Jerusalém: Um Cálice de Tontear

Interferência Ocidental

Em 1917, a Declaração de Balfour concedeu a maior parte das terras do Oriente Médio aos Judeus. A concessão foi feita como gratidão pela invenção de uma importante nova arma por um Judeu Sionista chamado Weizman. Após a Segunda Guerra Mundial, os Britânicos se deram conta que os Árabes detinham a maior parte do petróleo. Na Conferência de San Remo, em 1923, Churchil redesenhou o mapa do Oriente Médio, à mão livre, dividindo tribos inteiras em diferentes nações. No processo, Churchil dispôs da maior parte das terras prometidas na Declaração de Balfour. De um só golpe, Churchil pôs em movimento a maioria dos conflitos do Oriente Médio durante o século 20.

Em tempos recentes, o equilíbrio de poder no Oriente Médio tem-se movido como a areia no deserto. Há pouco tempo atrás o Pentágono anunciou um acordo de 900 milhões de dólares com o Egito para aparelhar 35 helicópteros Apache. O acordo também incluía equipamento avançado de detecção para a Força Aérea Egípcia para os F16 construídos pelos EUA. O Pentágono fechou um acordo de 500 milhões de dólares com a Arábia Saudita envolvendo a entrega de 5000 mísseis ar-ar AMRAAM, e vendeu o equivalente a 190 milhões de dólares em artilharia e tanques ao Kuwait. Graças aos Russos, e agora à indústria bélica americana, o Oriente Médio é agora um gigantesco acampamento armado aguardando para explodir.