Uma Visão Geral dos Sinais dos Tempos

A grande variedade de sinais que apontam para o breve retorno do Senhor.

Dr. David R. Reagan

www.lamblion.com  

Muitas pessoas acreditam que não há nada que se possa saber sobre o tempo do retorno do Senhor, porque Jesus disse que voltaria como um ladrão à noite (Mateus 24:42-44).

Mas Paulo deixa claro em 1 Tessalonicenses 5:1-6 que a declaração de Jesus não se aplica aos crentes: “Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão...” Ele então continua explicando o porque: “Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas. Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos, e sejamos sóbrios”. Paulo está se referindo, é claro, à luz do Espírito Santo que habita em todos os crentes verdadeiros e que pode nos iluminar através de nosso estudo das Escrituras para conhecermos o tempo da volta do Senhor (1 João 2:27).

A Atitude de Deus

De fato, Deus é obrigado por Seu caráter a advertir o mundo do retorno iminente de Seu Filho. A razão é que Jesus está voltando em grande ira para “julgar e fazer guerra” (Apocalipse 19:11), e Deus nunca derrama Sua ira sem aviso.

Deus não deseja que ninguém pereça, mas que todos sejam trazidos ao arrependimento (2 Pedro 3:9). Portanto, Deus sempre avisa antes de executar Sua ira. Ele advertiu o mundo através de Noé por 120 anos. Ele advertiu Sodoma e Gomorra através de Abraão.

Ele enviou Jonas para advertir a cidade pagã de Nínive, e enviou Naum a essa mesma cidade 150 anos depois.

Da mesma forma, Deus está advertindo o mundo hoje de que Seu Filho está prestes a voltar. Ele está chamando o mundo ao arrependimento. A mensagem da hora para os descrentes pode ser sumarizada nestas palavras: “Fuja da ira que está por vir fugindo para os amorosos braços de Jesus agora”. Jesus veio a primeira vez como uma expressão do amor de Deus; Ele veio para morrer pelos pecados da Humanidade. Mas quando Ele voltar, virá em vingança para derramar a ira de Deus sobre aqueles que rejeitaram o amor e a graça de Deus.

O breve retorno de Jesus também traz consigo uma mensagem para os crentes. Cristãos mornos e Cristãos carnais estão sendo chamados a dedicar suas vidas à santidade:

A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz. Andemos honestamente, como de dia; não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja. Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências. – Romanos 13:12-14

O Método de Advertência de Deus

Deus está alertando os crentes da breve volta de Seu Filho através do que chamamos “sinais dos tempos”. Estes são profecias a respeito de eventos mundiais que nos é dito para aguardar, profecias que identificarão o tempo da volta do Senhor.

A Bíblia está cheia desses sinais. Existem cerca de 500 profecias no Antigo Testamento que se relacionam com a Segunda Vinda do Messias. No Novo Testamento, um de cada 25 versos se refere à volta de Jesus.

De fato, existem tantos sinais que é difícil perceber todos eles. A melhor maneira que encontrei para fazê-lo foi colocá-los em categorias:

1) Os Sinais da Natureza – Nos é ordenado esperar por terremotos, fome, pestilência e sinais nos céus (veja Mateus 24:7 e Lucas 21:11).

Esta é a menos respeitada categoria de sinais, por várias razões. Por uma coisa, muitas pessoas simplesmente encolhem os ombros e dizem, “Sempre existiram calamidades naturais, então o que há de novo?” Note que Jesus diz que esses sinais serão como “dores de parto” (Mateus 24:8), isto é, eles aumentarão em freqüência e intensidade à medida que se aproxima o tempo de Sua volta. Em outras palavras, haverá terremotos mais intensos e mais freqüentes. Isto é exatamente o que está acontecendo hoje.

Outra razão por que esses sinais recebem pouco respeito é porque muitos Cristãos são tão racionalistas que não crêem realmente no sobrenatural, e, portanto, acham difícil acreditar que Deus fale ao mundo através de sinais da natureza. No entanto, a Bíblia ensina este princípio do início ao fim.

Deus lidou com o pecado do mundo através de um grande dilúvio nos dias de Noé (Gêneses 6). Ele chamou a nação de Judá ao arrependimento através de uma terrível invasão de gafanhotos (Joel 1). De igual forma, Ele chamou a nação de Israel a se arrepender enviando seca, tempestades de vento, ferrugem (vegetal), gafanhotos, fome e pestilência (Amós 4:6-10). O profeta Ageu apontou uma seca como evidência de que Deus estava chamando o povo a ordenar suas prioridades (Ageu 1:10-11).

O Novo Testamento começa com uma luz especial nos céus marcando o nascimento do Messias (Mateus 2:2). No dia em que Jesus foi crucificado, houve três horas de escuridão e um terremoto (Mateus 27:45-51). E quando Jesus voltar, a terra experimentará o maior terremoto de sua história, quando todas as montanhas serão niveladas, todos os vales serão elevados e todas as ilhas serão movidas (Apocalipse 16:17-21).

Deus sempre falou através dos sinais da natureza e continua a fazê-lo hoje. É melhor nós prestarmos muita atenção a eles.

2) Os Sinais da Sociedade – Jesus disse que a sociedade se tornará crescentemente ímpia e imoral à medida que se aproximar o tempo de Sua volta. De fato, Ele disse que se tornaria tão má quanto nos dias de Noé (Mateus 24:12, 37-39).

Paulo pinta um pavoroso retrato da sociedade dos tempos do fim em 2 Timóteo 3:1-5. Ele diz que ela será caracterizada por três amores: o amor a si mesmo (Humanismo), o amor ao dinheiro (Materialismo) e o amor aos prazeres (Hedonismo). Ele então aponta que o pagamento por esse estilo de vida carnal será o que os filósofos chamam niilismo, isto é, a sociedade se atolando em desespero. A mente dos homens se tornará depravada (Romanos 1:28), e as pessoas chamarão ao mal de bem e ao bem de mal (Isaías 5:20).

Estamos vendo essas profecias se cumprirem diante de nossos olhos hoje, enquanto observamos nossa sociedade rejeitar a herança Cristã e mergulhar em um poço infernal de impiedade, imoralidade e desespero. Pior ainda, estamos exportando nosso niilismo por todo o mundo através de filmes e programas de televisão imorais e violentos.

3) Os Sinais Espirituais – Existem sinais espirituais tanto positivos quanto negativos pelos quais procuramos. Os negativos incluem o aparecimento de falsos cristos e seus cultos (Mateus 24:5,11,24), a apostasia da igreja professa (2 Tessalonicenses 2:3), uma deflagração do Satanismo (1 Timóteo 4:1) e a perseguição dos Cristãos fieis (Mateus 24:9).

Esses sinais espirituais negativos começaram a aparecer em meados do Século 19 quando cultos Cristãos começaram a se formar. Primeiro vieram os Mórmons, então as Testemunhas de Jeová e depois a grande variedade de grupos espirituais como a Igreja de Cristo Cientista e a Igreja Unida.

A apostasia das denominações Cristãs tradicionais começou nos anos 1920 quando a escola Alemã de crítica elevada invadiu os seminários Americanos e minou a autoridade das Escrituras, ensinando que a Bíblia é a busca do Homem por Deus ao invés de a revelação de Deus ao Homem.

Durante os anos 1960 o Satanismo explodiu na cena Americana e tem desde então sido exportado por todo o mundo através de filmes, livros e programas de televisão Americanos. Tatear no oculto se tornou lugar comum em forma de astrologia, numerologia, admiração de cristais, meditação transcendental e canalização. Toda a tendência se consumou no aparecimento do Movimento da Nova Era com seu ensinamento de que o Homem é Deus.

Enquanto a sociedade se secularizava, o verdadeiro Cristianismo caiu sob crescente ataque. Valores judaico-cristãos, que já foram o fundamento da Civilização Ocidental, são agora abertamente ridicularizados, e aqueles que ainda aderem a eles são castigados como “fundamentalistas intolerantes” pela mídia.

Os sinais espirituais positivos incluem a proclamação do Evangelho a todo o mundo (Mateus 24:14), um grande derramamento do Espírito Santo (Joel 2:28-32) e iluminação espiritual para entender profecias que foram “seladas” até o fim dos tempos (Daniel 12:4,9).

Assim como com os sinais negativos, estamos vendo esses sinais positivos cumpridos em nossos dias. Através do uso da tecnologia moderna, o Evangelho tem sido proclamado por todo o mundo neste Século, e a Bíblia tem sido traduzida para as principais línguas.

O grande derramamento do Espírito Santo nos tempos do fim que foi profetizado pelo profeta Joel também começou. Joel chamou a isso de “chuva temporã” (Joel 2:23), e disse que ocorreria depois de o Judeus retornarem à sua terra. O estado de Israel foi restabelecido em 1948. Em 1949 Deus ungiu dois ministérios que teriam um impacto mundial, os ministérios de Billy Graham e Oral Roberts. Então, nos anos 60, veio o Movimento Carismático que trouxe renovação na adoração e deu ênfase à contínua validade dos dons do Espírito.

A aceleração no entendimento da profecia Bíblica começou em 1970 com a publicação do livro de Hal Lindsey, O Tardio Grande Planeta Terra. Ele pareceu abrir ao entendimento popular várias profecias que haviam sido “seladas” até os tempos do fim (Daniel 12:4,9). Notavelmente, se tornou o best seller número um no mundo, exceto somente a Bíblia, pelos dez anos seguintes!

4) Os Sinais da Tecnologia – O livro de Daniel diz que haveria uma explosão do conhecimento nos tempos do fim e que as pessoas se moveriam rapidamente (Daniel 12:4).

Existem muitas profecias que não podem ser compreendidas separadas da tecnologia moderna. Por exemplo, como pode o mundo inteiro olhar para dois corpos jazendo nas ruas de Jerusalém (Apocalipse 11:8-9)? A moderna tecnologia de televisão por satélite torna isso fácil. Como pode o Falso Profeta construir uma imagem do Anticristo que parece estar viva (Apocalipse 13:15)? A resposta, é claro, é a ciência da robótica. Como pode o Falso Profeta exigir que todas as pessoas na terra recebam a marca do Anticristo a fim de comprar e vender (Apocalipse 13:16-17)? Isso não seria possível sem computadores e lasers.

Jesus disse que a Tribulação será tão terrível que toda a vida na terra cessaria de existir se Ele não abreviasse esse período (Mateus 24:21-22). Como poderia toda a vida ser ameaçada antes do advento das armas nucleares? Outra referência a poder nuclear esta possivelmente contida na declaração de Lucas de que os homens no fim dos tempos “desmaiarão de terror” porque “os poderes do céu serão abalados” (Lucas 21:26). Isso certamente soa como uma referência à divisão do átomo.

5) Os Sinais da Política Mundial – A Bíblia profetiza que haverá um certo padrão de política mundial que caracterizará o mapa geopolítico do tempo do fim.

O foco será o restabelecido estado de Israel (Zacarias 12:2-3). Ele será sitiado por uma nação ameaçadora do “extremo norte”, a nação de “Rosh” ou a Rússia moderna (Ezequiel 38:2,6). Haverá também uma ameaçadora nação do Oriente que será capaz de enviar um exército de 200 milhões, a saber, a China (Apocalipse 9:13-16 a 16:12-13). Uma terceira fonte de perigo para Israel serão as nações Árabes que imediatamente o cercarão. Elas cobiçarão a terra e tentarão tomá-la dos Judeus (Ezequiel 35:10 e 36:2).

Outra peça chave na cena política mundial no fim dos tempos será uma coalizão de nações Européias que formarão uma confederação centralizada na área do antigo Império Romano (Daniel 2:41-44, Daniel 7:7,23-24 e Apocalipse 17:12-13). Essa confederação servirá como a base política para o aparecimento do Anticristo e a criação de seu reino mundial (Daniel 7:8).

Outros sinais políticos internacionais incluem guerras e rumores de guerras (Mateus 24:6), guerras civis (Mateus 24:7) e terrorismo internacional e impiedade generalizados (Mateus 24:12).

6) Os Sinais de Israel – Os sinais relacionados ao estado de Israel são prolíficos e muito importantes.

A profecia mais freqüentemente repetida no Antigo Testamento é a predição de que o povo Judeu será reunido dos “quatro cantos da terra” no final dos tempos (Isaías 11:10-12). A Bíblia declara que uma conseqüência dessa reunião será o restabelecimento do estado de Israel (Isaías 66:7-8). As Escrituras dizem que uma vez que os Judeus estejam de volta em sua terra, a própria terra experimentará um milagre de recuperação (Isaías 35). O deserto florescerá e as pessoas exclamarão, “Esta terra desolada tornou-se como o jardim do Éden” (Ezequiel 36:35).

Outro milagre do tempo do fim será o renascimento da língua Hebraica (Sofonias 3:9). Muitas pessoas não se dão conta do fato de que quando os Judeus foram dispersos de sua terra em 70 AD, eles cessaram de falar a língua Hebraica. Os Judeus que se estabeleceram na Europa desenvolveram uma nova língua chamada Yiddish, uma combinação do Alemão com o Hebraico. Os Judeus que migraram para a bacia Mediterrânea criaram uma língua chamada Ladino, uma combinação de Hebraico e Espanhol.

Outros sinais significantes de Israel que nós é ordenado aguardar no tempo do fim incluem a reocupação de Jerusalém (Lucas 21:24), o ressurgimento do poderio militar Israelense (Zacarias 12:6) e a re-focalização da política mundial em Israel (Zacarias 12:3).

Todos esses sinais se cumpriram neste século. A nação foi restabelecida, a terra foi reclamada, a antiga língua foi revivida, os Judeus estão de volta em Jerusalém e Israel é o ponto focal da política mundial.

Jesus diz em Lucas 21:28 que quando esses sinais começarem a acontecer, nós deveríamos “olhar para cima e erguer as nossas cabeças” porque “a nossa redenção está próxima”.

Os Sinais Chave

Os mais importantes sinais são aqueles que se relacionam a Israel, porque Deus usa os Judeus em toda a Escritura como seu relógio profético. Com isso eu quero dizer que muito freqüentemente quando o Senhor está revelando um evento importante que acontecerá no futuro, Ele apontará para o povo Judeu e declarar que quando uma determinada coisa acontecer a eles, o evento importante também ocorrerá.

Um bom exemplo desse princípio pode ser encontrado em Daniel 9, na famosa profecia das “Setenta Semanas de Anos”. O profeta nos manda esperar por um decreto a ser liberado que autorizará a reconstrução de Jerusalém. Ele então diz que o Messias virá sessenta e nove semanas de anos (483 anos) após o decreto ser liberado ao povo Judeu.

Existem duas profecias chave que se relacionam o retorno de Jesus a eventos que ocorreram na história Judaica desde 1948. Esses dois eventos claramente estabelecem o período em que estamos vivendo como o tempo da volta do Senhor.

O Estado de Israel

O primeiro é o restabelecimento do estado de Israel que ocorreu em 14 de maio de 1948. Jesus sinalizou este evento como aquele que sinalizaria Seu breve retorno.

Sua profecia está contida na parábola da figueira (Mateus 24:32-35) que Ele apresentou em Seu Sermão do Monte. Um dia antes de fazer este discurso, Ele havia posto uma maldição sobre uma figueira estéril, fazendo-a secar (Mateus 21:18-19). Isso foi uma profecia simbólica de que Deus em breve derramaria Sua ira sobre o povo Judeu por causa de sua esterilidade espiritual em rejeitar Seu Filho.

No dia seguinte Jesus relembrou Seus discípulos sobre a figueira. Ele mandou esperar que ela florescesse novamente. Em outras palavras, Ele mandou esperar pelo renascimento de Israel. Ele indicou que quando a figueira florescesse novamente, estaria às portas do Céu, pronto para voltar (Mateus 24:33).

Igualmente significante, Ele adicionou uma observação interessante: “Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam”. Qual geração? A geração que viu a figueira florescer.

Nós somos essa geração. A figueira floresceu. Jesus está às portas.

A Cidade de Jerusalém

O segundo evento chave foi profetizado por Jesus no mesmo discurso, como registrado por Lucas: “E cairão [os Judeus] ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem” (Lucas 21.24).

A primeira metade desta profecia se cumpriu em 70 AD, quarenta anos depois que Jesus falou estas palavras. Naquele ano os Romanos sob a liderança de Tito conquistaram Jerusalém e dispersaram os Judeus entre as nações. Jerusalém permaneceu sob ocupação gentílica por 1897 anos até 7 de junho de 1967, quando Israel reconquistou a cidade durante a Guerra dos Seis Dias.

A reocupação Judaica da cidade de Jerusalém é prova positiva de que estamos vivendo no tempo da volta do Senhor. Jesus disse que isso marcaria o fim da Era Gentílica.

Um Chamado à Ação

Não há como escapar à conclusão de que estamos vivendo em tempo emprestado. Os sinais dos tempos estão sobre nós e estão gritando por nossa atenção.

Você está pronto? Se Jesus voltasse hoje, seria Ele sua “Bendita Esperança” (Tito 2:11-14) ou seria o seu “Santo Terror” (Apocalipse 6:12-17)? Se você nunca O recebeu como seu Senhor e Salvador, agora é o momento de agir. Arrependa-se de seus pecados e clame o nome do Senhor para que possa ser salvo (Atos 2:14-39).

E se você é um Cristão, está vivendo como se Jesus pudesse voltar a qualquer instante? Você dedicou a sua vida à santidade? Você está orando pelos perdidos e testemunhando do Senhor quando tem oportunidade?

Você está ansioso pelo retorno do Senhor? Você pode dizer como Paulo que é um candidato a uma “coroa de justiça” porque tem vivido sua vida “no amor de Sua vinda” (2 Timóteo 4:7-8)?

E se eu for e vos preparar um lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo; para que onde eu estou, estejais vós também – Jesus, em João 14:3.