Os Tempos do Fim Segundo Isaías, Parte 5

Um Estudo Bíblico por Jack Kelley - www.gracethrufaith.com

Este episódio de Os Tempos do Fim Segundo Isaías nos leva a Isaías 17 e a jamais cumprida profecia da destruição de Damasco.

O Que há de Novo?
Nos últimos dois anos ficou mais claro que a profecia de Isaías sobre a destruição de Damasco pode em breve se cumprir. Se assim for, isto explicaria porque a Síria não é incluída entre os membros da coalisão de nações Muçulmanas que se juntarão contra Israel na Batalha de Ezequiel 38.

Encorajada pelo resultado da guerra entre Israel e o Hisbollah em 2006, a Síria se tornou ainda mais belicosa em seu comportamento em relação a Israel. Atos agressivos incluem mobilizar grandes forças militares em direção a Golã, abrir a passagem que dá aos Sírios acesso a Israel pela primeira vez desde 1973, formar e treinar uma força terrorista Síria para se infiltrar no norte de Israel e exigir que Golã seja devolvida logo senão essa força começaria a cometer atos terroristas dentro de Israel.

É sabido por alguns que a Síria tem um dos mais avançados programas de armas químicas do mundo, ainda que tais coisas sejam ilegais, e provavelmente herdou o grosso das ADM (Armas de Destruição em Massa) de Saddam Husseim que a mídia se deleita em dizer que nunca existiram. Eles mobilizaram reservas, montaram centros de comunicação e mudaram todos os registros históricos e documentos legais oficiais para fora de Damasco. Eles o fizeram porque crêem que Israel responderá a um ataque químico destruindo Damasco com armas nucleares. Eles convocaram todos os cidadãos que vivem no Líbano. Eles adquiriram armas e sistemas de defesa Russos ao custo de centenas de milhões de dólares em um esforço para proteger Damasco.

Nuclearização
Em Julho de 2007, uma ogiva química explodiu em um instalação de mísseis da Síria ao ser montada em um míssil Scud, matando dezenas de técnicos Sírios e Iranianos. O único alvo possível dentro do alcance do míssil é Tel Aviv. Então, apenas dois meses mais tarde, o bombardeio por Israel de uma instalação Síria secreta no interior do país virou manchete e demonstrou a capacidade de Israel de tornar inefetivas as maravilhosas defesas anti-aéreas Russas. Esses sistemas foram vendidos tanto para a Síria quanto para o Irã para proteger contra ataques aéreos Americanos ou Israelenses. A presença de material nuclear na base Síria foi confirmada, então ela pode ter sido pelo menos o local de uma base de montagem de bombas sujas e, talvez, até mesmo uma usina nuclear clandestina. Os Norte-Coreanos estavam pesadamente envolvidos nisto e são suspeitos de ainda estarem ajudando a Síria a desenvolver algum tipo de capacidade para armas nucleares.

Mais recentemente, a incursão de Israel em Gaza abriu uma brecha entre Israel e a Turquia, fazendo a Turquia suspender seu papel como mediador nas conferências de paz entre Israel e Síria, quebrando uma das poucas linhas de comunicação entre os dois países.

Conquanto parte disso seja mais do que a mídia tenha desejado partilhar com você, está tudo em registro público. Eu creio que exista muito mais acontecendo sem que tenhamos conhecimento, o que torna o assunto ainda mais urgente. Então, vamos dar uma olhada em Isaías 17, Um Oráculo Contra Damasco, enquanto ainda é profecia.

Um Oráculo Contra Damasco:
"PESO de Damasco. Eis que Damasco será tirada, e já não será cidade, antes será um montão de ruínas. As cidades de Aroer serão abandonadas; hão de ser para os rebanhos que se deitarão sem que alguém os espante. (Isaías 17:1-2)

Por causa da linguagem desses versos, muitos estudiosos crêem que esta profecia foi somente parcialmente cumprida quando os Assírios derrotaram os Arameus e tomaram sua capital, Damasco, em 732 AC. Até hoje Damasco é tida como a mais antiga cidade continuamente habitada do mundo com uma história de 5000 anos e uma população próxima a dois milhões de pessoas, entretanto Isaías 17:1 indica que um dia ela deixará de existir.

Alguns acreditam que a frase "cidades de Aroer" se refira ao Território Arameu a leste do Rio Jordão ao redor do Rio Arnon, que corre para o Mar Morto no sul da Jordânia. Entretanto, a Enciclopédia Judaica declara que esta frase em Isaías 17:2 provavelmente foi traduzida erradamente porque a distância geográfica de Damasco é muito grande. Conquanto eles digam ser possível que tenha havido outra Aroer perto de Damasco, é mais provável que a passagem devesse ser escrita como "as cidades serão abandonadas". Se esta for a tradução correta, incluiria a fortaleza do Hezbollah no Vale de Bekaa, no Líbano, que era parte do território Arameu no tempo de Isaías e que está em uma linha reta entre Beirute e Damasco.

E a fortaleza de Efraim cessará, como também o reino de Damasco e o restante da Síria; serão como a glória dos filhos de Israel, diz o Senhor dos Exércitos. E naquele dia será diminuída a glória de Jacó, e a gordura da sua carne ficará emagrecida. Porque será como o segador que colhe a cana do trigo e com o seu braço sega as espigas; e será também como o que colhe espigas no vale de Refaim. (Isaías 17:3-5)

Este segmento fala da derrota de Damasco em 732 AC e a destruição de Samaria 10 anos mais tarde (722 AC). Damasco continuou a existir  como parte do Império Assírio e ainda está aqui hoje em dia, mas as ruínas de Samaria estão apenas começando a ser escavadas do solo arenoso de Israel. A sistemática relocação das classes governantes para as áreas longínquas do Império Assírio também está em vista. Esta era a política Assíria padrão para reduzir a possibilidade de rebelião subseqüente entre seus povos conquistados. Jacó e Efraim são nomes alternativos para o Reino do Norte e Samaria era a sua capital.

Porém ainda ficarão nele alguns rabiscos, como no sacudir da oliveira: duas ou três azeitonas na mais alta ponta dos ramos, e quatro ou cinco nos seus ramos mais frutíferos," diz o Senhor Deus de Israel. (Isaías 17:6)

Nem todas as pessoas foram dispersadas. Fazendeiros foram deixados para trás para cuidar do cultivo e proteger a colheita para seus novos governantes. A eles se reuniram refugiados de outras partes da Assíria, e seus descendentes combinados foram conhecidos como Samaritanos no tempo de Jesus. (Uma leitura rápida de 2 Crônicas 11:16 mostra que todos os fieis dentre as 10 tribos do Norte mudaram-se para o Sul no tempo da guerra civil que dividiu a nação após a morte do Rei Salomão, 150 anos antes. Desde então as 12 tribos estavam representadas no Reino do Sul de Judá, então as 10 tribos do Norte não foram totalmente perdidas. O Senhor sempre preservou um remanescente crente de todas as Tribos de Israel)

Naquele dia atentará o homem para o seu Criador, e os seus olhos olharão para o Santo de Israel. E não atentará para os altares, obra das suas mãos, nem olhará para o que fizeram seus dedos, nem para os bosques, nem para as imagens. Naquele dia as suas cidades fortificadas serão como lugares abandonados, no bosque ou sobre o cume das montanhas, os quais foram abandonados ante os filhos de Israel; e haverá assolação. (Isaías 17:7-9)

Esta é outra passagem problemática para aqueles que tentam consignar toda a profecia à história. Simplesmente não há razão para crer que os Assírios se voltaram para Deus em seguida à sua conquista de Aram e Israel. E longe de abandonar suas cidades por causa dos Israelitas, os Israelitas é que foram derrotados e dispersados. O ainda futuro ataque Israelita contra Damasco causando a destruição e abandono das cidades Sírias e o eventual retorno dos sobreviventes para o seu Deus é muito mais provavelmente um cumprimento futuro. E isto poderia ocorrer em breve.

Porque te esqueceste do Deus da tua salvação, e não te lembraste da rocha da tua fortaleza, portanto farás plantações formosas, e assentarás nelas sarmentos estranhos. E no dia em que as plantares as farás crescer, e pela manhã farás que a tua semente brote; mas a colheita voará no dia da angústia e das dores insofríveis. (Isaías 17:10-11)

Assur, pai dos Assírios e Aram, pai dos Arameus eram ambos filhos de Sem. O filho de Aram, Uz, é o tradicional fundador de Damasco. (A locação de Jó, o livro mais antigo da Bíblia, é a Terra de Uz) O conhecimento de Deus nas memórias desses patriarcas não pode ser questionada. Não é que eles nunca O conheceram, mas que eles se esqueceram dEle, abandonaram-No em favor dos deuses Cananeus da região, Baal e sua consorte Astarote (também conhecida como Asera, Astarte, Ishtar, Afrodite, Vênus). Atualmente a Síria é quase totalmente Muçulmana. Até que retornem ao seu Criador e Salvador nenhum de seus planos e esquemas prosperará no longo prazo, a despeito de quão promissores eles pareçam a princípio.

Ai do bramido dos grandes povos que bramam como bramam os mares, e do rugido das nações que rugem como rugem as impetuosas águas. Rugirão as nações, como rugem as muitas águas, mas Deus as repreenderá e elas fugirão para longe; e serão afugentadas como a pragana dos montes diante do vento, e como o que rola levado pelo tufão. Ao anoitecer eis que há pavor, mas antes que amanheça já não existe; esta é a parte daqueles que nos despojam, e a sorte daqueles que nos saqueiam. (Isaías 17:12-14)

Tendo conquistado a maior parte do Oriente Médio, incluindo os Arameus e o Reino do Norte, os Assírios puseram seus olhos sobre o Reino do Sul, Judá. O Rei Assírio Senaqueribe trouxe seus exércitos quase que literalmente às portas de Jerusalém, tão perto que seus comandantes estavam a uma distância que permitia falar com os defensores Judeus. Na noite antes do seu ataque, o Senhor enviou Seu anjo ao acampamento Assírio no Monte Scopus para matar 185.000 soldados Assírios. Antes do amanhecer eles haviam arrumado as malas e fugido, pondo fim a 44 anos de conquista (Isaías 37:36-38) Esse momento na história de Israel se parece tanto com a visão Judaica dos Tempos do Fim que Senaqueribe é visto por eles como um tipo do Anti cristo, enquanto o Rei de Judá Ezequias é um modelo do Messias.

Mas note que Isaías fala de muitas nações se rebelando contra o povo de Deus, não somente a Assíria, nos levando uma vez mais a considerar a derrota de Senaqueribe um cumprimento parcial da profecia de Isaías.

Hoje muitas nações estão agitadas contra Israel. As várias conferências de "paz" para o Oriente Médio deixaram Israel sozinho contra uma irresistível pressão para negociar sua própria existência. Síria e Irã estão certos de que Israel atacará em breve, e estão se preparando de acordo. Os outros vizinhos de Israel também estão se preparando para a guerra e, de fato, muitas nações estão tomando posições.

Israel não está cego a essas crescentes ameaças, mas até recentemente o atual governo parece estar ignorando-as. Isto está para acabar. O candidato a Primeiro Ministro Benyamin Netanyahu, que quase certamente será eleito, advertiu o Hamas de que se os ataques com foguetes continuarem depois que assumir o cargo, ele eliminará sua liderança tanto em Gaza quanto na Síria, ainda que isso resulte num confronto com os Sírios. Podemos facilmente visualizar um cenário que inclui o cumprimento final de Isaías 17, a destruição de Damasco. Ao anoitecer repentino pavor, e antes do amanhecer eles e as cidades vizinhas se foram.

A frase "rugido das muitas águas" é freqüentemente utilizada para descrever um alto clamor. Tal coisa certamente causaria um rebuliço entre as nações, e muito clamor. Se você escutar com atenção, quase pode ouvir os passos do Messias. Atualizado em 02-07-09.