Compreendendo as Parábolas do Sermão do Monte - Parte 2

Conclusão de um Estudo Bíblico em Duas Partes por Jack Kelley

Tendo demonstrado que a relação que os crentes da Tribulação terão com o Senhor é substancialmente diferente daquela de que goza a Igreja, vamos ver os 4 exemplos que o Senhor nos deu sobre a situação que irá encontrar na Terra quando voltar. Lembre-se, os crentes da Tribulação serão responsáveis por manter a sua própria justiça durante um período da mais intensa perseguição que o mundo já conheceu. E eles terão de fazê-lo sem saber exatamente quando eles vão vê-lo voltar para resgatá-los. Esses 4 exemplos mostram que alguns serão bem sucedidos e outros não.

A Parábola dos Servos
Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o seu senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo? Bem-aventurado aquele servo que o seu senhor, quando vier, achar servindo assim. Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens.

Mas se aquele mau servo disser no seu coração: O meu senhor tarde virá; e começar a espancar os seus conservos, e a comer e a beber com os ébrios, virá o senhor daquele servo num dia em que o não espera, e à hora em que ele não sabe, e separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas; ali haverá pranto e ranger de dentes. (Mateus 24:45-51)

O irmão do Senhor emitiu uma advertência em Tiago 3:1 que muitos não deve presumir a ser mestres, porque aqueles que ensinam serão julgados com maior rigor. O pior castigo é sempre reservado para os encarregados, chefes de grupos religiosos organizados que, em vez de "alimentar" os seus rebanhos com o Pão da Vida e incentivá-los com a promessa de retorno do Senhor, oprimem-nos com as exigências legalistas (batem neles) e os confundem e enganam com falsas doutrinas que negam a validade da palavra profética de Deus (comer e beber com os bêbados). Por suas ações irão demonstrar a depravação de suas próprias almas, mostrando-se desprovidos do Espírito Santo e dignos de punição. Conscientemente ou não, eles estão infiltrados em campo inimigo. Paulo descreveu os falsos mestres como servos de Satanás disfarçados de servos da justiça. (2 Coríntios 11:14)

Tendo abandonado a verdade que não vão mais estar esperando o retorno do Senhor, ignorando o óbvio cumprimento da profecia ao seu redor e ridicularizando aqueles cuja fé como de uma criança os sustenta. Eles são o pior inimigo, porque se parecerão com amigos. Eles são como aquele que João descreve como parecendo ter a autoridade do Cordeiro, mas que fala as palavras do Dragão (Apocalipse 13:11).

Mas o Senhor elevará a um lugar de autoridade no seu Reino aqueles que mantiveram a palavra de Deus através do intenso sofrimento e perseguição dos tempos, e ensinaram a sã doutrina para os rebanhos que lhes foram confiados. Assim como alguns entre o povo comum vivo quando o Senhor voltar serão recebidos no Reino com honras, enquanto outros serão postos fora em vergonha e desprezo eterno, assim será com os seus líderes.

A Parábola das 10 Virgens
"Então o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do esposo. E cinco delas eram prudentes, e cinco loucas. As loucas, tomando as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo. Mas as prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com as suas lâmpadas. E, tardando o esposo, tosquenejaram todas, e adormeceram. Mas à meia-noite ouviu-se um clamor: 'Aí vem o esposo, saí-lhe ao encontro.'"

"Então todas aquelas virgens se levantaram, e prepararam as suas lâmpadas. E as loucas disseram às prudentes: 'Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas se apagam.' Mas as prudentes responderam, dizendo: 'Não seja caso que nos falte a nós e a vós, ide antes aos que o vendem, e comprai-o para vós.'"

"E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta."

"E depois chegaram também as outras virgens, dizendo: 'Senhor, Senhor, abre-nos.'"

"E ele, respondendo, disse: 'Em verdade vos digo que vos não conheço.'"

"Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir." (Mateus 25:1-13)

A mais clara indicação de exposição dos crentes da Tribulação é encontrada na parábola das 10 virgens. A cronologia desta parábola é identificado como logo após a 2ª Vinda, uma vez que a expressão "naquele tempo" remete para o dia e hora da Sua vinda (Mat. 24:36). As 10 virgens estão todas na Terra, esperando o noivo (Jesus) retornar. Todas as 10 têm tanto as lâmpadas quanto o óleo no início, indicando que todas já foram salvas. (Quando o óleo é usado simbolicamente, sempre se refere ao Espírito Santo.) As cinco ficaram sem óleo simbolizam os crentes da Tribulação que deixam sua fé escorregar, não permanecendo espiritualmente acordados e alertas. No final, eles despertam, percebem o seu perigo, e se apressam em tentar renovar a sua fé. Enquanto eles estão lutando para voltar a um relacionamento correto com Jesus, Ele retorna e a porta da salvação é fechada para sempre. Lembre-se, todas as 10 virgens são pegas dormindo quando Ele retorna. Elas todos se comportaram mal. É o óleo que distingue um grupo do outro, não o seu comportamento.

Alguns tentam fazer desta uma parábola sobre a Igreja, sempre simbolizada por uma noiva. Há uma semelhança entre virgem e noiva devido ao fato de que naqueles dias as noivas eram quase sempre virgens. Mas assim também todas as suas amigas solteiras. A palavra Grega significa simplesmente "alguém que nunca teve relações sexuais". Quando usada em conexão com a Igreja, a palavra esta sempre no singular, como em 2 Coríntios 11:2. "Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo." Paulo falou de uma virgem. Aqui há 10 delas. Embora a palavra tenha sido muitas vezes traduzida como damas de honra nesta parábola, essas 10 virgens nunca são chamadas de Noiva.

Por toda a parábola, nenhuma noiva é mencionada, e certamente não poderia ser excluída por seu marido do banquete de casamento, ou Seudas Mitzvah, uma refeição festiva que se segue à cerimônia de casamento. Nenhuma dessas 10 chegou à cerimônia de casamento propriamente dita, com óleo ou não, de modo que nenhuma delas pode ser a noiva. A cronologia, a gramática e o contexto, todos são testemunhas contra interpretar esta parábola como uma advertência à Igreja. As 10 virgens representam sobreviventes da Tribulação tentando ganhar entrada para o Reino messiânico, ou o Milênio. Alguns terão mantido sua fé e serão saudados, os outros não e lhes será recusada a admissão.

A parábola termina com a seguinte advertência: "Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora." (Mateus 25:13) Esta é a quarta vez que tal advertência é dada no decorrer de 28 versos, todos lidando com o tempo da Sua 2ª vinda. Crentes da Tribulação devem permanecer em alerta e guardar a sua posição com cuidado. Será necessária uma quantidade tremenda de fé para sustentar a si mesmo durante esse tempo, e cada crente é responsável por manter forte a sua própria fé.

Alguns tentam dizer que já que o Senhor os advertiu sobre o dia e a hora serem desconhecidos, Ele devia estar falando sobre o Arrebatamento. Afinal, será que as pessoas não irão poder contar 1260 dias a partir da Abominação da Desolação até a 2ª Vinda? Acontece que não é assim tão fácil. A Grande Tribulação durará 1260 dias, é verdade, e logo depois o sol escurecerá, a Lua não dará sua luz, e as estrelas cairão do céu. (Mat. 24:29) Este será o sinal de que a Grande Tribulação terminou.

Em seguida, o sinal do Filho do Homem aparecerá no céu. A palavra grega para sinal significa que um símbolo aparecerá para alertar as pessoas de um evento vindouro. Algum tempo depois o sinal aparece, as pessoas irão vê-lo vindo sobre as nuvens. Portanto, há uma seqüência de eventos que terão lugar, um após o outro. Mas não nos é dita a duração de qualquer um deles. Imagine o suspense que vai se criar na Terra, sabendo que o fim chegou, mas sem saber exatamente quando o Senhor vai realmente voltar. Pelos sinais, eles saberão que Ele está às portas, mas não saberão o dia ou a hora.

Daniel 12:12 diz que 1335 dias irão decorrer entre o início da Grande Tribulação e o início do Milênio. Em algum ponto nos 75 dias entre o último dia da tribulação (#1260) e o primeiro dia do Reino (#1335), o Senhor vai voltar, mas ninguém sabe exatamente quando.

Pessoalmente, acho que as 10 virgens representam as pessoas na Terra, que irão despertar quando virem Seu sinal no céu, e vão saber que o noivo está chegando. É quando algumas delas irão perceber que sua fé esmaeceu e começarão freneticamente a tentar se preparar. Mas, infelizmente, ele vem antes que eles estão prontos já será tarde demais.

A Parábola dos Talentos
"Porque isto é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens. E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe. E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos. Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois. Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor."

"E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles. Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: 'Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.' E o seu senhor lhe disse: 'Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.'"

"E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: 'Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.' Disse-lhe o seu senhor: 'Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.'"

"Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: 'Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste; e, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.'"

"Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: 'Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.'"

"'Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos. Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado. Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.'" (Mat. 25:14-30)

Em Mat. 25:14, no início da parábola dos talentos, a palavra "é também" significa que o Senhor está dando uma outra ilustração do mesmo período de tempo que na parábola das 10 virgens, o Dia da Sua Vinda. Isso significa que ocorre na Terra, após a 2ª Vinda, enquanto a Igreja será julgada no céu após o Arrebatamento. Embora a palavra portuguesa talento, que é um dom ou habilidade, venha desta parábola, naqueles dias um talento ou era uma unidade de medida grega (cerca de 75 quilos), ou uma moeda de valor superior a US$ 1.000. A chave para a interpretação de uma parábola é saber que tudo é simbólico de algo, por isso esse talento em uma parábola representa algo valioso para o Senhor que Ele desejava que fosse cuidado na Sua ausência. Após o Seu retorno, Ele pede àqueles a quem o confiou o que eles conseguiram.

Lendo a Bíblia, fica claro que o dinheiro não é importante para o Senhor. Mas o Salmo 138:2 diz que Ele valoriza a Sua Palavra acima de tudo. Creio que os talentos representam a Sua Palavra. Aqueles que a semeiam no coração dos outros descobrem que ela se multiplica em novos crentes. Aqueles que estudam descobrem que a sua própria compreensão cresce, multiplicando a sua fé.

Mas aqueles que ignoram a Sua palavra descobrem que é como enterrá-la no chão. Longe da vista, longe do coração, até que o pouco com que começaram está perdido para eles. Mesmo que eles se entregado a serem servos do Senhor, isto prova que a Sua palavra nunca teve qualquer valor para eles, e os condena a serem lançados nas trevas exteriores. Eles conheciam a verdade, mas enterraram. Agora Ele voltou e já é tarde demais.

Não importa o quão famoso professor ele ou ela possa ser, não deixe nunca qualquer um tentar persuadi-lo de que esta parábola é sobre os presentes que o Senhor dá a Igreja e nossa responsabilidade em usá-los ou ser julgados. Simplesmente não é isso. A cronologia está errada, o local está errado, o contexto está errado, e a punição pela desobediência está errada.

O Juízo dos Bodes e das Ovelhas
"E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória; e todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas; e porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda."

"Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: 'Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me.'"

"Então os justos lhe responderão, dizendo: 'Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber? E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos? E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te?' E, respondendo o Rei, lhes dirá: 'Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.'"

"Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: 'Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos; porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber; sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes.'"

"Então eles também lhe responderão, dizendo: 'Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos?'"

"Então lhes responderá, dizendo: 'Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim.'"

"E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna." (Mateus 25:31-46)

Mat. 25:31 não deixa dúvidas quanto ao momento deste. Ele começa: "Quando o Filho do Homem vem ..." e passa a falar sobre o Senhor estabelecendo o Seu trono na Terra depois de seu retorno para o julgamento das nações, na verdade, um juízo dos Gentios sobreviventes da tribulação. O Senhor não julga as nações no sentido eterno, apenas os indivíduos. A palavra grega aqui é Ethnos, e significa "pessoas de todo tipo." Eles vão ser julgados pela forma como trataram "seus irmãos", durante a Grande Tribulação. É chamado de Juízo dos Bodes e das Ovelhas, com as ovelhas representando aqueles que ajudaram seus irmãos através dos tempos horríveis recém passados e os bodes, sendo aqueles que não o fizeram.

Alguns dizem que os Seus irmãos são crentes, sejam judeus ou gentios, e outros dizem que eles são especificamente judeus, mas o ponto mais importante é que estes sobreviventes da Tribulação não estão sendo julgados por suas obras. Suas obras estão a sendo citadas como prova de sua fé, como em Tiago 2:18. Ajudar um crente, especialmente um Judeu, durante a Grande Tribulação exigirá coragem ainda maior do que na Alemanha de Hitler, e será um delito punível com a morte. Apenas um seguidor de Jesus se atreveria a fazê-lo ou até a querer. Aqueles que ajudarem a "Seus irmãos" terão demonstrado sua fé pelas suas obras e serão conduzidos vivos para o Reino. Aqueles que se recusarem a ajudar terão se condenado ao fogo eterno por esta evidência da sua falta de fé.

Todas essas quatro ilustrações ensinam a mesma lição. Crentes Tribulação fiéis entrarão vivos para o Reino, enquanto aqueles que não mantiverem a sua justiça serão escoltado para fora do planeta com os seus companheiros incrédulos.

Qual é o Ponto?
Parece claro, então, que a salvação no período pós igreja será uma situação muito mais frágil do que a que nós gozamos, desprovida de qualquer garantia e exigindo grande responsabilidade pessoal em face a juízos devastadores e perseguição implacável. Apesar de evidências da existência de Deus abundarem nos julgamentos que periodicamente sacudirão a terra em seus próprios fundamentos, a manutenção da fé durante este tempo não será tarefa fácil. Essa percepção acrescenta grande significado à promessa do Senhor para os crentes da Era da Igreja. "Bem-aventurados os que não viram e creram." (João 20:29)

Se você tem adiando fazer essa entrega final de sua vontade à Dele, melhor fazer isso agora. Acredite, você não quer arriscar a alternativa. O tempo é curto. Você quase pode ouvir os passos do Messias. 23-08-08