A Grande Pirâmide de Guizé

Estudo Bíblico por Jack Kelley

O construtor da Grande Pirâmide conhecia todas as dimensões da Terra e tinha um domínio de engenharia, astronomia e matemática que seria impressionante até mesmo hoje. Se esse cara não tinha ele mesmo poderes sobrenaturais, com certeza foi auxiliado por Alguém que tem. (Nota: Eu postei este artigo pela primeira vez em 23/01/2005. Ofereço-o novamente como um acompanhamento ao recém publicado artigo intitulado "O Que Será do Egito.")

Naquele tempo o Senhor terá um altar no meio da terra do Egito, e uma coluna se erigirá ao Senhor, junto da sua fronteira. E servirá de sinal e de testemunho ao Senhor dos Exércitos na terra do Egito, porque ao Senhor clamarão por causa dos opressores, e ele lhes enviará um salvador e um protetor, que os livrará. (Isaías 19:19-20)

Durante um grupo de estudos sobre a Nova Jerusalém, uma questão foi levantada sobre a sua configuração. Apocalipse 21 diz que ela é um quadrado de 2250 metros de lado e tem 2250 metros de altura, e para mim isso forma uma imagem de um cubo. Mas alguns vêem uma pirâmide, e quando você pensa a respeito, João poderia estar descrevendo exatamente isso. Uma coisa levou a outra e logo o assunto da Grande Pirâmide de Guizé no Egito surgiu. Alguém me pediu para conduzir um estudo sobre isso algum dia e eu concordei. Aqui está.

A Grande Pirâmide

Ela foi construída no século 22 AC. Sua construção exigiu 10 anos de planejamento e preparação e 100.000 homens levaram 20 anos para completá-la.

Ela é diferente de todas as outras pirâmides do Egito. Primeiro, ela é feita de pedras, não tijolos, e é a única não sólida. Há uma série de passagens e várias câmaras dentro dela. Ao contrário da opinião secular, todas as cerca de 80 outras vieram depois, são grosseiramente cópias inferiores e, diferentemente da Grande Pirâmide, foram usadas como lápides gigantescas cobrindo as tumbas dos Faraós. (A Grande Pirâmide nunca serviu de tumba.)

Como ela está localizada na fronteira entre o Alto e o Baixo Egito (Guizé significa fronteira em Árabe) e no coração dos dois Egitos, a Grande Pirâmide parece ser referenciada na passagem de Isaías acima. E como o contexto da passagem de Isaías é os Tempos do Fim, a conexão com a Nova Jerusalém pode não ser tão improvável, afinal.

(Originalmente dois reinos distintos, o Alto Egito e o Baixo Egito foram unidos para se tornar um. O Alto Egito fica no sul e é mais montanhoso. O Baixo Egito ao norte era composto na maior parte pela região do Delta do Nilo e as planícies adjacentes. O nome Bíblico para o Egito é Mizraim e literalmente significa 2 Egitos, já que é a forma plural da sua raiz, Matzor. Mizraim era filho de Cão cujos descendentes primeiro se estabeleceram no Egito.)

Mais Alguns Detalhes Fascinantes
A Grande Pirâmide foi construída em uma base de 53.000m2 nivelada à precisão de menos de 2,5cm. 500 mil m³ de blocos de granito foram utilizados em sua construção. Até hoje os engenheiros não conseguem explicar como os trabalhadores conseguiram colocar aqueles enormes blocos juntos na construção de um monumento com 150 metros de altura. Algumas das maiores pedras pesavam cerca de 80 toneladas.

Ela originalmente tinha uma face de calcário branco polido, consistindo de 115.000 pedras acabadas em todos os seis lados retos a uma precisão de 0,25mm. Cortadas em bisel, elas se encaixavam com juntas de menos de 0,5mm. Elas foram cimentadas juntas e polidas para um alto brilho. É dito que a pirâmide brilhava como se feita da própria luz e podia ser vista a centenas de quilômetros de distância.

Toda a estrutura se apóia sobre 4 pilares que se encaixam em soquetes cortados no leito rochoso. Essas pedras foram projetadas para compensar mudanças de temperatura. Elas mantém a pirâmide no esquadro e nivelada em todo tempo, e de fato ela está no esquadro em todos os sentidos.

Ela se volta para o norte mais precisamente do que nós podemos posicionar edifícios hoje de tal forma que cada lado aponta para um dos pontos cardeais. Sua sombra prediz equinócios e solstícios.

Originalmente ela deveria ter um pináculo de ouro sólido que seria um modelo em escala da própria pirâmide. Ela nunca foi colocada porque os construtores a rejeitaram. Somente em uma pirâmide um pináculo pode ser também a cabeça de esquina (Salmos 118:22 e Mat. 21:42)

Uma entrada única no lado Norte se abre em uma passagem que desce 45 metros para a base de onde desce outros 60 metros para o leito rochoso em uma linha reta com a precisão de 6mm ao longo de seus 107m de comprimento. A passagem, as câmaras e as entradas de ar foram pré-cortadas nas pedras antes de serem colocadas e apareceram em sua forma finalizada à medida que as pedras foram encaixadas.

Em um único dia na história o ângulo dessa passagem, olhando para cima a partir do fundo, apontou diretamente para a estrela do norte. Se você pudesse traçar uma linha vertical da pirâmide até o céu naquele dia, ela cruzaria com o centro exato da nossa galáxia. Esse dia foi o equinócio vernal em 2141 AC. Um tal alinhamento acontece somente uma vez a cada 26.000 anos. Como veremos abaixo, os construtores aparentemente sabiam disso antecipadamente e planejaram sua construção em conformidade.

A Grande Pirâmide também foi construída exatamente no centro de massa da Terra. Quantidades iguais de terra estão contidas em cada um dos quadrantes desenhados a partir de seus 4 cantos. Sua altura de 138 metros é a mesma que a altitude média acima do nível do mar de toda a terra no planeta.

Os lados são côncavos na base. Sua curvatura se conforma com a curvatura da superfície da Terra, assim, se você pudesse traçar um círculo a partir de quaisquer dois cantos adjacentes ela seria igual à circunferência da Terra no Equador.

O côvado sagrado foi a unidade de medida usada na construção da Grande Pirâmide. Diferentemente dos côvados padrão e real referidos na Bíblia, seu comprimento é 25 polegadas de pirâmide, que são quase o mesmo que a polegada utilizada hoje nos EUA. Essas unidades de medida foram gravadas na parede, e podem servir para decodificar as dimensões da pirâmide. Por exemplo, o côvado sagrado multiplicado por 10 milhões é igual ao raio polar da terra. Multiplicando o peso total da pirâmide por 1000 trilhões obtem-se o peso do planeta Terra.

Em Hebraico cada letra tem um valor numérico. A altura da pirâmide em polegadas é igual à soma de todas as letras da versão Hebraica de Isaías 19:19-20 (5449). Entradas de ar mantinham a temperatura interna em exatos 20°C, o mesmo que a temperatura média da Terra. Se pudesse subir pela lateral da pirâmide, você subiria 2,74m (9 pés) em elevação vertical para cada 3,05m (10 pés) cobertos.

Ela contem uma única peça de mobília, uma caixa do mesmo tamanho da Arca do Concerto. Ela está localizada na Câmara do Rei, um aposento com o mesmo volume cúbico que o mar de bronze do Templo de Salomão. A caixa é um pouquinho grande demais para caber na passagem, então ela teve que ser colocada lá enquanto a pirâmide era construída, mais de 1000 anos antes que Deus desse a Moisés as dimensões da Arca.

A passagem principal descende em um ângulo de 26 graus 18 minutos e 9 segundos. Este é chamado de ângulo de Cristo, porque uma linha traçada da Pirâmide até Belém ficaria a 26 graus 18 minutos e 9 segundos do norte verdadeiro. Na base da passagem de entrada há uma câmara rústica chamada de poço sem fundo. Juntas a passagem e a câmara simbolizam a queda do homem a partir do pecado de Adão, uma descida gradual direto para o Inferno.

Marcas gravadas na parede com antecedência estão ligadas ao equinócio vernal em 2141 AC, o único dia na história em que as estrelas se alinharam com a pirâmide, como descrito acima. Quem quer que tenha feito a gravação sabia de antemão que isso aconteceria e projetou os comprimentos das diversas passagens para servirem como linhas de tempo para prever eventos futuros significantes. Por exemplo, a distância da marca inicial até o lugar em que a íngreme passagem de teto baixo em direção à Câmara do Rei cruza com a descendente passagem de entrada prediz a data quando a Lei foi dada no Monte Sinai. Simboliza a abertura de um novo caminho para os homens, desta vez uma difícil subida guiando-o de volta para Deus. Em um ponto acima em direção à Câmara do Rei, outra curta passagem leva para a Câmara da Rainha. A distância até essa passagem se converte no ano em que Jesus foi crucificado e simboliza o alívio do difícil caminho da Lei que foi comprado na cruz.

Então, parece que a Câmara da Rainha representa a Igreja. A Grande Galeria logo antes da Câmara do Rei consiste em 7 níveis de granito rosa polido e simboliza o Milênio. E a Câmara do Rei representa a Eternidade. Os aficcionados pela pirâmide vêem outras datas significantes da Cristandade preditas nos comprimentos das várias passagens e câmaras, mas até agora a data da 2ª Vinda lhes escapou.

Quem Construiu a Grande Pirâmide?
A identidade do arquiteto é desconhecida, mas três candidatos aparecem no topo da maioria das listas:

  1. Eusébio cita um historiador Egípcio chamado Manetheo que atribui a construção aos Hyksos ou Reis Pastores que vieram da Arábia, conquistaram o Egito sem batalha, destruíram seus templos pagãos e converteram o Egito ao monoteísmo. Eles construíram a Grande Pirâmide e então partiram para a Judéia. Jó, que dá nome um dos livros da Bíblia, pode ter sido parte desse grupo. Uma geração depois os Egípcios reverteram ao paganismo
  2. Alguns dizem que foi Enoque, fazendo da Pirâmide um monumento pré-diluviano como a Esfíngie próxima. Se você medir um lado de canto a canto em cúbitos sagrados, é igual a 365,242, o número de dias em nosso ano e a idade de Enoque quando foi arrebatado. (Por causa de sua natureza côncava, existem três formas de se medir um lado. Uma forma é igual ao ano solar. A segunda forma é igual ao ano sideral, um pouco maior, com 365,256, e a terceira forma é igual ao ano anomalístico de 365,259 dias. Os dois últimos são mais usados em astronomia. Se isso não é impressionante o suficiente para você, tenha em mente que nenhuma dessas medidas se aplicaria até 1300 anos depois quando o comprimento da órbita da Terra aumentou em 5,25 dias.)
  3. O mais popular é Sem, filho de Noé. Sem sobreviveu a 8 das 9 primeiras gerações depois do Dilúvio, e ainda sobreviveu a Abraão. Alguns crêem que Sem era o sacerdote chamado Melquisedeque em Gêneses 14.

Independentemente de qual dessas opções lhe agrade, os fatos permanecem de que o construtor conhecia todas as dimensões da Terra e tinha domínio da engenharia, da astronomia e da matemática que seria impressionante até mesmo hoje em dia. Pense nisso. Esse cara conhecia o peso e a curvatura da Terra, a irregularidade dessa curvatura nos polos, a localização e o tamanho de todas as massas de terra e sua altitude acima do nível do mar, a temperatura média da Terra, suas escalas de latitude e longitude, a direção exata do norte verdadeiro, a localização das estrelas e o fato de que 1300 anos depois a órbita da Terra mudaria, aumentando em 5,24 dias.

Ele sabia como fazer coisas totalmente planas, retas e no esquadro, e como pré-cortar e posicionar gigantescos pedaços de pedra de forma que quando no lugar eles se encaixassem tão perfeitamente que cada camada estivesse nivelada e no esquadro ainda hoje. Ele sabia como calcular os coeficientes de expansão e contração e compensá-los. A lista continua. Se esse cara não tinha ele mesmo capacidade sobrenatural, ele certamente foi auxiliado por Alguém que tem.

Qual é o Ponto
Como a Arca de Noé, a Esfíngie e outros, a Grande Pirâmide pode ser evidência de uma geração ainda futura a nós. Seu desenho e construção obviamente sobrenaturais a tornam uma testemunha única da Glória de Deus.

Crença Pela Evidência
Nos tempos do Antigo Testamento as pessoas conseguiam e mantinham sua crença em Deus através de evidências físicas de Sua existência. Deus provocou terremotos, secou rios e mares, fez cair os muros de cidades e mandou fogo e granizo sobre Seus inimigos. E qualquer um poderia vir a Jerusalém testemunhar Sua presença em primeira mão quando Fogo do Céu consumia os sacrifícios sobre o altar. Não importa de que direção ou com que velocidade o vento soprasse, a fumaça do altar sempre subia reta para o céu.

Todo outono, no Yom Kippur, o bode expiatório era trazido diante do Sumo Sacerdote e os pecados da nação eram transferidos para ele. Enquanto o povo observava, uma fita escarlate era atada de um dos chifres do bode até a porta do Templo. Quando o bode era levado para o deserto essa fita era cortada deixando um pedaço pendurado na porta e um pedaço no chifre do bode. Em um lugar designado o bode era empurrado de um penhasco para a morte. Naquele momento o pedaço da fita na porta do Templo mudava de cor do escarlate para o branco cumprindo Isaías 1:18. "Ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve." Todas essas coisas eram plenamente visíveis, irrefutáveis evidências da presença de Deus.

Crença Pela Fé
Quando o Senhor veio, tudo mudou. Nada mais de eventos grandiosos e temíveis para provar a existência de Deus. O maior de todos acontecera. Ele veio habitar entre nós. Depois da Sua morte, a fita nunca mais mudou de cor.

No Domingo da Ressurreição ele saiu da sepultura tendo conquistado o pecado e a morte. Naquela noite Ele apareceu para Seus discípulos no Senáculo. Tomé não estava e se recusou a crer nos outros. No domingo seguinte Ele apareceu novamente e desta vez Tomé estava lá. Chegou Jesus, estando as portas fechadas, e apresentou-se no meio, e disse: "Paz seja convosco." Depois disse a Tomé: "Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente".

E Tomé respondeu, e disse-lhe: "Senhor meu, e Deus meu!"

Disse-lhe Jesus: "Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram." (João 20:26-29)

Bem-aventurados os que não viram e creram. Ele estava falando de Sua Igreja e das inacreditáveis bênçãos que se somariam em nosso benefício. A era da crença somente pela fé havia chegado.

Em breve a Igreja desaparecerá e o Senhor nos disse que, à medida em que o fim se aproximar, as pessoas sobre a Terra novamente verão muitas evidências de Sua existência. Será como nos tempos do Antigo Testamento novamente. Milagres óbvios, enormes desastres naturais, clima incontrolável, até que finalmente os céus se abrirão e como flashes de relâmpagos que são visíveis desde o Leste até o Oeste, todo olho verá Sua Gloriosa Aparição.

Durante o tempo até o Seu retorno, eu creio que a Arca de Noé reaparecerá e a verdadeira origem de monumentos como Stonehenge, a Ilha de Páscoa e outros será conhecida como evidência da existência de Deus. E a Grande Pirâmide será restaurada e uma vez mais estará no Egito como o monumento e a testemunha do Senhor que Isaías profetizou, trazendo salvação para o povo de lá. Ao Senhor clamarão por causa dos opressores, e ele lhes enviará um salvador e um protetor, que os livrará. (Isaías 19:20)

Naquele dia haverá estrada do Egito até à Assíria, e os assírios virão ao Egito, e os egípcios irão à Assíria; e os egípcios servirão com os assírios. Naquele dia Israel será o terceiro com os egípcios e os assírios, uma bênção no meio da terra. Porque o Senhor dos Exércitos os abençoará, dizendo: "Bendito seja o Egito, meu povo, e a Assíria, obra de minhas mãos, e Israel, minha herança." (Isaías 19:23-25) 19-02-11

(Para um tour virtual pela Grande Pirâmide siga este link - em Inglês: Guardian's Giza)