A Contra-Prova de Lucas

Um Estudo Bíblico por Jack Kelley - www.gracethrufaith.com

Nosso Senhor nos deu um resumo bastante detalhado dos Tempos do Fim no que se refere a Israel. Ele é freqüentemente chamado de Sermão do Monte porque Ele estava falando para quatro de Seus discípulos no Monte das Oliveiras. Foi no final de um de Seus últimos dias de liberdade antes de ser preso, e eles Lhe perguntaram sobre o Final dos Tempos. O relato de Mateus da Sua resposta está nos capítulos 24-25. O de Marcos está contido no capítulo 13. A versão de Lucas é um pouco diferente no fato de que também inclui uma profecia da destruição de Jerusalém em 70 AD.Você a encontrará no capítulo 21 de seu livro.

Já que o Senhor estava respondendo a perguntas sobre o futuro de Israel eSua 2ª Vinda, o foco era decididamente Judaico, assim não encontraremos nada a respeito da Igreja ao estudar essas respostas. Mas entender como as coisas progredirão para Israel nos dá um pano de fundo que torna as profecias de Paulo sobre a Igreja nos Tempos do Fim, que vieram 20 anos depois, mais fáceis de entender. As cartas dePaulo aos Tessalonicenses, escritas por volta de 51 AD, introduziram oficialmente a noção do Arrebatamento e sua cronologia para a igreja primitiva, e contêm informações esclarecedoras sobre o Anticristo e também a retirada do Espírito Santo. A 2ª Vinda é referenciada em todos os capítulos dessas duas cartas, com uma média de uma vez a cada 13 versos.

(Minha série sobre o Sermão do Monte se chama "Os Tempos do Fim Segundo Jesus". 1 e 2 Tessalonicenses se chama "Os Tempos do Fim Segundo Paulo".)

Em Lucas 17:20-37, o Senhor nos deu algumas informações adicionais sobre o tempo da Sua vinda que são freqüentemente desprezadas em nossa preocupação com o mais popular Sermão do Monte. Mas depois de alcançar a perspectiva Judaica dessa passagem e a Cristã a partir das cartas de Paulo, você pode utilizar Lucas 17 para rechecar a sua compreensão dos Tempos do Fim e ver se entendeu direito. O fato de que Lucas 17 compartilha um pouco de linguagem com o Sermão do Monte nos dá uma pista de que devem estar relacionados. Vamos dar uma olhada.

Lucas 17:20-37

Sendo Jesus interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, respondeu-lhes: "O reino de Deus não vem com aparência exterior; nem dirão: Ei-lo aqui! ou: Eí-lo ali! pois o reino de Deus está dentro de vós." (Lucas 17:20-21)

De cara, o Senhor atirou uma bola curva para se assegurar de que estamos prestando atenção. Ela veio na forma de uma palavra traduzida como "dentro de". Ele estava respondendo aos Fariseus que fizeram a pergunta. O Reino de Deus não estava dentro deles porque não eram crentes. Então o que Ele estava tentando nos dizer? Bem, acontece que a palavra também pode significar "no meio de", e o Reino estava no meio deles. Ele era a personificação do Reino e estava diante deles. Algumas traduções, como a NVI e a ACR Fiel, oferecem "entre" como uma alternativa para "dentro de" no verso 21.

Para os Fariseus somente era verdade que o Reino estava entre eles. Mas uma vez que o Espírito Santo fosse dado, o Reino estaria também dentro dos crentes. Nesse ponto, ambas as interpretações se tornariam verdadeiras. O Reino de Deus está dentro de nós, e nós estamos no meio do mundo. Esta é a fase espiritual, invisível, do Reino. Mas como veremos, esta não é a fase final.

Então disse aos discípulos: "Dias virão em que desejareis ver um dos dias do Filho do homem, e não o vereis. Dir-vos-ão: 'Ei-lo ali!' ou: 'Ei-lo aqui!' não vades, nem os sigais; pois, assim como o relâmpago, fuzilando em uma extremidade do céu, ilumina até a outra extremidade, assim será também o Filho do homem no seu dia. Mas primeiro é necessário que ele padeça muitas coisas, e que seja rejeitado por esta geração." (Lucas 17:22-25)

Depois de ser rejeitado e executado pelos líderes da Sua geração, o Senhor iria embora, e somente a fase invisível do Reino permaneceria. Esta é chamada de Igreja. Mas então Ele retornaria e quendo o fizesse não haveria engano. O céu seria iluminado e a fase física do Reino viria novamente.

Isto é uma pista para o porque de a Igreja e Israel serem mutuamente exclusivos no mundo. O Reino de Deus começou com Israel. Ele fez Moisés lhes dizer isso: "Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha. E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo. Estas são as palavras que falarás aos filhos de Israel." (Êxodo 19:5-6)

Mas então, por causa da sua desobediência, ele foi tirado de Israel e dado à Igreja. Em Mateus 21:43 Jesus disse: "Portanto, eu vos digo que o reino de Deus vos será tirado, e será dado a uma nação que dê os seus frutos."

Mas isso não era para ser permanente. Depois de a Igreja desaparecer, o Reino será restaurado a Israel. A Igreja primitiva entendeu isso, como evidenciado pela profecia de Tiago em Atos 15:13-18 onde ele disse que o Senhor primeiro tiraria dentre os Gentios um povo para si mesmo e, depois disso, retornaria para reconstruir o Tabernáculo caído de Davi. Mais tarde Paulo confirmou isso, dizendo que Israel havia sido endurecido em parte até o número total dos Gentios entrar e, depois disso, Israel seria salvo (Romanso 11:25-27)

"Como aconteceu nos dias de Noé, assim também será nos dias do Filho do homem. Comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio e os destruiu a todos." (Lucas 17:26-27)

Como nos dias de Noé, o povo estará desprevinido quanto ao julgamento que precederá Seu retorno, não porque não tenham sido avisados, mas porque não acreditaram na advertência. Noé é utilizado como um modelo do remanescente crente de Israel no fim dos tempos, preservado através do julgamento enquanto o mundo é destruído. Noé e sua família permaneceram no lugar do julgamento enquanto os descrentes eram varridos no dilúvio.

No Fim dos Tempos o remanescente crente de Israel permanecerão no local do julgamento mas será preservado enquanto o Senhor destrói completamente as nações ao redor deles (Jeremias 30:11). Na linguagem simbólica do Apocalipse, esse remanescente é representado por uma mulher, enquanto Satanás é chamado de serpente.

E foram dadas à mulher duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente. (Apocalipse 12:14)

"Como também da mesma forma aconteceu nos dias de Ló: comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os destruiu a todos." (Lucas 17:28-29)

À primeira vista parece ser outro exemplo similar. Mas é na verdade muito diferente. Ló foi tirado do local do julgamento para um lugar seguro. De fato, os anjos que foram enviados para removê-lo disseram que não poderiam trazer o julgamento sobre Sodoma e Gomorra até que Ló estivesse longe e em segurança (Gêneses 19:21-22). Ele foi resgatado do derramamento da ira de Deus sobre Sodoma e Gomorra.

Neste sentido, Ló se tornou um modelo da Igreja. Paulo explicou que a Igreja seria resgatada também. Porque eles mesmos anunciam de nós qual a entrada que tivemos para convosco, e como dos ídolos vos convertestes a Deus, para servir o Deus vivo e verdadeiro, e esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dentre os mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura. (1 Tessalonicenses 1:9-10)

A palavra Grega traduzida como "da" no verso 10 significa para longe do tempo, ou do lugar, ou de qualquer relação com a ira futura. Assim como Ló, temos que estar longe e a salvo antes que os juízos dos Tempos do Fim possam começar.

Tenho dito freqüentemente que Jesus não ensinou a doutrina do Arrebatamento e nem mesmo falou a Seus discípulos sobre isso. Mas se você já sabe que ele virá pode encontrar pistas dele nos Evangelhos. Esta é uma delas, e ao usar Ló como um modelo o Senhor confirmou a cronologia. Antes do julgamento.

"Assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar. Naquele dia, quem estiver no eirado, tendo os seus bens em casa, não desça para tirá-los; e, da mesma sorte, o que estiver no campo, não volte para trás. Lembrai-vos da mulher de Ló. Qualquer que procurar preservar a sua vida, perdê-la-á, e qualquer que a perder, conservá-la-á. Digo-vos: Naquela noite estarão dois numa cama; um será tomado, e o outro será deixado. Duas mulheres estarão juntas moendo; uma será tomada, e a outra será deixada. [Dois homens estarão no campo; um será tomado, e o outro será deixado.]"

Perguntaram-lhe: "Onde, Senhor?"

E respondeu-lhes: "Onde estiver o corpo, aí se ajuntarão também os abutres." (Lucas 17:30-37)

No Sermão do Monte Jesus deu essa advertência de não voltar para suas casas em conjunto com a revelação do Anticristo, e no Grego a frase "aquele dia" não se altera com qualquer preposição usada, então é razoável assumir que Ele quiz dizer a mesma coisa aqui, se referindo ao começo dos 3 anos e meio do Dia do Senhor.

Da mesmo forma, eu acho que a palavra "noite", quando alguns são tomados e alguns deixados, se refira ao seu final. Como no Sermão do Monte (Mateus 24:40-41), a palavra traduzida como "tomado" significa literalmente recebido e a palavra "deixado" significa posto de lado, como em um divórcio. No fim dos tempos, depois de o Senhor retornar, alguns sobreviventes da tribulação serão recebidos no Reino. Eles terão se tornado crentes depois de aIgreja ser arrebatada e serão recepcionados no Reino como recompensa. Outros não e serão postos de lado, fora do planeta, no lugar preparado para o diabo e seus anjos (Mateus 24:41). Isto é uma referência ao Julgamento das Ovelhas e dos Bodes.

Alguns vêem um monte de simbolismos no comentário sobre os corpos e os abutres, mas eu o vejo como uma simples parábola. Os abutres não se reúnem em lugar algum no céu senão sobre a carcaça de um corpo morto. O corpo morto é o real propósito de sua reunião. Ali é o lugar deles. O uso desta parábola foi somente a forma do Senhor de responder à pergunta dos discípulos, "Onde, Senhor?" Ele disse que cada grupo acabará exatamente no seu lugar.

Assim, nesses 17 versos de Lucas 17 o Senhor explicou adupla natureza do Reino, o fato de que Ele iria embora e votaria, que Sua 2ª Vinda seria física, assim como a primeira, e que haveria um remanescente crente preservado através dos julgamentos que precedem Sua volta (Israel) e um grupo de crentes que será removido para um lugar seguro antes que eles comecem(a Igreja). Haveria também sobreviventes que não pertencem a nenhum dos grupos. Na Sua volta, alguns desses receberiam o Reino como recompensa pela fé, enquanto o restante seria enviado para o lugar preparado para o diabo e seus anjos por se recusarem a crer.

Como eu disse, Lucas 17:20-37 não é uma passagem para descoberta, mas para confirmação. Lê-la lhe informa se você compreendeu seus estudos de profecia ou não. Eu a chamo de a Contra-Prova de Lucas. 08-03-2008