhões de nós lá; cantando louvores a Deus junto com toda a hoste celestial. Nós recebemos coroas que conquistamos no tempo em que estivemos na terra e imediatamente as devolvemos a Ele que nos havia capacitado a fazer as coisas pelas quais estávamos sendo recompensados.

Capítulo 5

Eu olhei para o Trono do Todo Poderoso e O vi assentado segurando um documento que era nada menos do que o título de posse do planeta terra. Ele estava selado com sete selos. Eu soluçava convulsivamente à medida que sentia a dor que Deus sente ao ver Sua criação em terrível escravidão, e ao sentir que nenhum mero humano e nem mesmo toda a hoste angelical poderia livrá-la. Mas então eu vi meu Senhor Jesus novamente, ainda trazendo as horríveis cicatrizes da crucificação, e soube que somente Ele poderia livrar a terra e restaurar a criação de Deus a Ele. Com Sua morte sacrifical Ele pagou o resgate por ela juntamente com o seu e o meu.

Quando Ele pegou o título de posse das mãos de Seu Pai, nós todos reconhecemos que o tempo havia chegado a final para começar a série de juízos que livrariam o mundo do mal, restaurariam a criação ao seu Criador e introduziriam Seu reino de mil anos de paz na terra. Nós exultamos e gritamos e cantamos até o próprio céu tremer.

Mas aquele que havia roubado a criação não estava disposto a largá-la sem lutar, e incrivelmente ele havia conseguido o apoio de forças bastante poderosas, tanto naturais quanto sobrenaturais. A maior, mais horrenda guerra da história estava se desenrolando e eu recebi a aparentemente impossível tarefa de escrever o relato testemunhal.

Eu não sei se você consegue imaginar quão grande era essa tarefa. Eu não sou nenhum tolo, mas era um homem do 1º século, com um vocabulário do 1º século e estava prestes a descrever coisas das quais não se havia ouvido nem no começo do século 20. Além do mais, todos os milhões de pessoas que leriam esse relato entre o tempo em que o escrevi e o tempo em que os eventos realmente aconteceriam, teriam de ser capazes de entendê-lo. Felizmente eu tive certa ajuda sobrenatural também. Primeiro, o Espírito Santo me guiou a escrever parte desse relato como se fosse uma visão rica em simbolismos. E em segundo lugar, dos 404 versos em meu livro, 278 deles são na verdade citações diretas do Antigo Testamento para ajudar meus leitores a manterem as coisas em seu contexto apropriado e explicar os simbolismos. (É claro que isso presume que você conheça seu Antigo Testamento).

Capítulo 6

Agora, como eu disse, o título de posse do planeta terra estava selado com sete selos e, à medida que o Senhor os abria, o Espírito Santo me dava visões dos juízos sendo liberados na terra. Os primeiros quatro selos foram simbolizados por cavalos e cavaleiros. No primeiro um cavalo branco apareceu montado por alguém que vinha como conquistador para conquistar. Ele tenta se parecer com o Cristo, mas uma inspeção cuidadosa revela que é um impostor, o anticristo. Para início de conversa, ele está usando a coroa errada. É uma coroa de um vitorioso, não a de um rei. Como tinha um arco e nenhuma flecha, ele não estava pronto para a guerra ainda, mais isso mudaria em breve.

O Segundo cavalo era vermelho ardente e simbolizava a Guerra. Ele foi seguido, como ocorre frequentemente após o início de uma guerra, por um cavalo negro simbolizando a fome. A maioria das pessoas teria agora que trabalhar a maior parte do dia só para comprar uma fatia de pão, mas os ricos ainda não seriam afetados.

O quarto cavalo era de cor amarela e simbolizava a morte que segue a guerra e a fome. De fato, mais de 1/4 da população da terra (cerca de 1,5 bilhões de pessoas) morrerão nessa série de juízos.

Quando Ele quebrou o 5º selo, eu vi todos aqueles que haviam sido martirizados por sua fé. Eles clamavam a Deus por vingança, mas Ele lhes disse para terem paciência, pois ainda outros morreriam para se juntar a eles.

Ver todas as pessoas que haviam sido e ainda seriam assassinadas simplesmente por acreditar em seu Criador deve ter irritado a Deus, porque quando o 6º selo foi aberto, Ele desencadeou um terremoto colossal na terra. Fumaça e poeira subiram ao céu até que o sol e a lua foram ocultados. As montanhas e as ilhas tremeram pela força do terremoto, toda a humanidade fugiu para se proteger, escondendo-se em cavernas entre as rochas, sabendo que a ira de Deus estava atrás deles.

Capítulo 7

Como mesmo na ira Deus se lembra da misericórdia, Ele deu uma pausa para comissionar 144.000 judeus, 12.000 de cada uma das 12 tribos de Israel, para sair em meio do povo da terra e uma vez mais espalhar o Evangelho em toda nação e toda língua. E então todos os que não se haviam tornado crentes até depois do arrebatamento, mas que tinham morrido em fé durante essa série de juízos, chegaram ao céu vestidos de branco e carregando folhas de palmeira. Eles se postaram diante do Trono de Deus e O louvaram dizendo, “A salvação pertence ao nosso Deus e ao Cordeiro!” Imediatamente toda a hoste celestial se juntou a eles na adoração a Deus. Esses Santos da Tribulação receberam uma honra especial de servir a Deus em Seu Templo, nunca mais sentir fome ou sede ou sentir qualquer desconforto, pois o Cordeiro de Deus se tornara seu Pastor.

A primeira série de juízos causou assombrosa devastação na terra, mas também trouxe muitos milhões de novos crentes para uma união eterna com seu Criador. Antes que esse período de sete anos acabe, mais pessoas chegarão à fé do que em a anterior história do homem. Mas esse é também o tempo quando a total extensão da depravação não regenerado do homem ficará clara. O meio termo desaparecerá completamente quando as pessoas da terra encararem o tempo mais perigoso de todos.

Capítulo 8

Quando o Senhor abriu o 7º e ultimo selo do título de posse do planeta terra, houve silêncio no céu por quase meia hora. Os primeiros seis causaram tanta devastação na terra que aposto que quase todo mundo no céu estava prendendo o fôlego para ver o que o 7º selo traria. Eu sei que eu estava.

Eu olhei para cima e vi sete anjos de pé diante de Deus. A cada um foi dada uma longa trombeta, do tipo que um arauto usaria na terra para anunciar a chegada de um dignitário ou evento importante. E outro anjo apareceu com um incensário de ouro cheio de incenso representando as orações de todos os santos, que ele colocou no altar de ouro diante do Trono. Quando a fumaça do incenso subiu diante de Deus, o anjo usou o incensário para recolher fogo do altar e o lançou sobre a terra. Imediatamente houve trovões, relâmpagos e outro terremoto. Mais juízos estavam vindo, piores que os que acabaram de passar.

Quando o primeiro anjo tocou sua trombeta, uma tempestade de granizo e fogo misturados com sangue caiu sobre a terra queimando 1/3 das árvores e da vegetação. Quando o segundo anjo tocou sua trombeta, um meteoro gigantesco, do tamanho de uma montanha, se chocou com a terra, aterrizando sobre o oceano. A força do impacto tornou o oceano vermelho como sangue e matou 1/3 de todas as criaturas que vivem nele. Mais de 16 mil navios foram destruídos e 500 mil marinheiros morreram pelas tempestades e pelas ondas causadas pelo impacto do meteoro. Ao som da 3ª trombeta, outra estrela ardente chamada Absinto, caiu do céu contaminando 1/3 do suprimento de água potável da terra, causando mais mortes. Quando a 4ª trombeta soou a devastação da chuva de granizo e do impacto dos dois meteoros fez fumaça e poeira subirem para a atmosfera reduzindo a luz do sol, da lua e das estrelas em 1/3 e causando períodos de total escuridão tanto à noite quanto de dia.

Como se as coisas na terra não estivessem ruins o bastante, eu ouvi a voz de um anjo advertindo as pessoas a se prepararem para desastres ainda piores quando as três trombetas restantes fossem tocadas. Algo muito mais ameaçador claramente estava reservado.

Capítulo 9

Quando o 5º anjo soou sua trombeta, eu tive um relance do nosso grande inimigo. Quando eu era um dos primeiros discípulos do Senhor, Ele havia mencionado ver Satanás cair do céu como uma estrela (Lucas 10.18), e agora Satanás estava recebendo a chave do Abismo, ou submundo. Quando ele o destrancou, subiu fumaça com se fosse de uma fornalha gigante, e da fumaça apareceram enxames de insetos horrorosos que à primeira vista pareceram aos meus olhos como gafanhotos. Mas quando os observei mais de perto, eu concluí que deveriam ser algum tipo de manifestação demoníaca. Gafanhotos de verdade são vegetarianos, mas essas coisas não tinham permissão de destruir nenhuma vegetação, nem poderiam atacar o povo de Deus ainda na terra. Mas elas podiam picar aquelas pessoas que não eram sobrenaturalmente protegidas e quando o faziam a dor era inacreditável. O ferrão dessas coisas não era fatal, mas deixava suas vítimas com uma dor insuportável por cinco meses. Acredite em mim, todos desejavam estar mortos.

Aqui foi quando minha experiência do 1º século ficou em desigualdade com a tarefa. Esses gafanhotos não se pareciam com nada que eu tivesse visto,e em todos os séculos desde que eu escrevi esse relato, naco parecido com eles jamais foi visto na terra por ninguém mais. Talvez eles sejam algum tipo de sistema bélico criado com a tecnologia do século 21 e talvez sejam alguma invenção do diabo. Uma coisa é certa, elas vem direto das minas do inferno. Aquele que destrancou o Abismo os controlava. Ele chamava a si mesmo de “O Destruidor”. Incrível compreensão do óbvio esta.

Quando a 6ª trombeta foi tocada, caiu uma barreira invisível na terra. O Rio Eufrates sempre foi uma tradicional fronteira entre o leste e o oeste. Ele começa nas montanhas da Turquia e corre para o sul através da Síria e do Iraque, desembocando no Golfo Pérsico. Cultura, língua, costumes e religião mudam dramaticamente quando se cruza o Eufrates, e por séculos sua largura e profundidade evitaram que exércitos tanto das nações ocidentais quanto das orientais o cruzassem. Mas agora essa barreira, representada por quatro anjos guardiões, estava sendo baixada e um exército gigantesco, 200 milhões de fortes, estava em marcha. Antesque esse exército terminasse, um terço da população remanescente do mundo estaria morta. Essas mortes, somadas às dos juízos anteriores chegariam ao total de quase três bilhões, cerca de 1/2 da população da terra. Mais uma vez, minha experiência era inadequada para a tarefa de descrever a aparência e o armamento desse enorme exército, mas é o suficiente dizer que era uma visão amedrontadora e horrível de se ver.

Você pensaria, com esses gafanhotos demoníacos atacando somente os não crentes e três bilhões de pessoas mortas em guerras e outros desastres, que as pessoas estariam se achegando ao Senhor em busca de conforto e segurança. Mas isso não aconteceu, e eu lhe direi por quê.

Há uma crença por aí que é tão antiga quanto a humanidade, mas nos últimos dias se tornará uma religião que enganará a quase todos. É chamada de Doutrina Luciferiana e entendê-la ajuda a explicar porque o mundo não se voltara para seu Criador nesses piores tempos da história humana. A Doutrina Luciferiana recebe seu nome, é claro, de Lúcifer, um nome latino que se traduz como “portador de luz”, e sustenta que Lúcifer é o cara bonzinho tentando iluminar as pessoas do mundo em preparação para a evolução espiritual necessária para trazer a paz a toda a humanidade. De acordo com a Doutrina Luciferiana, nossa evolução física está terminada e tudo o que precisamos fazer agora e jogar fora as ataduras do pensamento judaico-cristão para completar nossa evolução espiritual e entrar na Era da Utopia. Mas Lúcifer tem sido impedido em tudo isso pelo ímpio Adonai (Senhor em Hebraico) que, juntamente com Seus seguidores, estão lutando para frustrar o grande plano de Lúcifer exigindo que todos adiram à Sua religião reacionária, efetivamente evitando nossa evolução espiritual. A fim de a humanidade alcançar a Utopia, esses que insistem em se agarrar à sua obsoleta fé judaico-cristã devem ser eliminados. A Grande Tribulação é caracterizada na Doutrina Luciferiana como o último grande esforço do ímpio Adonai de destruir o “portador de luz” da humanidade e evitar nossa ascensão à Utopia, nos mantendo presos a Ele.

Em seguida ao desaparecimento da igreja, a Verdade se tornou bastante escassa na terra e o mundo inteiro foi enganado a crer na Doutrina Luciferiana, exatamente como meu amigo Paulo avisou que aconteceria (2 Tes 2.9-12). Então, naturalmente, pensando que o Senhor é o cara mau, eles se tornaram ainda mais intensos em sua adoração a Lúcifer, esperando que ele prevaleça e traga um fim a seu sofrimento. (Há um caminho que ao homem parece direito, mas o seu fim é a morte ... Prov 14.12) Lúcifer, é claro, é também amplamente conhecido com Satanás ou O Diabo.

Capítulo 10

Como fez na abertura do 6º selo, o Senhor deu uma pausa agora após a 6ª trombeta ter soado para dar um vislumbre do que estava para acontecer. Um enorme e poderoso anjo apareceu como se numa visão e plantou seu pé direito sobre o mar e seu pé esquerdo sobre a terra. Isso simbolizava o fato de que o que viria afetaria os destinos de todos os seres vivos do planeta, quer na terra ou no mar, e todos os povos. Quando ele ergueu sua voz aos céus, eu ouvi sete trovões, cada um uma descrição dos julgamentos por vir. Antes que eu pudesse escrever o que havia ouvido, o Senhor ordenou que eu não o fizesse. A informação contida nesses sete trovões deveria ficar em segredo até o tempo determinado.

Então o anjo gigante bradou, “Não haverá mais atraso!” Quando o 7º anjo começar a soar sua trombeta, todas as profecias do tempo do fim finalmente passarão. Então o Senhor me mandou pegar o rolo que o anjo gigante estava segurando, e quando eu o peguei ele me mandou comê-lo. A princípio, o gosto parecia doce como o mel, mas depois de engoli-lo, meu estomago ficou amargo. Isso é para significar que o cumprimento da profecia, quando o Senhor conserta todos os erros cometidos através das eras contra Ele e Seu povo, é esperado com muita excitação e alegria pelo Seu povo. Mas o horror e carnificina da guerra necessária para alcançá-lo é o suficiente para nos deixar doentes.

Em adição aos problemas causados pela limitação da língua e da experiência, e logo percebi que tinha outro desafio ainda maior ao escrever esta história. Ainda que os eventos na terra e os eventos no céu estavam às vezes ocorrendo simultaneamente, Eu somente poderia escrever sobre eles um de cada vez. É meio parecido com o comentarista de futebol tentando descrever as ações de todos os 22 jogadores no campo em um jogo que durou somente 30 segundos. Leva mais tempo para falar sobre ele do que para jogá-lo, então ele tem que “parar o jogo” de tempos em tempos para explicar certas partes dele. Com a visão do anjo gigante nós entramos em um tempo em que inúmeras coisas estão acontecendo de uma vez, algumas na terra e algumas no céu. Como o comentarista de futebol, eu terei que “parar a ação” algumas vezes para descrever o que vi.

Capítulo 11

À medida que o fim dos tempos se aproximava o Senhor Se fez conhecido do Povo de Israel novamente, exatamente como Ezequiel havia predito 2500 anos antes, e em resposta eles haviam construído um templo para adorá-Lo novamente, como faziam nos dias do Antigo Testamento. Foi-me ordenado ir e medir a área do templo mas para deixar de fora o pátio externo, porque ele havia sido profanado por um elemento não judaico cujo intento real era prestar homenagem a um falso messias. Esses gentios estavam forçando sua passagem para dentro da Cidade Santa do Senhor e a profanariam por 42 meses com sua falsa adoração. A Doutrina Luciferiana sobre a qual lhes falei antes, estava se tornando a religião dominante no mundo e a Grande Tribulação de 3 anos e meio logo estaria sobre eles.

Para adverti-los contra essa falsa religião, o Senhor enviou duas testemunhas para pregar o verdadeiro evangelho a Israel. Para ajudar Seu povo a identificar esses dois e dar credibilidade a suas advertências, Ele lhes deu os mesmos poderes sobrenaturais que mostraram durante suas vidas no Antigo Testamento. Como Elias, um tinha o poder de impedir qualquer chuva de cair sobre a terra, e como Moisés, o outro podia converter água em sangue e ferir a terra com todos os tipos de pragas. É claro que os líderes da “nova” religião tentaram silenciá-los, mas o Senhor os protegeu durante todo o seu ministério de 1260 dias. Quando sua missão estava cumprida, Ele permitiu que eles fossem mortos, e para mostrar seu contentamento, o povo deixou-os onde haviam caído nas ruas de Jerusalém e enviaram presentes uns aos outros para celebrar terem finalmente se livrado de seu tormento. Mas, após três dias e meio, eles ouviram a mesma ordem que eu havia recebido antes. “Subam para cá!” o Senhor bradou, e em plena vista do mundo esses dois corpos mortos se levantaram e desapareceram para dentro do céu, cheios de vida. Naquele momento houve um terremoto, parte de Jerusalém foi destruída e milhares foram mortos. Os sobreviventes ficaram aterrorizados e corretamente identificaram a Deus como a fonte do tremor. Ele sempre tem a última palavra, não é mesmo?

Naquele exato momento a 7ª trombeta soou e vozes altas no céu anunciaram, “Os Reinos do mundo se tornaram o Reino do nosso Senhor e do Seu Messias, e Ele reinará para sempre e sempre!” Quando os 24 líderes da igreja cujos tronos cercavam o Trono de Deus adoraram e cantaram louvores a Ele, eu não pude evitar pensar sobre o rolo que havia comido. Ouvir que o tempo havia finalmente chegado para começar o reino do Senhor na terra fez o meu coração se contorcer de alegria, mas saber que toda a fúria da ira de Deus estava para ser liberada sobre Seus inimigos também me encheu com uma sensação de pavor.

Então o verdadeiro Templo de Deus, o que está nos céus, foi aberto e eu vi a Arca do Concerto, símbolo de seus Mandamentos e promessas para o Seu povo. Os relâmpagos, trovões, terremoto e granizo que vieram a seguir advertiam sobre a última e mais aterradora série de juízos que logo desceriam sobre a terra.

Capítulo 12

Agora vem uma daquelas ocasiões de que eu falei quando teremos que “para o jogo”. Para dar-me uma melhor perspectiva e mostrar exatamente quem foi a causa de todo esse horror e devastação, o Senhor me deu uma rápida lição de história na forma de uma visão. Primeiro eu vi uma mulher, representando a raça humana em geral, mas Israel em particular. Ela estava para dar à luz o Messias.

Então eu vi esse enorme dragão vermelho com extraordinário intelecto, poder e autoridade. Ele havia se rebelado contra Deus e convenceu 1/3 da hoste angelical a segui-lo. Ele ficou esperando para destruir o Messias no momento em que nascesse. Mas Deus ressuscitou seu Messias dentre os mortos e o removeu rapidamente para o céu.

A mulher fugiu para o deserto, a um lugar que Deus havia preparado para ela se esconder do dragão durante o tempo de sua grande guerra contra Deus. Essa guerra começou no céu, mas Miguel, General do exército do Senhor, derrotou o dragão e o expulsou do céu, confinando-o e às suas forças na terra.

Então aprendi que o dragão é o diabo, ou Satanás. Desde que enganou Adão e Eva, e ilegalmente ganhou o controle da terra, ele tem estado em guerra com Deus para mantê-lo. Ele tem tentado ganhar o povo da terra para o seu lado enganando-os como fez com Adão e Eva e os anjos. Ele sabia que o Messias estava chegando para tomar a terra de vota e redimir o povo de Deus e é por isso que ele O matou. Mas quando Deus levantou Seu Messias dos mortos, Ele prometeu mandá-Lo de volta para terminar o trabalho. Já que o Messias primeiramente veio à terra através do povo judeu, Satanás ficou determinado a destruí-los todos, para evitar que eles o chamassem de volta novamente. É isso que torna o anti-semitismo o mais brutal de todos os fanatismos. É satânico.

Quando Satanás descobriu que estava confinado à terra, ele liberou toda a sua fúria contra o povo de Deus. Antevendo isso Deus fez duas coisas. Primeiro, como recompensa por sua fé, Ele seqüestrou Sua Igreja da terra por completo e a escondeu alguns anos antes em um lugar que Ele havia preparado para ela no céu. E segundo, Ele havia escondido o remanescente crente de Israel no deserto na terra, a leste do Mar Morto.

Capítulo 13

De sua parte, Satanás deu poder a dois homens para enganar o povo da terra e os mobilizar contra Deus e Seu povo. Esses homens foram identificados a mim na visão das duas bestas, uma do mar e uma da terra. A primeira era um grande líder político, o mais inteligente, mais carismático homem que o mundo jamais conheceu. Quando esse homem foi aparentemente assassinado, Satanás sobrenaturalmente o curou, convencendo o mundo de que ele era o messias. Quase todas as pessoas na terra foram enganadas por essa assim chamada ressurreição e começaram a adorar a Satanás e seu falso messias. Lembre-se que eu disse que após a igreja desaparecer, a Palavra de Deus era muito escassa na terra e os não crentes eram facilmente enganados pelo que viam. Também, tendo previamente endurecido seus corações contra a verdade, eles eram agora jogo fácil para a mentira. Eu tenho que admitir, foi muito convincente. Se eu não tivesse tido o benefício do Espírito Santo habitando dentro de mim, eu teria sido enganado também.

O Segundo homem de Satanás era um líder religioso. Seu trabalho era encabeçar a nova religião do mundo e assegurar-se de que todo o mundo adorava a Satanás e seu falso messias. Usando os poderes sobrenaturais que Satanás lhe dera, ele operou todo tipo de sinais miraculosos, até mesmo construir uma gigantesca imagem do falso messias que podia até falar. Para assegurar a lealdade deles à sua religião e adequação ao seu ritual, ele fixou que as pessoas não poderiam ganhar dinheiro ou comprar coisas que precisassem a menos que recebessem uma marca, significando sua crença no falso messias. Recusar-se a receber a marca era punível com a morte. De agora em diante, seguir a Jesus iria requerer um montão de fé.

Com o aparecimento desses dois homens, todo o inferno se liberou na terra e a Grande Tribulação começou. Por causa dessa visão eu agora entendi que Satanás era a causa de todos os problemas do homem. Com seu esforço bem sucedido em enganar Adão e Eva, ele introduziu pecado e doença e morte e destruição na perfeita criação de Deus, contaminando-a além da possibilidade de reparo e tornando Deus um estranho ao homem. Em Sua misericórdia, Deus supriu a humanidade com um remédio para esse problema e através de Seus profetas apelou a nós para que o aceitássemos, até mesmo enviando Seu próprio Filho para nos mostrar o caminho.

Mas até Deus perde a paciência e agora o tempo chegara para tomar de volta o que havia sido roubado dEle e punir os responsáveis. Satanás e seus anjos, juntamente com todos aqueles da raça humana que se aliaram a ele, conheceriam agora as terríveis conseqüências que vêm de provocar a ira do Deus Vivo e de recusar Sua oferta de paz. Mas mesmo no meio da Sua ira, Deus ainda aceitaria sem preconceitos todos aqueles que dobrassem seus joelhos a Ele e pedissem perdão.

Capítulo 14

O Senhor me deu a duração da Grande Tribulação de várias maneiras. Elas se tornam iguais quando você se dá conta que Ele está medindo o tempo da forma que o criou, 12 meses de trinta dias para um ano de 360 dias. Assim, quer Ele diga 3 anos e meio ou 42 meses ou 1260 dias, é tudo a mesma coisa. Com a expulsão de Satanás do céu e o aparecimento do anticristo como um auto-proclamado deus na terra, os últimos 3 anos e meio da Era do Homem começaram. Essa é a Grande Tribulação.

Eu estava tentando absorver a visão da mulher, do dragão vermelho e das duas bestas quando minha atenção foi atraída de volta ao céu. Lá eu vi outro grupo cujo número era 144.000, mas diferente dos 12.000 judeus de cada uma das 12 tribos de Israel para proclamar o Evangelho na terra. Esses estavam em pé diante do trono de Deus no céu, tendo sido redimidos da terra. Como eles são descritos como puros e inculpáveis, comprados dentre os homens e oferecidos como primícias a Deus, que seguem o Cordeiro aonde vai, eles só podem representar a Igreja Arrebatada, observando os eventos da Grande Tribulação de seu vantajoso ponto no céu. Nenhum grupo de humanos poderia jamais ser descrito dessa forma a menos que o Senhor os houvesse aperfeiçoado como acontece no arrebatamento.

Por falar nisso, quando eu disse que eles não haviam se contaminado com mulheres, não quis dizer que haja algo errado com as mulheres propriamente ditas. Mas a maior parte dos pensamentos maus do homem envolve pecar com mulheres, e em meus dias as falsas religiões usavam atos sexuais ilícitos com mulheres em seus rituais de adoração. Por exemplo, o grande templo de Afrodite em Corinto era um lar para quase 1000 sacerdotes femininas que supriam as necessidades financeiras do templo fazendo marinheiros e outros viajantes que visitavam Corinto, vindos de todo o Oriente Médio, pagar para fazer sexo com elas. O sexo estava misturado com a religião pagã naquele tempo assim como está misturado com a política agora.

Eu me virei e vi três anjos voando entre o céu e a terra proclamando mensagens. Um estava proclamando o evangelho eterno a todas as nações em todas as línguas, e alertando-as dos juízos ainda por vir. Outro estava dando notícias da vindoura destruição de Babilônia, a grande cidade que personificou tudo o que é oposto a Deus na terra. E o terceiro estava advertindo os povos da terra de que adorar o anticristo e receber sua marca era uma decisão irreversível que os poderia condenar a um interminável sofrimento e tormento. Eu lhes disse que o meio-termo estava desaparecendo. Adore a Deus e encare a pena de morte na terra ou adore a Satanás e encare a punição eterna no inferno. Será necessário muita fé.

Então o Senhor me mostrou outra visão. Nesta uma colheita de uvas de toda a terra foi trazida a Israel para ser esmagada no lagar da Ira de Deus, criando um grande rio de sangue. Ele tinha até 1,30 metrosde fundura e 280 quilômetros de comprimento, a distância do Monte Megido na região central de Israel até o Mar Morto no sul. Essa era uma visão da Batalha do Armagedom que ocorreria em breve, a grande e cartada final na guerra de Satanás para conquistar a terra. (Como a palavra hebraica para Monte é Har, através dos séculos o que era Har Megiddo em hebraico se tornou Armagedom em português.)

Capítulo 15

De volta ao céu, sete anjos apareceram juntamente com sete taças da Ira de Deus, Sua última série de juízos. Quando estes houvessem terminado, Seus inimigos haveriam sido vencidos e Sua vitória completa. Imediatamente um grande grupo de mártires chegou da terra e se postou diante do Seu trono. Eles eram alguns dos últimos crentes que faltavam e haviam sido executados por sua recusa em receber a marca. Agora eles estavam no céu cantando louvores a Deus: sua fé havia sido justificada. Me lembrei aquele verso em Isaías sobre os justos perecerem para serem salvos do mal (Isa 57.1).

As portas do Templo Celestial se abriram e os sete anjos receberam as sete taças de ouro. Quando eles foram adiante as portas se fecharam para que ninguém pudesse entrar, significando que nada poderia interferir com a dispensação desses juízos finais. Deus não tem prazer em julgar nem mesmo Seus inimigos e permaneceu dentro do Templo para sofrer sozinho em angústia.

Capítulo 16

Quando a primeira taça foi derramada sobre a terra, feridas horríveis e dolorosas apareceram sobre aqueles que receberam a marca e adoraram o anticristo. Seu tormento havia começado. A segunda taça transformou todos os mares em sangue e toda criatura viva que ainda permanecia neles morreu. A terceira taça contaminou todo o suprimento de água potável, transformando-a em sangue também. Ao fazer isso, Deus estava vingando o sangue de todos os Seus mártires assassinados por toda a Era do Homem, desde os profetas antigos até aos últimos recém chegados ao céu, dando sangue para Seus inimigos beberem.

O juízo da quarta taça aumentou o calor do sol a ponto de as pessoas pegarem fogo por causa da exposição direta aos seus raios. Inacreditavelmente eles amaldiçoaram o nome de Deus, tendo ficado tão confusas com a Doutrina Luciferiana que pensaram que Ele era seu inimigo.

Com a quinta taça, tudo ficou completamente negro. A luz do sol e da lua se foi, a eletricidade se recusava a funcionar, e até o fogo não produzia nenhuma luz. Isso assustou tanto as pessoas que elas mal podiam suportar, mas ainda assim amaldiçoaram a Deus e recusaram Sua oferta de paz.

Com a sexta taça o Rio Eufrates ficou seco, removendo de uma vez a barreira natural entre o Leste e o Oeste que havia começado a cair coma sexta trombeta. Os exércitos das nações orientais viram sua chance de atravessar e se juntar à batalha pelo controle do planeta terá. Espíritos demoníacos da trindade não divina de Satanás, do anticristo e do falso profeta percorreram todo o mundo operando sinais milagrosos e atraindo os líderes de todos os exércitos do mundo para virem se unir à batalha. Antes de terminarem cerca de 400 milhões de soldados apareceriam no Oriente Médio, armados até os dentes e ansiosos por uma luta. Essa seria realmente a “mão de todas as batalhas”. Eu descobri que minha visão do rio de sangue de 280 quilômetros não era exagero.

Quando o sétimo anjo derramou sua taça, eu ouvia voz de Deus dizendo, “Está consumado!” O trovão e os relâmpagos, e o maior terremoto da história me disse que os juízos estavam sendo liberados a toda força.

Mas desta vez algo único foi acrescentado. A punição do Antigo Testamento por blasfêmia era a morte por apedrejamento. O povo da terra havia amaldiçoado e blasfemado contra o nome de Deus sem parar, e agora eles estavam recebendo a pena por seus crimes. Gigantescas pedras de granizo, pesando 45 quilogramas cada uma, caíram sobre a terra e os homens se dispersaram como formigas, amaldiçoando a Deus enquanto corriam para se proteger.

Capítulo 17

Enquanto tudo isso acontecia, um dos sete anjos veio explicar porque esses juízos eram necessários. Em uma visão Ele me mostrou uma mulher assentada sobre uma besta escarlate que tinha sete cabeças e dez chifres. Elas estavam andando sobre muitas águas. Essa mulher (ele a chamou de misteriosa Babilônia) representa as falsas religiões que enganaram e perseguiram o povo de Deus, e a besta representa Satanás. O anjo queria que eu entendesse que Satanás sempre usou a religião falsa para roubar pessoas de Deus. Não muitas foram jamais seduzidas diretamente à adoração ao diabo, então ele usou a adoração a qualquer coisa que não fosse Deus, especialmente aquelas coisas que pareciam boas e agradáveis, para enganar a humanidade e a conduzir inadvertidamente à sua destruição. Ele também utilizou os seguidores dessas falsas religiões para perseguir os crentes que se recusassem a se unir a eles, ou que insistissem em espalhar o Verdadeiro Evangelho.

As sete cabeças significam sete poderes mundiais que desafiaram a autoridade de Deus sobre Sua criação através da Era do Homem. Todos esses poderes mundiais foram construídos por Satanás para glorificar suas falsas religiões e alienar as pessoas de seu Criador. No momento em que eu escrevia isto, cinco já haviam vindo e ido: Egito, Assíria, Babilônia, Pérsia e Grécia. O que estava atualmente no poder era Roma, e o que estava para vir seria um renascimento do Império Romano com elementos da Babilônia, Pérsia e Grécia, misturados para temperar as coisas. O anticristo surgirá desse último grupo.

Os dez chifres são dez líderes que o anticristo apontará para ajudá-lo a administrar seu poder no final dos tempos. Eles serão leais ao anticristo, apoiando seus esforços de superar o poder do Senhor. Mas o Senhor prevalecerá, e quando Ele vier para derrotá-los, trará Sua Igreja de volta do céu com Ele.

As muitas águas significam todos os povos da terra enganados pelas falsas religiões de Satanás. Quando chegar ao poder, o anticristo abolirá todas essas falsas religiões porque elas eram somente o meio para um fim e proclamará a si mesmo como sendo deus. Por causa da bem sucedida promoção da Doutrina Luciferiana, e como quase todos os crentes remanescentes terão sido martirizados por sua fé, a maioria das pessoas a aceitará e deliberadamente se tornarão adoradores de Satanás (o que tem realmente sido seu objetivo desde o começo). Deus permitirá que isso aconteça para rasgar o véu do engano tecido pela falsa religião, e fazer as pessoas verem a quem eles realmente têm adorado.

Por causa da paciência de Deus, não desejando que ninguém pereça mas que todos se arrependam, Ele Se conteve através dos tempos. Durante esse tempo Seus inimigos, confundindo bondade com fraqueza, ultrapassaram em muito a linha o Seu julgamento, quando vier, tem que se encaixar na magnitude do crime. Bilhões foram enganados e perdidos e os responsáveis precisam pagar as conseqüências. É por isso, então, que essa última rodada de juízos tem que ser tão severa.

Capítulo 18

O ultimo bastião das práticas enganosas de Satanás será encontrado na Cidade de Babilônia. Nos tempos do fim essa cidade às margens do Eufrates, no moderno Iraque, se tornará o centro do mundo para os três principais elementos da sociedade: religião, comércio e governo. A religião humana que tem aprisionado espiritualmente as pessoas, o comércio humano que as tem aprisionado economicamente e o governo humano que as tem aprisionado socialmente precisam todos ser derrotados para trazer as liberdades prometidas no Reino de Deus. No final dos tempos, Babilônia é o centro e o símbolo de tudo o que há de errado com o modo humano e tem que ser destruída para sempre. E quando for, o povo da terra fira em choque com a rapidez de sua queda. Oh Babilônia, cidade do poder! Em uma hora seu destino chegou.

Com a derrota de Babilônia, os inimigos de Deus foram finalmente feitos como escabelo sob Seus Pés, e o caminho agora está livre para o retorno do Senhor como o Rei conquistador para estabelecer Seu Reino. A magnitude dos brados e dos cânticos no céu sacudiu o universo. Aleluia!

Capítulo 19

Com a final e total destruição de Babilônia, os inimigos de Deus foram todos derrotados e a guerra pelo planeta terra está quase terminada. “Aleluia,” todos bradamos no céu, “Pois o nosso Senhor Deus Todo Poderoso reina!” Hallelujah é uma palavra hebraica que quer dizer “Louve o Senhor” e fiquei surpreso de ser o único escritor do Novo Testamento a usá-la. Acho que o Senhor a estava guardando só para esta ocasião. Ela certamente se encaixa.

Eu me virei novamente e vi o Céu aberto e diante de mim estava um cavaleiro sobre um cavalo branco. Diferentemente do que eu vi numa visão no início da minha história, este era a coisa verdadeira. Ele estava até mesmo usando a coroa certa, a coroa da realeza. Então não há como confundir sua identidade, Eu lhe dei o nome que forjei no relato do meu evangelho: a Palavra de Deus. Os exércitos do céu estavam com Ele sobre seus próprios cavalos brancos, todos puros e vestidos de linho branco. Pelo sangue em Suas vestimentas e a ausência dele no demais, ficou claro que Ele estava sozinho derrotando os Seus inimigos, exatamente como Isaías predisse (Isa 63.1-6). Não um bebê de colo desta vez, Ele está aqui para assumir o comando de Sua criação e não aceitará desaforos de ninguém.

Na terra o anticristo e os exércitos de todas as nações se reuniram para sua tacada final, mas repentinamente Ele os eliminou. Ao invés do arco sem flechas carregado pelo impostor na minha visão anterior, o Senhor falava com tanto poder e autoridade que era como se Suas palavras fossem como uma afiada espada de dois gumes. Ele é o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores! O anticristo e o falso profeta foram capturados vivos, mas bastou o som de Sua voz para todos os exércitos da terra serem mortos em sua marcha. Deus convocou criaturas demoníacas, que se pareciam com pássaros, para consumir sua carne. O anticristo e o falso profeta foram lançados vivos no lugar de eterno sofrimento reservado para Satanás e seus seguidores, para serem atormentados para sempre.

Capítulo 20

E então a coisa mais incrível aconteceu. Um anjo com uma grande corrente e a chave do submundo desceu do céu. Com uma só mão ele capturou Satanás, o amarrou com a corrente e o trancou por 1000 anos. Satanás ainda tem mais uma aparição a fazer no Grande Desígnio de Deus, mas pela duração do Milênio ele estará confinado em uma solitária.

Então todos os que se recusaram a adorar o anticristo e foram martirizados por sua fé no Senhor foram trazidos de volta à vida para reinar com Cristo por 1000 anos. Com este evento, a primeira ressurreição que começou com o próprio Cristo saindo da sepultura, estava terminado. Todos os que morreram na fé da cruz até agora, juntamente com os arrebatados com a igreja, estavam vivos novamente para receber as bênçãos da Era do Reino.

Esta é uma boa hora para relembrar que a Bíblia, sendo a Palavra de Deus para a era do homem, não fala dos eventos que ocorrem antes da Criação ou depois do Milênio. Assim você conhecerá sua última disposição, ao final do reinado de 1000 anos do nosso Senhor sobre a terra, Satanás é libertado novamente. E sem um pingo de remorso ou qualquer evidência de uma mudança de coração, ele imediatamente começa a recrutar um enorme exército para subir contra Deus mais uma vez. Dá para acreditar? Mesmo depois de 1000 anos de paz sob o governo perfeito do próprio Senhor, e com as lições da história para lhes ensinar o que aconteceu da última vez que alguém se voltou contra o Senhor, uma enorme massa de pessoas responde ao seu chamado. Mas o Senhor manda fogo do céu e os devora em um instante. Então aquele antigo demônio Satanás e atirado no lugar de eterno sofrimento para se juntar ao anticristo e ao falso profeta, para ser atormentado de noite e de dia para sempre e sempre. E com isso nós finalmente ficamos livres dele.

Eu sempre imaginei porque o Senhor colocou um período de 1000 anos entre o tempo e a eternidade. Eu acho que cheguei à conclusão de que é para eliminar todas as desculpas para o nosso comportamento. Desde o Jardim do Édem nós temos culpado as circunstâncias externas a cada vez que somos pegos em pecado. Primeiro nós dizemos, “O diabo me fez fazer isso”. Então, no Milênio, Deus acorrenta e prende Satanás. Então nós dizemos, “Se pelo menos o Senhor não tivesse ido embora e nos deixado”. Então Ele volta para governar pessoalmente sobre nós. Aí nós dizemos, “É o mau exemplo de todos esses incrédulos”. Então Ele tira todos os descrentes do planeta no começo do Milênio e deixa somente aqueles que sobreviveram à Grande Tribulação e professaram sua fé nEle para repovoar a terra (Nota: Veja Mat 25.31-46). E após 1000 anos do céu na terra, ainda há pecado suficiente nos corações do homem não regenerado para suprir pessoal para a rebelião final de Satanás no minuto em que é liberto. Mesmo sob condições ideais como essas, o homem natural não consegue se comportar bem o suficiente para agradar a Deus e se rebelará contra Sua autoridade na primeira chance que tiver. Somente após ser aperfeiçoado por Deus pode o homem esperar agradá-lo. Nossa necessidade de um Salvador é indiscutível.

Mais uma coisa acontece bem no final do Milênio. Após tratar de Satanás, o Senhor traz todos os mortos não salvos de volta à vida para o seu julgamento final. Meu amigo, como eles ficam surpresos! Tendo vivido suas vidas ignorando ou negando a Deus, eles agora estão face a face com Ele para explicar seu comportamento. À medida que os eventos de suas vidas são revisados, todas as vezes que ouviram e rejeitaram o evangelho são apontadas. E tendo recusado a oferta de perdão de Deus, eles agora se tornam culpáveis por seus pecados. Eles são julgados e lançados no lugar de sofrimento eterno. É uma vergonha. O lugar foi criado para Satanás e seus anjos, então o homem teria que escolher ir para lá. Ele o fez cometendo o único pecado imperdoável, recusar o remédio de Deus em favor do seu próprio.

Capítulo 21

Com esses dois vislumbres do final do Milênio, vamos voltar ao seu início. Diante dos meus próprios olhos, eu via o céu e a terra restaurados à sua condição original antes de o pecado entrar no mundo e bagunçar as coisas. Eu percebi que alguns dos “desastres naturais” que ocorreram durante a Tribulação estavam na verdade remodelando a terra e mudando sua órbita, para permitir sua restauração.

Então eu vi a Nova Jerusalém descendo do céu para entrar em sua órbita perto da terra. Por causa de seu tamanho, que eu detalharei em um minuto, e do fato de que somente crentes aperfeiçoados podem viver lá, não como essa cidade possa jamais ser uma parte da terra, mas ela tem que estar próxima para permitir que se viaje até ela e de volta. A cidade era absolutamente enorme, mais de 2250 quilômetros de lado e 2250 quilômetros de altura. Alguns especulam que há espaço suficiente para que cada crente tenha seus sua mansão de 1000 metros quadros. A cidade tinha 12 portões, um para cada uma das 12 tribos de Israel e cada um feito de uma única pérola. (Engraçado! As ostras nem mesmo são kosher*.) Ela também tinha 12 fundamentos cobertos com pedras preciosas, com os nomes dos 12 apóstolos. Não havia templo na cidade, nem ela precisava da luz do sol ou da lua, porque o Pai e o Filho habitavam nela. Sua presença fornecia toda a luz necessária. Os líderes de todas as nações da terra vinham e pagavam tributo trazendo toda sua glória e honra, mas nenhum impuro podia jamais entrar, somente aqueles cujos nomes estão escritos no Livro da Vida do Cordeiro.

*Kosher: ritualmente puro segundo a tradição judaica.

Capítulo 22

Na terra, um Grande Templo, construído em Israel para glorificar a Deus, manava uma gigantesca fonte de água fresca e pura. Ela se tornou um rio que fluía para oeste para o Mar Mediterrâneo e para leste para o Mar Morto. Suas águas purificaram o Mar Morto e permitiram que os peixes florescessem lá (Nota: veja Eze 47). Ao longo das margens do rio cresciam árvores frutíferas, cada uma com um novo fruto a cada mês do ano. Suas folhas tinham poder curativo, e o fruto era delicioso de se comer. Perto do Templo o Pai e o Filho tinham Seu Trono, e de lá Eles governavam o mundo para sempre e sempre.

Eu fui tomado de tanta alegria ao ver todo o esplendor que Deus tinha guardado para aqueles que O amam que caí aos pés do anjo que estava me mostrando isso, e ele me repreendeu. “Adore somente a Deus”, ele disse. Bom conselho.

Então o meu Senhor disse, “Eis que venho em breve! Minha recompensa está comigo e a darei a todos de acordo com o que tiverem feito”. Eu pude perceber que ele quis dizer que Deus em Sua infinita sabedoria deu a todos nós todo direito de escolher nosso próprio destino. Pelo que Ele me mostrou, é óbvio que todos os que nasceram vivem para sempre. A única questão é onde passaremos a eternidade. Escolha a Ele e receba a vida eterna na Cidade de Deus. Rejeite-o e a eterna punição com Satanás e seus seguidores é o seu lugar de tormento. A escolha nunca foi tão clara.

Ele me disse para advertir a todos os milhões que leriam esta carta através dos séculos. Leve esta mensagem a sério! Graves conseqüências esperam aquele que acrescentar ou tentar diluir seu propósito e conteúdo. Mas, como Ele me disse no começo, grandes bênçãos viriam àqueles que lerem, ouvirem e guardarem no coração o que eu escrevi.

A isso eu digo, Amém: Ora vem Senhor Jesus. A graça do Senhor Jesus esteja com o povo de Deus. Amém.