Israel para Síria: Usem armas químicas e nós varreremos vocês do mapa

Oficiais israelenses juraram varrer a Síria do mapa ser forem atacados com armas químicas como uma que declaradamente explodiu em julho em uma base secreta da Síria lotada de engenheiros iraquianos.

Políticos de Israel disseram ontem que não estão procurando briga com seu vizinho, mas prometeram retaliar com força se ogivas químicas vierem gritando sobre sua fronteira.

“Nós não atacaremos primeiro. Mas se eles usarem essas armas contra Israel, então temos que deixar claro – será o fim dessa ditadura malévola e brutal”, disse Yuval Steinitz, um membro da direita do parlamento israelense, ontem ao Daily News.

Um relatório no Jane’s Defense Weekly sobre uma explosão acidental em uma base secreta da Síria em julho causou ondas de choque em todo o Oriente Médio.

Citando fontes da inteligência síria, o relatório disse que um grupo de engenheiros iranianos e sírios foram mortos em 26 de julho ao tentar armar um míssil Scud-C com uma ogiva de gás mostarda.

A agência de notícias oficial da Síria, SANA, relatou que pelo menos 15 oficiais militares sírios teriam sido “martirizados” e outros 50 feridos na explosão perto da cidade de Aleppo, na fronteira turca. Ela alegou que a explosão ao amanhecer foi causada por altas temperaturas.

O relatório da SANA não mencionou o pessoal iraniano morto no contratempo.

O Jane’s Deffence Weekly disse que dúzias de trabalhadores iranianos estavam entre os que morreram quando um incêndio no motor do míssil detonou a explosão e liberação de uma nuvem tóxica de agentes químicos letais banidos por lei internacional.

Fontes da inteligência americana desacreditaram o relatório dizendo não terem visto evidência de que armas químicas estariam envolvidas no acidente sírio.