Jerusalém: Um Cálice de Tontear

Jerusalém – O Mito

Muitos anos após a morte de Maomé, alguns mestres do Islã começaram a declarar algo que ligaria as paixões dos Muçulmanos a Jerusalém para sempre. Um mito foi criado de que Maomé e seu cavalo voaram miraculosamente ao Monte do Templo em Jerusalém na noite de sua morte. Maomé subiu ao céu com seu cavalo da rocha sobre a qual Abraão esteve para sacrificar seu filho. É claro que eles acreditam que o filho era Ismael, não Isaque. Baseado nesse ensino, Jerusalém é o terceiro Lugar mais Sagrado no Islã. Somente Meca e Medina são vistas como mais importantes. O sangue que foi derramado por causa desse ensino está além de qualquer possibilidade de cálculo. Ainda assim, o passado é nada se comparado ao sangue que será derramado sobre ele em breve.

De acordo com o profeta Zacarias, este antigo conflito entre Ismael e Isaque se tornará o pavio que detonará a última guerra do mundo. Agora que esse assunto se tornou parte do Islã e do Judaísmo, resolvê-lo é impossível. Os Muçulmanos crêem que entregar Jerusalém a Israel é admitir que o Qur’ e o Hadith, os mais sagrados ensinos do Islã, estão errados. Os Israelitas crêem que desistir de Jerusalém é igual a dizer que seu Livro Sagrado está errado, e que todo o seu sofrimento no exílio foi por nada.