Sete Grandes Sinais Proféticos da Segunda Vinda

Um Estudo Bíblico por Jack Kelley

13ª Atualização Anual - Janeiro de 2014

Existem sete grandes sinais proféticos da Segunda Vinda e, atualmente, todos eles estão em alguma fase de cumprimento. Como em anos passados, listarei os sete com suas principais referências Bíblicas e oferecerei comentários a partir eventos atuais.

1. Israel Estará em Sua Terra ... Ezequiel 36:8-12, 37:21
Falando à Terra de Israel, Deus disse,
"Mas vós, ó montes de Israel, produzireis os vossos ramos, e dareis o vosso fruto para o meu povo de Israel; porque estão prestes a vir. Porque eis que eu estou convosco, e eu me voltarei para vós, e sereis lavrados e semeados. E multiplicarei homens sobre vós, a toda a casa de Israel, a toda ela; e as cidades serão habitadas, e os lugares devastados serão edificados. E multiplicarei homens e animais sobre vós, e eles se multiplicarão, e frutificarão. E farei com que sejais habitados como dantes e vos tratarei melhor que nos vossos princípios; e sabereis que eu sou o Senhor. E farei andar sobre vós homens, o meu povo de Israel; eles te possuirão, e serás a sua herança, e nunca mais os desfilharás."

E ao Povo Ele disse,
"Dize-lhes pois: Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu tomarei os filhos de Israel dentre os gentios, para onde eles foram, e os congregarei de todas as partes, e os levarei à sua terra."

Apesar de Ezequiel ter escrito essas palavras enquanto os israelitas estavam na Babilônia, elas não se cumpriram no retorno da não de seu exílio lá. Como Isaías antes dele (Isaías 11:11) Ezequiel estava se referindo ao segundo e final retorno, não aquele após o cativeiro babilônico. Sabemos disso porque em Ezequiel 36:12 o Senhor que o Seu povo possuiria as montanhas de Israel e que jamais privaria o Seu povo de seus filhos. Isso significa que a partir do momento em que esta profecia se cumprisse sempre haveriam crianças judias nascidas em Israel. E, ainda assim, no primeiro século a nação deixou completamente de existir. Portanto, em 1948, quando Israel novamente tomou o seu lugar entre as nações do mundo pela primeira vez em quase 2000 anos, estudantes das profecias reconheceram o cumprimento do principal sinal de que o fim dos tempos estava sobre nós. Desde então têm havido numerosas tentativas por parte dos inimigos de Israel de desfazer o que Deus fez, mas todas elas falharam. Jesus disse que alguns da geração nascida quando Israel renascesse ainda estariam vivos quando Ele retornar (Mateus 24:34).

2. Jerusalém Estará em Mãos Judaicas ... Lucas 21:24
"E cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem."

O Senhor profetizou que a reunificação de Jerusalém como uma cidade judaica seria um sinal de que a influência estrangeira (gentia) sobre a Sua terra, e mesmo do mundo, estaria prestes a terminar (Lucas 21:24). O cumprimento dessa profecia começou em 1967, quando Jerusalém se tornou uma cidade unificada novamente, e os estudiosos o viram como outro sinal importante de que o fim dos tempos havia começado. O esforço quase global para dividir a cidade novamente é, em essência, uma batalha de vontades. Quase todos os líderes de Israel permaneceram firmes na promessa de manter Jerusalém unida para sempre como capital de Israel, mas os líderes incrédulos do mundo estão da mesma forma firmemente determinados a dividi-la com os Palestinos.

O Senhor disse que no final dos tempos ele fará de Jerusalém uma taça que deixará todos os povos em redor cambaleantes, uma pedra inamovível para todas as nações. Todos que tentarem movê-la feriram a si mesmos (Zacarias 12:2-3). No ano passado, muito das conversas contra Israel tem-se focado sobre Jerusalém. Líderes Norte-americanos, tradicionalmente um dos mais leais aliados de Israel, chamaram Jerusalém oriental de território ocupado e exigiram que lá não sejam mais construídas residências judias. Eles até mesmo tentaram impedir a construção em bairros não disputados.

Eu chego mesmo a acreditar que Jerusalém não estará realmente livre de ser "pisada" pelos gentios até a volta do Senhor. A profecia de Daniel de que o Domínio Gentio não terminará até o Senhor estabelecer seu reino (Daniel 2:36-45), a profecia de Zacarias sobre metade dos habitantes da cidade indo para o exílio pouco antes da volta do Senhor (Zacarias 14:2), e as observações de João em Apocalipse 11:1-2 sobre os gentios pisando o átrio exterior do templo durante a Grande Tribulação todas confirmam isto. Mas, ainda assim, o fato de que Jerusalém esteja novamente em mãos Judaicas é outro grande sinal de que o Fim está chegando em breve.

3. Uma Coalizão Muçulmana Armada e Liderada pela Rússia Atacará a Terra Santa ... Ez. 38:2-6
"Filho do homem, dirige o teu rosto contra Gogue, terra de Magogue, príncipe e chefe de Meseque, e Tubal, e profetiza contra ele. E dize: Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu sou contra ti, ó Gogue, príncipe e chefe de Meseque e de Tubal; e te farei voltar, e porei anzóis nos teus queixos, e te levarei a ti, com todo o teu exército, cavalos e cavaleiros, todos vestidos com primor, grande multidão, com escudo e rodela, manejando todos a espada; persas, etíopes, e os de Pute com eles, todos com escudo e capacete; Gômer e todas as suas tropas; a casa de Togarma, do extremo norte, e todas as suas tropas, muitos povos contigo."

Numerosas referências históricas deixam claro que Magog significa a Rússia moderna, e os outros nomeados aqui formam uma coalizão com base na sua religião comum, o Islã. Entre eles estão Irã, vários países do Norte Africano, países da Europa Oriental ao longo do Danúbio e as nações turcas da Ásia Menor. Uma rápida olhada em um mapa do mundo revelará que essas zonas são o lar de alguns dos mais radicais grupos islâmicos. (Para uma explicação detalhada das nações modernas a que se referem esses nomes bíblicos, leia "Um Olhar Aprofundado nos Equivalentes Modernos aos Nomes Bíblicos em Ezequiel 38")

Direta ou indiretamente, os russos já são um fornecedor de armas para as nações que formarão essa colisão, exatamente como Ezequiel profetizou, e serão levados a se juntar a esta batalha pelo próprio Deus. A política mal disfarçada da Rússia de se tornar a maior externa no Oriente Médio está sendo jogada bem nas mãos do Senhor. A Rússia moveu parte de sua frota do Mar Negro Para o Mediterrâneo Oriental com um porto em Tartus - Síria - e instalou baterias anti-navais e anti-aéreas na Síria também. Irã e Rússia estão aprofundados na execução de um acordo de 50 bilhões de Dólares para fornecer poder nuclear ao Irã. Os 10 reatores solicitados no acordo são supostamente para geração de energia elétrica, mas a maioria dos líderes ocidentais está convencida de que eles serão usados para criar materiais para bombas também.

E no final do ano, o Irã anunciou um futuro acordo com a Rússia para um massivo programa de troca de petróleo por mercadorias qhe lhes permitirá contornar as sanções atualmente em vigor sobre suas exportações de petróleo e aumentá-las em 50% (cerca de 1,5 bilhões de Dólares por mês). Isso aliviará substancialmente o sofrimento econômico que eles têm sentido devido ao programa de sanções. Como a Rússia é um forte exportador de petróleo, acredita-se que o Irã estará, na verdade, fornecendo petróleo para outras nações sob o nome da Rússia.

Vários especialistas alegaram que o Irã seria uma potência nuclear em 2013, e muitos ainda acham que isso se tornará realidade em 2014. Israel e os EUA, ambos, juraram evitar que isso aconteça, mas prevenção parece estar longe de ser uma certeza. Atualmente o Irã está violando flagrantemente várias disposições do "acordo" negociado com as principais potências em novembro/2013, dizendo "não aspiramos obter a bomba nuclear, mas ela é necessária para colocar Israel em seu lugar..." (Mohammed Nabavian - membro do Majlis Iraniano).

É importante lembrar que se Israel lançar um ataque preventivo contra o Irã, isso não será um cumprimento para Ezequiel 38. A profecia exige um ataque furtivo sobre Israel, não o contrário. Atualmente esse prerrequisito é o maior obstáculo para um cumprimento antecipado da profecia de Ezequiel. Ele tem que ocorrer em um tempo em que Israel seja "um povo pacífico e destemido" (Ezequiel 38:11) e esse certamente não é o caso no momento.

Mas Salmos 80 e Isaías 17 são profecias ainda a cumprir que tomadas juntas parecem envolver todos os vizinhos de Israel em outra tentativa de lavar a nação judaica do mapa. Uma vitória de Israel explicaria por que esses vizinhos próximos não são mencionados na lista de antagonistas de Ezequiel, apesar de se esperar que que eles estivessem perto do topo da lista. Explicaria também como Israel pode em breve estar vivendo em um estado de aparente segurança, como requer Ezequiel 38:11.

A Síria chegou bem perto de sofrer o cumprimento de Isaías 17 em 2013 e nações ao seu redor ainda estão em pé de guerra. Muitos especialistas acreditam que uma guerra regional seja iminente, mas ao final do ano isso ainda não aconteceu. Acredito que se houver uma chance de que a situação na Síria se deteriore para um cumprimento de Isaías 17, isso irá disparar Salmos 83 também, e no final do ano ainda parecia que isso poderia acontecer a qualquer momento.

Outro prerrequisito para a batalha de Ezequiel está claramente sendo cumprido. Até aqui Israel realmente não tinha tido nenhuma riqueza de que se gabar, mas recentes descobertas de petróleo e gás, estimadas em bilhões de Dólares, poderiam fornecer a riqueza necessária para tornar Israel um alvo atrativo para ataque. Isso poderia cumprir a pre-condição de Ezequiel 38:13 de que a Rússia estará buscando pilhagem. Essas descobertas poderiam disponibilizar gás o bastante para suprir as necessidades de Israel por 100 anos e ao mesmo tempo transformar a nação de grande importador em grande exportador. A Rússia já está buscando formas de se envolver na disponibilização desse gás no mercado e, de acordo com Ezequiel, eles eventualmente entrarão em guerra no que se transformará em uma tentativa fracassada de fazê-lo pela força.

Acredito que a remoção dos EUA como poderoso aliado de Israel, também seja necessária para preparar o caminho para a batalha de Ezequiel, porque não creio que a coalizão muçulmana atacará até ter a certeza de que os EUA não vão retaliar. Qualquer um dos vários cenários atualmente em atividade poderia conseguir isso, especialmente porque nossa política nacional em relação a Israel não é mais o que costumava ser. Por causa de nossa falhas na Síria e a nossa virada em direção ao Irã, muitos no Oriente Médio, inclusive Israel, não mais acreditam que manteremos a nossa promessa de "apoiar Israel" se chegar a esse ponto. Some a isso as crescente ameaças de terrorismo em nossa terra natal, nossa (dos EUA) crescente fraqueza econômica, e a proximidade do Arrebatamento da Igreja, e está ficando muito mais fácil ver como os EUA poderiam abandonar seu compromisso com Israel.

Quando for a hora certa, tendo recentemente levado a Sua igreja para o Céu, o Senhor usará essa batalha para orquestrar Sua reconciliação com Israel e em seu encalço o Anticristo surgirá com um plano de paz que inclua um Templo Judaico. Assim, uma vez que essa batalha aconteça, a profecia dos tempos do fim continuará a avançar rapidamente.

4. O Antigo Império Romano Voltará a Surgir Como Uma Força Política ... Apo. 17:9-10
"Aqui o sentido, que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada. E são também sete reis; cinco já caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo."

Isto é um pouco obscuro se você não conhece a sua história. Quando João escrevia isto, por volta de 95AD, haviam existido cinco grandes potências mundiais: Egito, Assíria, Babilônia, Pérsia e Grécia. Todas foram conquistadas e absorvidas. O poder atual era Roma, que nunca foi realmente conquistada e voltará a surgir no fim dos tempos.

Cerca de 600 anos antes, o Profeta Daniel falara de um período de tempo que os teólogos chamam de Domínio Gentílico, que nos dá um discernimento adicional de Apocalipse 17:9-10. Em Daniel 2:36-45 o Domínio Gentílico é simbolizado por uma estátua gigante que Nabucodonosor, rei de Babilônia, havia sonhado. O Egito e a Síria haviam recentemente sido derrotados por Nabucodonosor e Daniel disse que a estátua representava os quatro reinos Gentios remanescentes, Babilônia, Pércia, Grécia e Roma.No sonho, Babilônia era a cabeça da estátua e era feita de ouro. A Pérsia era o peito e os braços, feitos de prata. A Grécia era o ventre e as coxas de bronze, seguida pelas duas aparições de Roma, duas pernas de ferro (Roma Bíblica) e dois pés de ferro misturado com argila (o Império Romano revivido). Depois disso Deus estabeleceria Seu próprio e eterno Reino.

Há alguns detalhes interessantes na descrição dos dois pés sobre os quais a estátua se apoia. Lembre-se, eles representam a versão do final dos tempos do Império Romano. Leiamos.

E, quanto ao que viste dos pés e dos dedos, em parte de barro de oleiro, e em parte de ferro, isso será um reino dividido; contudo haverá nele alguma coisa da firmeza do ferro, pois viste o ferro misturado com barro de lodo. E como os dedos dos pés eram em parte de ferro e em parte de barro, assim por uma parte o reino será forte, e por outra será frágil. Quanto ao que viste do ferro misturado com barro de lodo, misturar-se-ão com semente humana, mas não se ligarão um ao outro, assim como o ferro não se mistura com o barro.(Daniel 2:41-43).

Em primeiro lugar, o ferro e a argila não se misturam. Podemos imaginar um barro pegajoso que serve como uma cola unindo pedaços de ferro, mas a linguagem descreve um barro que já está cozido, duro e frágil como cacos de cerâmica.

Você não pode fazer peças aleatórias de ferro e cerâmica aderirem entre si e, de acordo com Daniel 2:41-43, este será o intransponível problema do império do final dos tempos. Hoje a perna ocidental é conhecida como Europa e a perna Oriental consiste das nações islâmicas do Oriente Médio. Apesar de o mundo hoje estar focado nos desafios econômicos que a Europa enfrenta, em última análise o problema número um desse império do fim dos tempos será o de integrar as culturas vastamente dissimilares das pernas ocidental e oriental. Elas são simplesmente diferentes demais para se misturarem e já o fracasso do experimento social europeu chamado de multi-culturalismo se tornou evidente. Através dos tempos do fim o Império Romano revivido será parcialmente forte (perna oriental) e parcialmente frágil (perna ocidental) e não irá aderir. Estou convencido de que a agressiva e crescente cultura da perna oriental (o Islã) sobrepujará a moribunda cultura do ocidente e se tornará a voz dominante da Europa. Não obstante a profecia mostra claramente ambas as divisões presentes até que o Senhor retorne para estabelecer Seu Reino, pondo fim ao Domínio Gentílico para sempre (Daniel 2:44).

5. O Mundo Abraçará Uma Única Religião ... Apo. 13:8
E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.

O Islã é a principal força religiosa no mundo hoje e seu objetivo é nada menos que a dominação do mundo, por qualquer meio necessário. É a religião que mais rápido cresce no mundo e só perde para o cristianismo em número de adeptos. Já quase um em cada quatro habitantes do mundo é muçulmano, e como a maioria dos cristãos e judeus eles não sabem exatamente no que acreditam ou porquê. Eu não sou profeta, mas, ao olhar para o futuro, é muito mais fácil para mim ver o Islã montando sua atual onda de impulso para preencher o vazio deixado pela partida da Igreja do que imaginar que isso seja feito por alguma mistura aguada de Cristianismo apóstata e Misticismo da Nova Era.

Atualmente a maioria dos estudantes sérios das profecias dos tempos do fim tem conhecimento das profecias islâmicas sobre aquele que eles chamam al Mahdi e de sua impressionante semelhança com profecias cristãs sobre o anticristo. Por exemplo, ambas mostram um líder que entra em cena durante um tempo de grande agitação na Terra. Ambas descrevem-no como homem de paz, que terá um um reino com a duração de sete anos, chefiará uma religião única mundial e um governo único mundial, e afirma ter origem sobrenatural. Ambas as profecias culminam em uma batalha entre o bem e o mal que provoca o julgamento final da terra. É como se elas estivessem apontando para a mesma pessoa. A diferença é que no Islã ele é um cara bom, enquanto que a Bíblia o chama de mal.

Pegue esse carismático líder político e religioso, com seu poder sobrenatural, adicione a amplamente difundida, mas errada crença que Deus e Alá são o mesmo, e que o Islã é uma religião de paz, e então subtraia o espírito de discernimento, que desaparecerá com a Igreja, e você poderá ver como esse carismático líder islâmico poderia unir um mundo à beira do desastre.

Existe atualmente uma batalha crescente entre as duas maiores facções do Islã, os Chiitas e os Sunitas. Uma substancial maioria dos muçulmanos são Sunitas (1,2 bilhões), enquanto somente 200 milhões são Chiitas. Eles concordam em muitos aspectos de sua fé, mas estão nitidamente divididos no que diz respeito a qual facção controlará o mundo islâmico. Acredito que essa divisão continuará a crescer até que finalmente irrompa em uma guerra generalizada pelo controle do futuro Califado Islâmico.

6. O Mundo Aceitará um Governo Único ... Apo. 13:3
... e toda a terra se maravilhou após a besta.

Quando você olha para a forma em deterioração do mundo hoje, não precisa de muito para imaginar as condições chegando a um ponto em que as pessoas implorarão por um líder que possa trazer ordem ao caos. Quer o problema seja as mudanças climáticas, o declínio do Dólar Americano, o colapso econômico da Europa ou guerra no Oriente Médio, a única solução sobre a qual a maioria dos líderes concorda é a necessidade de alguma forma de governo mundial. Com as coisas que já ameaçam a estabilidade mundial piorando a cada dia, quão mais frenéticas as pessoas ficarão quando milhões dos seus vizinhos desaparecerem no arrebatamento da igreja, sem aviso ou explicação, e ocorra uma guerra (Ezequiel 38) que traga destruição da Europa, através do Oriente Médio, até a Rússia? Quando as pessoas se convencerem que seus problemas não podem ser resolvidos por meios humanos somente, eles procurarão respostas sobrenaturais. Nesse sentido, Paulo escreveu:

A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira, E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem.

Um líder que prometa restaurar a paz e a segurança e demonstre poderes milagrosos que surpreendem a todos, rapidamente receberá os reinos do governo do mundo. Segundo muitos relatos, esse iníquo está de pé na coxia esperando a sua deixa.

7. Babilônia Voltará a Emergir Como uma Cidade de Destaque nos Negócios do Mundo ... Apo. 18:2-3
E clamou fortemente com grande voz, dizendo: "Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, e coito de todo espírito imundo, e coito de toda ave imunda e odiável. Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua prostituição, e os reis da terra se prostituíram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias."

Você pode não saber, mas Babilônia está sendo preparada para aceitar seu destino como um foco de poder mundial nos tempos do fim. Ela é apenas uma cidade cerimonial agora, mas 25 anos atrás ninguém sequer sabia que ela existia. Um dos choques da 1ª Guerra do Golfo foi a descoberta de Babilônia, ali às margens do rio Eufrates. Hoje há um esforço concentrado para completar o que Saddam Hussein começou e fazer Babilônia voltar à proeminência no mundo. O Ministério do Turismo e Antiguidades Iraquiano descortinou um plano estratégico para restaura e reabilitar locais históricos e turísticos começando em 2014. Como você deve suspeitar, Babilônia está no topo da lista.

Por causa da atual falta de importância de Babilônia no mundo, alguns estudantes de profecia procuram um cumprimento alegórico para a sua destruição descrita em Apocalipse 18, e, claro, muitos vêem o EUA ou alguma de suas cidades como um candidato lógico. Mas lembre-se, embora, em Apocalipse 17:9 João descreva "Mistério Babilônia" como assentada sobre sete colinas, uma profecia de Zacarias 5:5-11 a mostra sendo movida "para as planícies de Sinar", uma referência à antiga Mesopotâmia hoje chamada de Iraque. Nós não podemos mudar de interpretações literais da Bíblia para interpretações alegóricas sem uma indicação clara, e no que se refere a Babilônia tal indicação não existe. De fato, o oposto é verdadeiro. Quase desde o início, a Bíblia tem sido a história de duas cidades. Jerusalém é a cidade de Deus enquanto Babilônia sempre foi a cidade do homem. Ambas desapareceram do palco mundial por muitos séculos, mas quando Jerusalém voltou, foi para seu lugar original. A Bíblia diz que o mesmo se dará com Babilônia.

Dores de Parto ... Mateus 24:6-8
E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores.

Especialistas dizem que que as grandes coisas para se observar em 2014 serão as ações de nação contra nação e reino contra reino. A primeira delas possivelmente ocorrerá no Oriente Médio. A OTAN, os EUA, a Rússia, o Irã, a Turquia e diversos países árabes todos têm tropas de prontidão na região. A possibilidade disso respingar no Líbano, na Jordânia e em Israel é tida como muito alta e poderia facilmente trazer o cumprimento de Salmos 83 e Isaías 17.

O mal disfarçado plano do Irã de adquirir aramamento nuclear resultou em pelo menos uma outra nação do Oriente Médio decidir-se pela nuclearização. Durante 2013 foi relatado que a Arábia Saudita comprou do Paquistão, mas não recebeu, armamento nuclear para uso próprio. Diz-se também que a Arábia Saudita entrou em acordos secretos para fornecer assistência caso Israel decida destruir preventivamente a capacidade de pesquisa e produção do Irã.

No Oriente Longínquo, a China está reforçando sua capacidade militar. De acordo com um relatório do Departamento de Defesa dos EUA liberado em maio/2013, "o Exército Popular de Libertação (PLA) está engajado em um massivo, extensivo programa de modernização, valendo-se dos recursos de uma economia em constante expansão (hoje a segunda maior do mundo) para apoiar melhorias não somente das forças terrestres, mas da Marinha, Força Aérea, da Segunda Artilharia (forças de mísseis da China), bem como da capacidade espacial e de espionagem cibernética." Em adição à óbvia ameaça que isto representa para os vizinhos da China, também tem sido relatado que a China espera eventualmente entrar em guerra conta os EUA.

A África se tornou um grande campo de batalha à medida que forças leais ao Islã continuam em seus esforços para ganhar o controle do continente. Somália, Sudão, Congo e Líbia são senão uns dos pontos quentes que têm criado 9 milhões de refugiados e pessoas internamente desalojadas. Centenas e milhares de pessoas têm sido assassinadas em vários conflitos e guerras civis no continente africano.

Haverá também grandes problemas na União Européia se eles não conseguirem estabilizar sua economia. Líderes financeiros do mundo têm advertido que o fracasso da Europa em resolver suas dificuldades irá lançar o mundo de volta em uma recessão ainda pior do que a que supostamente acabamos de passar. Estão sendo feitas predições de levante civil generalizado como consequência desse fracasso. Os mesmos observadores consideram improvável uma solução viável e especulam que 2014 pode muito bem começar o tempo da vingança do mundo por anos de gastos excessivos.

Os preços dos alimentos continuam incertos e os especialistas nos advertem a não relaxar. O preço dos alimentos continuará a ser volátil e entre os pobres consumirá mais de 45% da renda familiar. Já uma em cada 6 pessoas no mundo vai para a cama com fome todas as noites. Especialistas têm dito que bastariam um ou dois anos de fraca produção agrícola para trazer uma séria fome ao mundo. Nos EUA, a participação no programa de cupons de alimentação continua a bater recordes com um em cada 6 cidadãos recebendo ajuda regular. Combinado com preços mais altos dos alimentos, o crescimento contínuo desse programa vai destacar ainda mais uma economia fragilizada.

Mas muitos lugares no mundo não têm um governo disposto ou apto a entrar em dívidas para alimentá-los. De acordo com a Organização para Alimentos e Agricultura da ONU (FAO), uma em cada 8 pessoas na população mundial sofre de subnutrição crônica. Metade das 10,9 milhões de mortes de crianças no mundo a cada ano se deve, ao menos em parte, à subnutrição. Isso significa 6000 crianças todos os dias.

Terremotos são hoje uma ocorrência diária com uma média de mais de 3 terremotos com magnitude 5.0 ou maior em algum lugar no mundo todos os dias. Do lado brilhante, 2013 teve o menor número total de terremotos relatados na história recente, apesar de aqueles com intensidade 7.0 ou mais terem sido mais numerosos do que em muitos anos passados.

O Senhor disse que essas dores de parto seriam os primeiros sinais da aproximação do Final dos Tempos, então eu incluí os exemplos acima para confirma minha crença de que estamos muito próximos de nossos últimos dias na terra. Enquanto previsões do que 2014 poderá trazer se espalhem por todo o espectro, os cristãos não precisam temer porque andamos pela fé não pela vista (2 Coríntios 5:7). Nossa cidadania é no Céu e de lá esperamos ansiosamente um Salvador, o Senhor Jesus Cristo (Filipenses 3:20). Portanto, quando virmos essas coisas começarem a acontecer, devemos levantar e erguer nossas cabeças, porque a nossa redenção está próxima (Lucas 21:28). Essas promessas nunca foram tão importantes para nós do que serão em 2014. Feliz Ano Novo! Que todas as bênçãos do Senhor sejam suas. 11-01-14.