Os Tempos do Fim Segundo Isaías, Parte 11

Estudo Bíblico por Jack Kelley

Aqui temos um novo vislumbre da Grande Tribulação, a promessa de Deus de preservar Israel através dela e uma bela imagem da glória futura de Sião. Neste ponto você compreende que este é um tema recorrente em Isaías, mas a cada vez olhamos para ele recebemos novas informações e esta vez não é exceção.

Isaías 51:17-23, A Taça da Ira de Deus
Desperta, desperta, levanta-te, ó Jerusalém, que bebeste da mão do SENHOR o cálice do seu furor; bebeste e sorveste os sedimentos do cálice do atordoamento. (Isaías 51:17)

Esta é uma referência à Grande Tribulação, durante a qual o terceiro e último ciclo da ira de Deus será derramado sobre a Terra. Lembre-se mais uma vez que o duplo propósito da Grande Tribulação é destruir completamente as nações e disciplinar (mas não destruir) Israel (Jeremias 30:11)

De todos os filhos que ela teve, nenhum há que a guie mansamente; e de todos os filhos que criou, nenhum há que a tome pela mão. Estas duas coisas te aconteceram; quem terá compaixão de ti? A assolação, e o quebrantamento, e a fome, e a espada! Por quem te consolarei? Os teus filhos já desmaiaram, jazem nas entradas de todos os caminhos, como o antílope na rede; cheios estão do furor do SENHOR e da repreensão do teu Deus.

Portanto agora ouve isto, ó aflita, e embriagada, mas não de vinho. Assim diz o teu SENHOR o SENHOR, e o teu Deus, que pleiteará a causa do seu povo: "Eis que eu tomo da tua mão o cálice do atordoamento, os sedimentos do cálice do meu furor, nunca mais dele beberás. Porém, pô-lo-ei nas mãos dos que te entristeceram, que disseram à tua alma: Abaixa-te, e passaremos sobre ti; e tu puseste as tuas costas como chão, e como caminho, aos viandantes." (Isaías 51:18-23)

Nenhum dos líderes modernos de Israel terá feito o que é necessário para livrar Israel da Grande Tribulação. O Senhor nos disse que esse tempo de juízo será tão severo que se Ele permitisse seguir o seu curso, ninguém sobreviveria. Mas, por causa dos Seus eleitos, Ele porá fim a ele no tempo determinado (Mat. 24:22) que é 1260 dias depois do seu início. Logo antes do fim, o Senhor derramará sobre o Seu povo um espírito de graça e súplicas. Eles finalmente reconhecerão seu Messias, aquele a quem traspassaram (Zacarias 12:10) e isso porá fim aos seus problemas para sempre. Quando tudo estiver terminado as nações descrentes que oprimiram e atormentaram Israel terão sido totalmente derrotadas.

Nota: Alguns podem estar imaginando por que eu não incluí Isaías 52 aqui, especialmente porque a referência à Assíria em Isaías 52:4 está sendo usada atualmente para apoiar a posição de que o Anticristo será Assírio. Se você ler Isaías 52 com cuidado, verá que o contexto do capítulo é o cativeiro Babilônico, um juízo de 70 anos que começou em 586 AC. Com efeito o Senhor estava olhando para trás desde o tempo do cativeiro Babilônico e dizendo, "Primeiro foi o Egito, depois ultimamente (recentemente) foia a Assíria quem oprimiu o meu povo. E agora, o que Eu tenho aqui?" (Isaías 52:4-5)

A resposta não dada é Babilônia, que sujeitaria o Seu povo a um terceiro round de opressão. Sabemos isto porque quando Isaías estava escrevendo, a Assíria estava prestes a conquistar o Reino do Norte e 100 anos depois Babilônia levaria o Reino do Sul para longe. E, os versos 8-9 falam de um espia entre as ruínas de Jerusalém observando os cativos que retornavam. No verso 10 o Senhor diz que por causa do seu retorno todas as nações do mundo veriam Sua salvação (a palavra Hebraica é Yeshua). Não tivesse o Senhor libertado o Judeus para voltarem e reconstruirem sua nação, Jesus não poderia ter vindo pregar o evangelho nas montanhas de Israel (Isaías 52:7). Finalmente, os versos 11 e 12 referem-se aos cativos recém libertos deixando Babilônia de forma ordenada com os vasos do Templo que Nabucodonosor havia levado para o seu museu, e que Ciro havia devolvido aos Judeus quando os libertou.

Dizer que Isaías 52:4 identifica o Anticristo como Assírio é incorreto por duas razões. Primeiro a linguagem se refere à nação da Assíria, não a uma pessoa de descendência Assíria. E segundo, não há justificativa Bíblica para tomar esse único verso fora do contexto histórico do capítulo e declarar que ele aponta para o Fim dos Tempos. Apesar de Isaías 52 ter sido escrito como profecia, ela se cumpriu na história e não se destina ao futuro.

Isaías 54, A Glória Futura de Sião
"Canta alegremente, ó estéril, que não deste à luz; rompe em cântico, e exclama com alegria, tu que não tiveste dores de parto; porque mais são os filhos da mulher solitária, do que os filhos da casada," diz o SENHOR.

"Amplia o lugar da tua tenda, e estendam-se as cortinas das tuas habitações; não o impeças; alonga as tuas cordas, e fixa bem as tuas estacas. Porque transbordarás para a direita e para a esquerda; e a tua descendência possuirá os gentios e fará que sejam habitadas as cidades assoladas." (Isaías 52:1-3)

Esta é outra indicação de que o povo de Deus não terá idéia de quão longe foram dispersos, nem de quão grandes em número eles se tornaram. A nação expandirá para finalmente encher as fronteiras originalmente designadas para eles porém jamais habitadas permanentemente, e nesse processo as nações vizinhas terão que se mudar para abrir espaço. O Líbano e a Síria são exemplos de países cujas fronteiras mudarão, e é claro o estado Palestino, tão ardentemente desejado pelos líderes mundiais de hoje mas nunca parte da história, nem sequer existirá.

"Não temas, porque não serás envergonhada; e não te envergonhes, porque não serás humilhada; antes te esquecerás da vergonha da tua mocidade, e não te lembrarás mais do opróbrio da tua viuvez. Porque o teu Criador é o teu marido; o SENHOR dos Exércitos é o seu nome; e o Santo de Israel é o teu Redentor; que é chamado o Deus de toda a terra. Porque o SENHOR te chamou como a mulher desamparada e triste de espírito; como a mulher da mocidade, que fora desprezada," diz o teu Deus. (Isaías 54:4-6)

Alguma vez um racha entre você e um filho ou uma pessoa amada se arrastou e continuou porque ele ou ela não admitia haver um problema? Em Oséas 5:15 o Senhor disse que voltaria para o lugar de onde veio até que Seu povo admitisse seu pecado (singular). Ele tem esperado por 2000 anos. Logo antes do fim da Grande Tribulação, em um ponto em que eles estarão à beira da derrota, Ele finalmente abrirá suas mentes para entender o que fizeram e eles olharão para Ele em profunda lamentação (Zac. 12:10)

Em Mateus 27:25 eles aceitaram a responsabilidade pela morte do Senhor, dizendo, "O seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos." Desde então, tudo o que eles têm que fazer é admitir seu pecado. Assim que o fizerem, eles serão perdoados. Joel 3:21 diz, "E purificarei o sangue dos que eu não tinha purificado." Seu pecado será imediatamente esquecido e eles serão restaurados à sua glória anterior, como uma mulher repudiada que foi recebida de volta ao casamento.

"Por um breve momento te deixei, mas com grandes misericórdias te recolherei; com um pouco de ira escondi a minha face de ti por um momento; mas com benignidade eterna me compadecerei de ti," diz o SENHOR, o teu Redentor.

"Porque isto será para mim como as águas de Noé; pois jurei que as águas de Noé não passariam mais sobre a terra; assim jurei que não me irarei mais contra ti, nem te repreenderei. Porque os montes se retirarão, e os outeiros serão abalados; porém a minha benignidade não se apartará de ti, e a aliança da minha paz não mudará, diz o Senhor que se compadece de ti." (Isaías 54:7-10)

Como sempre, quando o Senhor perdoa, Ele também esquece, e o passado deixa de existir. Para Israel, o mesmo pecado que os desamparou tornou possível o perdão que os restaurará. O Sangue de Jesus é suficiente para lavar até mesmo o pecado que o fez ser derramado, e será como se nunca tivesse acontecido. Mas mais do que isso, Seu sangue comprou uma promessa de que nunca mais Ele olhará para eles em ira, nunca mais Ele os repreenderá. Pense nisso, porque foi exatamente isto que Deus prometeu a você quando aceitou a Sua morte como pagamento por seus pecados. O Novo Concerto terá finalmente chegado a Israel, exatamente como Jeremias prometeu (Jeremias 31:31-34)

"Tu, oprimida, arrojada com a tormenta e desconsolada, eis que eu assentarei as tuas pedras com todo o ornamento, e te fundarei sobre as safiras. E farei os teus vitrais de rubis, e as tuas portas de carbúnculos, e todos os teus termos de pedras aprazíveis. E todos os teus filhos serão ensinados do Senhor; e a paz de teus filhos será abundante. Com justiça serás estabelecida; estarás longe da opressão, porque já não temerás; e também do terror, porque não chegará a ti. Eis que seguramente poderão vir a juntar-se contra ti, mas não será por mim; quem se ajuntar contra ti cairá por causa de ti." (Isaías 54:11-15)

A Cidade Santa será bela além de qualquer descrição, uma verdadeira obra de arte. Todos conhecerão o Senhor e serão ensinados por Ele pessoalmente. Sua paz será tão real que eles poderão sentí-la. Nunca mais líderes tirânicos os trairão. Ataques terroristas serão uma coisa do passado distante, não mais a ser temida. Se alguém se atrever a atacá-los, assim como acontecerá no final do Milênio (Apo. 20:9), o resultado do seu desatino será a derrota certa

"Eis que eu criei o ferreiro, que assopra as brasas no fogo, e que produz a ferramenta para a sua obra; também criei o assolador, para destruir. Toda a ferramenta preparada contra ti não prosperará, e toda a língua que se levantar contra ti em juízo tu a condenarás; esta é a herança dos servos do Senhor, e a sua justiça que de mim procede, diz o SENHOR." (Isaías 54:16-17)

Como o Senhor controla os fabricantes de armas, Ele também assegura que quaisquer armas feitas para uso contra Israel não estejam à altura da tarefa. Fiel à profecia, esta tem sido a herança dos servos do Senhor no que diz respeito a Israel. Eis aqui um notável exemplo entre tantos.

Em 1917, o exército Britânico estava determinado a capturar Jerusalém dos Turcos. O General Edmond Allenby, o comandante Britânico e um crente apaixonado, pediu ao Senhor para ajudá-lo a tomar a cidade sem batalha, a fim de evitar o derramamento de sangue e a destruição que ocorreria de outra forma. Em resposta, o Senhor lhe deu Isaías 31:5. "Como as aves voam, assim o Senhor dos Exércitos amparará a Jerusalém; ele a amparará, a livrará e, passando, a salvará."

 

O General Allenby começou a reunir todos os aviões que pode encontrar (naqueles dias não existiam muitos) e despejou sobre Jerusalém panfletos que diziam "Entreguem a cidade hoje. Allenby." Sem que ele soubesse, quando os panfletos foram impressos o interprete Árabe errou na tradução do seu nome, então a mensagem foi assinada por Alla Bay, que para os Muçulmanos significa "Filho de Deus." Pensando terem recebido uma mensagem de Deus, os Árabes fugiram da cidade e as tropas Britânicas a tomaram sem uma batalha.

 

Vez após outra os militares Israelenses têm derrotado as forças combinadas de seus substancialmente maiores inimigos, às vezes de formas que nunca foram explicadas satisfatoriamente a todos. Poderia ser Deus? Isaías certamente diria, "Sim." Na futura Batalha de Ezequiel 38, Israel e o mundo todo finalmente terão certeza do poderoso aliado da nação Judaica.

"E farei conhecido o meu santo nome no meio do meu povo Israel, e nunca mais deixarei profanar o meu santo nome; e os gentios saberão que eu sou o SENHOR, o Santo em Israel. Eis que vem, e se cumprirá," diz o SENHOR Deus. (Eze 39:7-8)

Estamos nos aproximando do fim desta série, mas ainda há muito mais coisas boas antes de chegarmos lá. Fique conosco. 21-03-09