Os Tempos do Fim Segundo Isaías, Parte 9

Estudo Bíblico por Jack Kelley

Neste capítulo, veremos um pouco mais de detalhes sobre as bênçãos que Israel receberá na Era do Reino, e também veremos a resposta do Senhor àqueles que dizem que Suas promesas a Israel foram canceladas porque eles rejeitaram o Messias.

Isaías 40:1-14. Consolo para o Povo de Deus
Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus. Falai benignamente a Jerusalém, e bradai-lhe que já a sua milícia é acabada, que a sua iniqüidade está expiada e que já recebeu em dobro da mão do Senhor, por todos os seus pecados. (Isaías 40:1-2)

Depois da 2ª Vinda, a atitude do mundo sobrevivente para com Israel mudará quando o Senhor ordenar a eles que falem palavras de paz e consolo para o Seu povo. Em Isaías 61:7 veremos que ao invés de sua vergonha, o povo de Deus receberá uma porção dupla de alegria em sua herança.

Voz do que clama no deserto: "Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo vereda a nosso Deus. Todo o vale será exaltado, e todo o monte e todo o outeiro será abatido; e o que é torcido se endireitará, e o que é áspero se aplainará. E a glória do Senhor se manifestará, e toda a carne juntamente a verá, pois a boca do Senhor o disse." (Isaías 40:3-5)

João Batista citou a primeira parte desta passagem quando os oficiais Judeus lhe perguntaram quem ele era (João 1:23). Seu cumprimento total acontecerá quando o Senhor retornar. Nos tempos Bíblicos, quando um Rei estava para fazer uma viagem, equipes de construção eram enviadas adiante para nivelar e aplanar a estrada. Vales eram preenchidos, os montes eram nivelados e todas as irregularidades removidas do caminho, para que o Rei não sentisse nenhum desconforto ou experimentasse qualquer atraso em sua viagem. Quando o Senhor retornar isto será realizado sobrenaturalmente aos olhos de todos enquanto a própria criação responder com alegria à chegada do Rei Messias.

Uma voz diz: "Clama;"

E alguém disse: "Que hei de clamar?"

"Toda a carne é erva e toda a sua beleza como a flor do campo. Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente." (Isaías 40:6-8)

Pelos últimos 2000 anos muitas pessoas duvidaram que isso jamais acontecesse. Teólogos cultos se postaram nos auditórios de nossos seminários e nos púlpitos de nossas igrejas negando esse dia. Pedro nos advertiu que isso ocorreria.

Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências, e dizendo: "Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação." (2 Pedro 3:3-4)

Alguns têm ensinado que as profecias a respeito do Senhor e Israel foram cumpridas antes da destruição de Jerusalém em 70 AD, e que nós devemos ver as passagens proféticas da Bíblica como históricas.

Outros têm dito que não haveria um retorno literal do Senhor para ninguém, que as profecias que falam disso deveriam ser vistas como alegorias, não fatos, cumpridas quando convidamos o SAenhor a entrar em nosso coração

E outros ainda disseram que mesmo que o Senhor realmente retorne, não será para Israel. Eles disseram que ao rejeitar o Messias, Israel foi desqualificado para receber as promessas de Deus, deixando a Igreja como o único beneficiário de Deus. Esta doutrina, conhecida como teologia da substituição, está no núcleo da crença protestante liberal ainda hoje.

Mas essas visões de homens não têm mais valor do que ervas e flores que secam e são sopradas para longe. O Senhor deixou promessas claras para o Seu povo e Sua palavra persiste para sempre.

Tu, ó Sião, que anuncias boas novas, sobe a um monte alto. Tu, ó Jerusalém, que anuncias boas novas, levanta a tua voz fortemente; levanta-a, não temas, e dize às cidades de Judá:

"Eis aqui está o vosso Deus."

Eis que o Senhor Deus virá com poder e seu braço dominará por ele; eis que o seu galardão está com ele, e o seu salário diante da sua face. Como pastor apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos, e os levará no seu regaço; as que amamentam guiará suavemente. (Isaiah 40:9-11)

Àqueles a quem foi ordenado consolar Seu povo agora é pedido que sigam adiante do Senhor e O apresentem a eles. Jesus citou esta passagem em Apocalipse 22:12. "E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra." E qual é o Seu galardão? Eles serão o Seu povo e Ele será o seu Deus. Este é o cumprimento final da 4ª taça do Passover, "E eu vos tomarei por meu povo, e serei vosso Deus." (Exodo 6:7) Como um pastor acolhe seu rebanho, Ele atenderá a todas as necessidades do Seu povo.

E Quanto ao Resto de Vós ...Isaías 40:12-14, Isaías 41:8-16
Quem mediu na concha da sua mão as águas, e tomou a medida dos céus aos palmos, e recolheu numa medida o pó da terra e pesou os montes com peso e os outeiros em balanças? Quem guiou o Espírito do Senhor, ou como seu conselheiro o ensinou? Com quem tomou ele conselho, que lhe desse entendimento, e lhe ensinasse o caminho do juízo, e lhe ensinasse conhecimento, e lhe mostrasse o caminho do entendimento? (Isaías 40:12-14)

O intelectuais convencidos que escarneceram das profecias e disseram que elas significavam alguma outra coisa terão um tempo difícil respondendo a essas perguntas. Esta passagem me lembra do confronto entre Deus e Jó (Jó 40-41), e como ele eles estarão sem palavras. É como se o Senhor estivesse dizendo, "Quem são vocês para dizer ao meu povo o que Eu quero dizer? Vocês fizeram as coisas que Eu fiz? Vocês algum dia entenderam o Meu Espírito? Alguma ves Eu os procurei para pedir um conselho ou a sua opinião?" Daquele dia o Senhor disse, "a sabedoria dos seus sábios perecerá, e o entendimento dos seus prudentes se esconderá." (Isaías 29:14)

"Porém tu, ó Israel, servo meu, tu Jacó, a quem elegi descendência de Abraão, meu amigo; tu a quem tomei desde os fins da terra, e te chamei dentre os seus mais excelentes, e te disse: Tu és o meu servo, a ti escolhi e nunca te rejeitei. Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça." (Isaías 41:8-10)

A despeito daqueles que alegorizam as profecias e dizem que Israel não tem nenhum propósito no mundo hoje, o Senhor reunirá o Seu povo desde os mais longínquos recantos da Terra e os trará para casa, assim como o pastor busca suas ovelhas espalhadas e reúne seu rebanho.

"Eis que, envergonhados e confundidos serão todos os que se indignaram contra ti; tornar-se-ão em nada, e os que contenderem contigo, perecerão. Buscá-los-ás, porém não os acharás; os que pelejarem contigo, tornar-se-ão em nada, e como coisa que não é nada, os que guerrearem contigo. Porque eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo: Não temas, eu te ajudo. Não temas, tu verme de Jacó, povozinho de Israel; eu te ajudo, diz o SENHOR, e o teu redentor é o Santo de Israel." (Isaías 41:11-14)

Os inimigos de Israel se tornarão em nada, e não mais serão encontrados. Como seu pastor, o Senhor protegerá e defenderá Seu povo. A última frase desta passagem revela um interessante segredo. Nós já sabemos que quando vemos a palavra SENHOR toda em maiúsculas, significa que o texto Hebraico contem as 4 iniciais do nome de Deus, JHVH (YHWH). Isto significa que o nome de Deus o Pai se encaixa aqui.

Mas a plavra Hebraica para redentor somente é usada para o redentor familiar, o Flho. E ainda que ambos o Pai e o Filho estejam em vista, Deus fez Isaías escrever "Eu mesmo te ajudarei." Ista é uma das muitas pistas nas Escrituras de que Jesus estava sendo literalmente correto quando disse, "Eu e o Pai somos um." (João 10:30) Não somente um em propósito, ou de uma mesma família, mas literalmente um. Como Ele disse a Felipe, "Quem me vê a mim vê o Pai." (João 14:9)

"Eis que farei de ti um trilho novo, que tem dentes agudos; os montes trilharás e moerás; e os outeiros tornarás como a pragana. Tu os padejarás e o vento os levará, e o redemoinho os espalhará; mas tu te alegrarás no Senhor e te gloriarás no Santo de Israel." (Isaías 41:15-16)

Ainda mais do que hoje o "pequeno" Israel será uma força a ser reconhecida no Fim dos Tempos. Montanhas e montes representam governos aqui e antes que acabe, o governo do Senhor será o único restante. Todos os outros terão sido soprados como palha ao vento.

Daniel descreveu o destino dos governos do mundo quando confrontados com o Reino de Deus em termos similares. Primeiro a visão que Nabucodonosor viu em seu sonho. A estátua representa os quatro governos Gentílicos que governaram o mundo desde o tempo de Daniel até hoje.

Estavas vendo isto, quando uma pedra foi cortada, sem auxílio de mão, a qual feriu a estátua nos pés de ferro e de barro, e os esmiuçou. Então foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro, os quais se fizeram como pragana das eiras do estio, e o vento os levou, e não se achou lugar algum para eles; mas a pedra, que feriu a estátua, se tornou grande monte, e encheu toda a terra. (Daniel 2:34-35)

E agora a interpretação de Daniel.

O Deus do céu levantará um reino que não será jamais destruído; e este reino não passará a outro povo; esmiuçará e consumirá todos esses reinos, mas ele mesmo subsistirá para sempre, da maneira que viste que do monte foi cortada uma pedra, sem auxílio de mãos, e ela esmiuçou o ferro, o bronze, o barro, a prata e o ouro; o grande Deus fez saber ao rei o que há de ser depois disto. Certo é o sonho, e fiel a sua interpretação. (Daniel 2:44-45)

A história nos diz que o ferro representa Roma, o bronze a Grécia, a prata a Pérsia e o ouro Babilônia. A profecia mostra que a Rocha que os destruirá a todos é o Reino de Deus.

Naquele dia também acontecerá que sairão de Jerusalém águas vivas, metade delas para o mar oriental, e metade delas para o mar ocidental; no verão e no inverno sucederá isto. E o Senhor será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o Senhor, e um será o seu nome. (Zac. 14:8-9)

Ao final do dia do Seu retorno, o Senhor será Rei sobre toda a Terra e o trono do Seu Reino, Israel.

Não Mais Maldição Para Sempre. Isaías 41:17-20
"Os aflitos e necessitados buscam águas, e não há, e a sua língua se seca de sede; eu o Senhor os ouvirei, eu, o Deus de Israel não os desampararei. Abrirei rios em lugares altos, e fontes no meio dos vales; tornarei o deserto em lagos de águas, e a terra seca em mananciais de água. Plantarei no deserto o cedro, a acácia, e a murta, e a oliveira; porei no ermo juntamente a faia, o pinheiro e o álamo. Para que todos vejam, e saibam, e considerem, e juntamente entendam que a mão do Senhor fez isto, e o Santo de Israel o criou." (Isaías 41:17-20)

Em lugar do espinheiro crescerá a faia, e em lugar da sarça crescerá a murta; o que será para o Senhor por nome, e por sinal eterno, que nunca se apagará. (Isaías 55:13)

Essas duas referências confirmam a promessa anterior do Senhor de que a maldição que tem assolado a Terra desde os dias de Adão e Eva será retirada. Israel será um jardim do paraíso com regatos de montanha e vales férteis. Todos os que olharem para isto entenderão que O Santo de Israel o criou. Como o arco-iris era um sinal de que nunca mais haveria uma enchente global (Gêneses 9:12-17), Israel será um sinal de que a maldição se foi para sempre.

"Eis que vêm dias," diz o Senhor, "em que o que lavra alcançará ao que sega, e o que pisa as uvas ao que lança a semente; e os montes destilarão mosto, e todos os outeiros se derreterão. E trarei do cativeiro meu povo Israel, e eles reedificarão as cidades assoladas, e nelas habitarão, e plantarão vinhas, e beberão o seu vinho, e farão pomares, e lhes comerão o fruto. E plantá-los-ei na sua terra, e não serão mais arrancados da sua terra que lhes dei, diz o Senhor teu Deus." (Amós 9:13-15)

Mas assentar-se-á cada um debaixo da sua videira, e debaixo da sua figueira, e não haverá quem os espante, porque a boca do SENHOR dos Exércitos o disse. (Miquéias 4:4)

O que aprendemos até aqui é que no começo do Milênio todos os inimigos de Israel terão desvanecido. O Messias será Rei de toda a Terra. Todo cidadão de Israel será um Judeu Messiânico. A maldição desaparecerá e o planeta terá sido restaurado ao paraiso que era quando Adão chegou para tomar o domínio sobre ele. Satanás será atado e suas hostes demoníacas derrotadas. Parece muito bom, mas tem muito mais por vir. Fique ligado. 07-03-09