Uma Terra de Aldeias não Muradas

Um Estudo Bíblico por Jack Kelley

Eu sei que estou começando a soar como um disco arranhado a esta altura, mas existe um enorme potencial para um salto gigantesco na profecia do fim dos tempos durante este verão (inverno no Brasil) e esta semana chegamos perto o bastante para tirar o fôlego de testemunhar o seu início.

Depois de muitos dias serás visitado. No fim dos anos virás à terra que se recuperou da espada, e que foi congregada dentre muitos povos, junto aos montes de Israel, que sempre se faziam desertos; mas aquela terra foi tirada dentre as nações, e todas elas habitarão seguramente. Então subirás, virás como uma tempestade, far-te-ás como uma nuvem para cobrir a terra, tu e todas as tuas tropas, e muitos povos contigo.

Assim diz o Senhor Deus: E acontecerá naquele dia que subirão palavras no teu coração, e maquinarás um mau desígnio, e dirás: "Subirei contra a terra das aldeias não muradas; virei contra os que estão em repouso, que habitam seguros; todos eles habitam sem muro, e não têm ferrolhos nem portas." (Ezequiel 38:8-11)

Muitos estudantes da profecia, eu inclusive, veem a batalha de Ezequiel 38-39 como um dos eventos mais significativos na agenda profética de Deus. No cenário descrito por Ezequiel quase 2.500 anos atrás, uma coalizão de países muçulmanos, armados e liderados pelos russos, atacará Israel e serão completamente derrotados devido à intervenção direta de Deus. Ele usará a batalha para voltar a apresentar-se a Israel como seu protetor, para chamar o resto de Seu povo de volta à sua antiga pátria e restabelecer Seu relacionamento com eles.

Quando Essas Coisas Acontecerão?
Todos concordam que essa batalha ainda não ocorreu. Após a 2ª Guerra Mundial o povo judeu começou a retornar para a terra pela primeira vez em séculos e somente desde então as condições tem sido favoráveis para que a profecia de Ezequiel possa se cumprir.

Falando desta batalha Senhor disse: "E eu porei a minha glória entre os gentios e todos os gentios verão o meu juízo, que eu tiver executado, e a minha mão, que sobre elas tiver descarregado (a coalizão muçulmana agressora). E saberão os da casa de Israel que eu sou o Senhor seu Deus, desde aquele dia em diante." (Ezequiel 39:22). Ele concluiu dizendo, "... e os ajuntarei para voltarem a sua terra, e não mais deixarei lá nenhum deles." (Ezequiel 39:28)

O reajuntamento de Israel, que começou oficialmente em 1948, continuará até à conclusão e será tanto espiritual quanto físico. De acordo com Atos 15:13-19 e Daniel 9:27, isto resultará na construção de um templo. Isso significa que os judeus voltarão ao seu relacionamento da Antiga Aliança com Deus, pondo fim à Era da Graça e fazendo com que a Igreja desapareça no céu. O relógio de 490 anos que parou no ano 483, no momento da crucificação, começará a bater mais uma vez, desenrolando-se seus 7 anos finais (conhecidos como a 70ª Semana de Daniel). A atenção de Deus estará novamente focada em Israel.

Os judeus começarão a construção do Templo auxiliados pelo Anticristo (Dan 9:27), no que será seu grande primeiro passo para estabelecer-se como o deus deste mundo. 3 anos e meio mais tarde ele se postará nesse mesmo templo e se proclamará Deus, uma declaração que dará início à Grande Tribulação (Mateus 24:15 e 2 Tessalonicenses 2:4). Então a batalha Ezequiel deve ser inserida na janela de tempo entre o renascimento da nação em 1948 e a reconstrução do Templo, ainda no futuro. Você pode ver porque os estudantes profecia estão tão interessadas. O retorno de Israel para Deus, o arrebatamento da Igreja, a 70ª Semana de Daniel, o Templo vindouro, a introdução do Anticristo, a Grande Tribulação e a segunda vinda são todos de algum modo afetados por essa batalha. (Embora o arrebatamento possa acontecer a qualquer momento, acredito que Rom. 11:25 nos diga que ele tem que acontecer antes do início da 70ª Semana de Daniel) Você pode imaginar um evento mais crítico para o cumprimento das profecias do fim dos tempos?

Um Povo Pacífico e Confiante
Então, o que mais tem de acontecer antes que essa batalha possa acontecer? Os participantes estão colocados e não é nenhum segredo que eles estão em fase final de preparação. Nem é sua intenção um mistério. O Irã abertamente previu a queda iminente de Israel e da Turquia finalmente tomou seu lugar na coalizão muçulmana que Ezequiel descreveu.

Há apenas uma outra condição. Israel é descrito como vivendo em segurança em Ez. 38:8 no momento do ataque. A palavra hebraica traduzida segurança é betach. Das 42 aparições no Velho Testamento, 28 vezes ela é traduzida em alguma forma da palavra segurança. (Um dos significados da palavra é descuidado, no sentido de que as pessoas se sentem tão seguras que não estão sendo cautelosas.) Para ressaltar a atitude de Israel no momento do ataque, Ezequiel convida-os a uma terra de aldeias não muradas, um povo pacífico e confiante, vivendo sem portas e ferrolhos (Ezequiel 38:11).

É seguro dizer que nenhuma dessas condições existe em Israel hoje. Dois terços de uma proposta cerca de segurança de 700 Km de comprimento foram construídos para impedir os terroristas palestinos de atravessarem para Israel, assim decididamente não é uma terra de aldeias não muradas. O povo judeu sabe que há cerca de 40 mil foguetes e mísseis apontados para eles, não deixando nenhuma parte de Israel segura contra ataques. Então há a crise do bloqueio de Gaza. Na semana passada, o Hezbollah e o Irã anunciaram sua intenção de romper o bloqueio com navios que estavam prontos para zarpar a qualquer momento. Israel reagiu rapidamente, dizendo que seriam tratados como navios inimigos se entrassem em suas águas territoriais. (Até esta semana ambos foram, pelo menos temporariamente, impedidos por pressão da comunidade internacional. Não fosse esse o caso, nós literalmente estaríamos ouvindo os acordes de abertura do Salmo 83 a esta altura). Durante meses, os líderes militares de Israel têm dito às suas tropas para se prepararem para a guerra neste verão (inverno no Brasil).

Estas não são as ações de um povo pacífico e confiante. Na verdade, há rumores persistentes de que Israel se prepara para lançar um ataque preventivo contra o Irã. Segundo o DEBKAfile bombardeiros israelenses foram secretamente posicionadas no Azerbaijão fazendo o Irã declarar estado de guerra ao longo da sua fronteira e lá posicionar soldados, e também foi relatado que os aviões israelenses têm luz verde para sobrevoar a Arábia Saudita em rota para um ataque ao Irã.

Observadores têm chamado este Verão de a época em que as coisas vão mudar para sempre no Oriente Médio. O que quer que aconteça, não será a longamente aguardada batalha de Ezequiel 38, mas irá certamente preparar o terreno para ela. Nós já falamos sobre os cenários de Salmo 83 e Isaías 17. Um ataque preventivo ao Irã poderia facilmente desencadear o cumprimento dessas profecias e vitórias decisivas poderiam colocar Israel em um estado de espírito consistente com um dos significados da palavra hebraica betach: sentir-se tão seguros que não mais serão cautelosos. O tempo dirá. Mas, agora mais do que nunca, você quase pode ouvir os passos do Messias. (26-06-10)