Profecias do Anticristo - Parte Quatro

Patrick Heron

16 de Novembro de 2007
RaidersNewsNetwork.com

Especulações quanto à identidade do Anticristo aparecem com freqüência em escritos ou discursos de especialistas no campo da escatologia. Escatologia é o nome técnico para o estudo das profecias bíblicas do Tempo do Fim. Quase todo mundo acha que o Anticristo é um ser humano que subirá ao poder e tomará o controle do mundo por meios políticos. Alguns estudiosos acreditam que esse homem emergirá da União Européia (EU). Outros dizem que ele virá das forças combinadas das Nações Unidas (ONU). Eu até mesmo ouvi um notório professor de profecias indicar um líder Árabe em particular e declarar com certeza que esse é de fato o homem que será o Anticristo.

Eu irei tratar disso a partir de um ângulo completamente diferente com o que você poderia chamar de pensamento lateral. Eu irei a certas passagens da Bíblia que falam desse homem e farei uma interpretação literal de seu significado. Onde quer que seja óbvio que a linguagem é figurativa ou simbólica, nos esforçaremos para apontá-lo e buscar a interpretação correta. Pois, como foi dito antes, até mesmo as parábolas têm um significado literal.

Esta não é uma tarefa fácil, e enquanto escrevo, estou consciente de quão pouco eu sei a respeito de muitas profecias ainda escondidas no Livro do Apocalipse e em outros lugares. Eu não tenho todas as respostas e nem qualquer outro escritor que ensina e estuda esse assunto. O último homem que tinha todas as respostas saiu daqui 2000 anos atrás e ainda não voltou. Agora nós vemos através de um vidro obscuramente. Mas quando Ele voltar, então saberemos e entenderemos. Mas até lá...

Então, o primeiro verso que quer citar com vias à descoberta do Anticristo e de onde ele vem é Apocalipse 11:7. Falando sobre dois profetas que são chamados de “as Duas Testemunhas” e virão para falar da parte de Deus no Apocalipse vindouro, ele diz:

“E, quando acabarem o seu testemunho, a besta que sobe do abismo lhes fará guerra, e os vencerá, e os matará. E jazerão os seus corpos mortos na praça da grande cidade... onde o seu Senhor também foi crucificado.”

Essas suas testemunhas pregarão a Palavra de Deus e serão um espinho na carne para o Anticristo e sua administração. Alguns dizem que esses dois profetas serão Moisés e Elias. Outros propõem que serão outras pessoas. Mas eles não são nomeados, então não especularemos aqui sobre quem são eles. Eles têm o poder de Deus e praticam milagres tais como fechar o céu para que não chova. Se alguém tentar lhes fazer mal, sai fogo de suas bocas e os devora (Apocalipse 11:5).

Entretanto, o Anticristo, também conhecido como a besta do Abismo, os vence e os mata. Por três dias e meio os povos de todas as nações olharão para seus corpos e se regozijarão porque esses dois profetas estão mortos. É interessante que para que pessoas de diferentes países verem esses corpos nas ruas de Jerusalém, eles teriam que estar assistindo a CNN ou a SKY News ou alguma outra rede global. É impressionante que esta profecia tenha sido escrita há quase 2000 anos atrás e ainda assim seja uma realidade em nossos dias.

Mas eu divago. Quanto ao Anticristo, é dito que a “besta que sobe do Abismo” os mata. Novamente, muitos estudiosos dão uma falsa aparência a esta frase ou supõem que ela seja simbólica. Mas existem maiores informações nas Escrituras sobre um local real em algum lugar chamado “O Abismo”?

A primeira menção desse lugar é feita em uma história relatada no capítulo oito do Evangelho de Lucas. Ela diz respeito a um homem possuído por demônios que vagava nu entre os túmulos perto da região dos Gadarenos, próxima à Galiléia. Esse homem era freqüentemente atado pelas mãos e pés com correntes, mas os demônios que o possuíam eram tão poderosos que ele podia se livrar dos grilhões. É preciso uma grande força para um homem ser capaz de quebrar correntes desse jeito. Ainda assim, não era o próprio homem, mas o espírito imundo que o controlava e vivia em seu corpo que podia realizar tal feito. Quando ele viu Jesus...

“E, quando viu a Jesus, prostrou-se diante dele, exclamando, e dizendo com grande voz: Que tenho eu contigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Peço-te que não me atormentes.”

“(Porque tinha ordenado ao espírito imundo que saísse daquele homem).”

“E perguntou-lhe Jesus, dizendo: Qual é o teu nome? E ele disse: Legião; porque tinham entrado nele muitos demônios.”

“E rogavam-lhe que os não mandasse para as profundezas.” Lucas 8:28-31

A NVI traduz esta passagem assim:

“E eles lhe imploravam repetidamente para que não os mandasse para o Abismo (Grego: Abussos).”

A palavra profundezas na KJV é “abussos” da qual derivamos a palavra abismo. O espírito maligno e os demônios que habitavam neste homem imploraram repetidamente a Jesus que não os mandasse para o Abismo. Então, aparentemente os espíritos podem ser mandados para esse lugar. Isto é confirmado em Judas 6 e 1ª e 2ª Pedro onde fala sobre espíritos estarem na prisão.

“No qual também foi, e pregou aos espíritos em prisão; Os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé...” 1 Pedro 3:19-20

“Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo” 2 Pedro 2:4

Existe muita informação pertinente nesses versos e conseguimos mais algumas migalhas em Judas 6.

“E aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até ao juízo daquele grande dia.”

Quando examinamos e analisamos esses versos juntos, descobrimos que espíritos ou anjos desobedientes, que pecaram nos dias de Noé, após terem abandonado seu estado original, foram encarcerados nessa prisão de cavernas crepitantes que também é chamada de Tártaro. Esse lugar é o mesmo Abismo para o qual os demônios imploraram que Jesus não os mandasse.

Mais tarde, depois de Jesus ter ressuscitado dos mortos, é dito que Ele foi e pregou para esses mesmo espíritos que provocaram o pecado nos dias de Noé. Isto é reiterado em Efésios 4:9

“Ora, isto—ele subiu—que é, senão que também antes tinha descido às partes mais baixas da terra?”

Eureca! Agora sabemos onde fica esse Abismo. Pois quando é dito que Jesus desceu às partes mais baixas da terra, não se está falando sobre Ele ter sido enterrado quando morreu. Pois Ele foi colocado em uma tumba que estava acima do solo e que foi cedida a Ele por seu rico amigo. Quando se levantou dos mortos, Ele recebeu um novo corpo, um corpo espiritual que lhe permitia fazer coisas como passar através de paredes e desaparecer ao seu bel prazer. Também lhe foi permitido viajar às partes mais baixas desta terra para pregar a esses anjos que são mantidos lá. Então o Abismo está em algum lugar nas profundezas da terra, sob os nossos pés.

A propósito, Jesus não pregou a esses espíritos a fim de salvá-los. Eles estão além de qualquer redenção. A palavra pregou significa que ele anunciou a eles o seu triunfo. Ele mostrou a eles que havia se levantado dos mortos e que Sua vitória era definitiva.

Generais Romanos vitoriosos retornando de campanhas em terras estrangeiras desfilavam seus tesouros e cativos diante dos cidadãos de Roma. Este é o significado da palavra “pregar”. Eu tenho certeza de que, quando Jesus apareceu a esses anjos malignos em seu glorioso corpo ressurreto, eles ficaram chocados. Eu aposto que suas pernas ficaram como gelatina, figurativamente falando.

Há mais verdades nessas passagens que precisamos listar. Elas dizem que o Abismo é habitado tanto por espíritos quanto por anjos. Ele também é chamado de Tártaro. Essas pistas são importantes e em nosso próximo artigo eu quero estudar a conexão entre espíritos e anjos. Nesse meio-tempo, aqui está outra referência à besta e ao Abismo em Apocalipse 17:8.

“A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição.”