Julgando o Planeta Terra

Comentário por Jack Kelley

A combinação do Arrebatamento e da Batalha de Ezequiel 38 encherá o mundo de angústia e incerteza enquanto a 70ª Semana de Daniel começar. Onde é que todas essas pessoas foram? Como Israel, por si só, destruiu tão completamente essa maciça força de invasão? Como todas essas coisas aconteceram tão de repente? Por que ninguém viu isso chegando e fez algo para impedir?

O Julgamento dos Selos

Em meio a todo o caos e confusão um líder se destacará (Ap. 6:2). Ele demonstrará uma capacidade incrível de restaurar a esperança do mundo para o futuro, e prometerá trazer-lhes paz. A população assustada será facilmente persuadida a seguir a sua liderança. Ele aceitará a exigência de Israel por um templo no qual possa retomar a sua adoração há muito abandonada d'Aquele que recente havia assegurado a sua vitória. Ele vai fazer isso, não porque quer ajudá-los a honrar a Deus, mas porque tem seus próprios planos para o Templo (Dan. 9:27, 2 Tes. 2:4).

Usando suas próprias Escrituras (Eze. 48:1-10), ele mostrará a Israel por que seu novo templo não deve ser construído onde o antigo estava. Em vez disso, deve ser localizado a poucas milhas ao norte, na antiga Shiloh (Siló), onde uma vez esteve o Tabernáculo. Isso deixará intactas as instalações muçulmanas no atual Monte do Templo, pelo menos por um tempo. Após o desaparecimento da Igreja, o Islã rapidamente se tornará a religião dominante do mundo e seu terceiro lugar mais sagrado está naquele monte. Com esse golpe ousado ele trará uma aparência de paz para a região, demonstrando que judeus e muçulmanos podem viver em paz como vizinhos em seu admirável mundo novo (Dan. 8:25). As pessoas da Terra darão um suspiro coletivo de alívio.

Mas muito em breve guerras começarão a surgir em vários lugares (Ap. 6:3), porque o objetivo final desse líder é a dominação do mundo e alguns países resistirão. Ele convencerá as pessoas de que a guerra é um transtorno temporário, mas necessário, e lhes assegurará que tudo em breve dará certo novamente. Mas a combinação de guerras, escassez de alimentos e inflação galopante começará a cobra seu preço (Ap. 6:6). Os efeitos mortais desta combinação serão sentidos pela quarta parte da terra (Ap. 6:8).

Embora seja muitas vezes chamado de uma religião de paz, o Islã oferece ao mundo apenas duas opções, a submissão ou a morte, como os mártires entre os crentes de outras religiões, em breve aprenderão. Para a multidão de novos cristãos que testemunharam o desaparecimento de amigos e familiares no arrebatamento e que sabem por experiência própria a verdade do evangelho, a conversão ao Islã será impossível e o número dos que morrerão por sua fé irá crescer rapidamente e de forma constante (Ap. 6:9). Eles clamarõ ao Senhor por vingança, mas Ele irá adverti-los a serem pacientes por um pouco mais de tempo, porque muitos mais morrerão da mesma maneira que eles (Ap. 6:10-11).

Sem aviso, um grande terremoto que será sentido em todo o mundo desencadeará atividade vulcânica vomitando milhões de toneladas de cinzas no ar. O Sol ficará negro ea Lua se tornará vermelha como sangue (Ap. 6:12-14). Os líderes mundiais correrão para se esconder, alguns sabendo intuitivamente que a ira de Deus, de que foram avisados ​​pelos cristãos que já desapareceram todos, já começou e que não terão esconderijo. (Ap. 6:16-17)


O Julgamento das Trombetas

Como que a confirmar os piores temores desses líderes, uma tempestade de granizo, fogo e sangue cairá sobre a Terra queimando um terço dela. Um terço das árvores e toda a erva verde virará fumaça (Ap. 8:7). Um objeto parecido com meteoro do tamanho de uma enorme montanha cairá no mar. A contaminação resultante tornará um terço dos oceanos do mundo em sangue, matando toda a vida marinha nas áreas afetadas. O tsunami que esse meteoro provocará virará e destruirá um terço dos navios do mundo. Mais de 50.000 navios comerciais desaparecerão em um único dia (Ap. 8:8-9).

Em seguida, outra estrela cairá na Terra e quando cair um terço da água doce será contaminada. Ela terá sabor tóxico muitas pessoas morrerão por bebê-la (Ap. 8:10-11).

Ambos o dia e a noite perderão um terço de sua luz devido à fumaça e às cinzas dos incêndios e vulcões. Através da neblina sufocante um mensageiro angélico trazerá uma advertência do Senhor, "O pior ainda está por vir". (Ap. 8:12-13)

Um anjo caído abrirá o poço do Abismo e sairá fumaça, contaminando ainda mais o ar já tóxico. Criaturas que se assemelham a gafanhotos voarão para fora da fumaça e por 5 meses infligirão picadas como de escorpião sobre as pessoas. Estas picadas serão tão dolorosas que as pessoas desejarão poder morrer, mas não haverá escape (Ap. 9:1-11). As únicas pessoas na Terra que estarão imunes ao seu veneno serão os 144.000 evangelistas que o Senhor já terá comissionado dentre as tribos de Israel (Ap. 7:1-8).

Quatro anjos que foram presos junto ao portal para o Oriente (o rio Eufrates) serão libertados para matar um terço da população restante da Terra com pragas de fogo, fumaça e enxofre (Ap. 9:13-19). O Oriente é muito diferente do Ocidente e da animosidade entre os muçulmanos, hindus, budistas e outras religiões o Extremo Oriente é bem estabelecido e mortal. Como 40% da população do mundo está lotaram nas nações do leste do Eufrates o número de vítimas será enorme à medida em que lutam entre si pela supremacia.

Entre o Arrebatamento, o martírio, as guerras, e dos juízos bem mais de 2 bilhões de pessoas deixarão de ser encontradas entre os vivos no planeta Terra enquanto a 70ª Semana de Daniel se aproxima do ponto médio. E ainda assim a Bíblia não dá nenhuma indicação de que os incrédulos que permanecerem verão o erro de seus caminhos e mudarão as suas mentes. Este é o cerne mais duro dos perdidos, aqueles que se recusam a acreditar na verdade do Senhor e, em vez disso, aceitam na mentira do anti-Cristo (2 Tes. 2:10). Em seu estado iludido eles pensarão que estão do lado da luz, não das trevas, e certos, não é errados. Eles verão a Deus como o inimigo invasor e a Satanás como seu líder, trabalhando para protegê-los. Espiritualmente, tudo ficará de cabeça para baixo.

Mas, ao soprar da 7ª Trombeta no Céu, o reino do Senhor começará (Ap. 11:15). Tendo usado cada dispositivo ao Seu dispor, em um esforço para convencer as pessoas da Terra a mudarem suas mentes e aceitarem Sua oferta de perdão, Ele agora tomará medidas para derrubar o usurpador do trono que é legitimamente Seu e reivindicar para Si mesmo aquilo que Ele comprou com o Seu próprio sangue, o Planeta Terra. Aqueles que ficaram do lado de Satanás agora enfrentarão o pior momento de julgamento na história da humanidade. Se não fosse por um remanescente do povo do Senhor entre eles, nem uma única alma ficaria de pé quando isso acabar (Mt 24:21-22).


Os Juízos das Taças

Os juízos das Taças compõem o período de três anos e meio que conhecemos como a Grande Tribulação. Os ciclos de julgamentos dos selos e das trombetas tinham em parte o objetivo de demonstrar a evidência da existência de Deus para os indecisos entre os povos da Terra. Mas isso terá chegado ao fim com os juízos das taças. Eles têm estritamente o propósito de trazer julgamento sobre aqueles que já rejeitaram. No processo, o Senhor vai destruir completamente todas as nações para as quais o Seu povo foi espalhado (Jer 30:11). Hoje, há quase tantos judeus na América, como existem em Israel, e mais do que há em qualquer outra nação, então você sabe que o que restar deste país após o arrebatamento não escapará.

Por essa tempo Satanás terá sido expulso do Céu (Ap. 12:9) e confinado à Terra (Ap. 12:13). Ele desencadeará sua fúria sobre o povo de Deus. Mas aqueles que atenderam à Sua advertência (Mat. 24:15-21) serão escoltados para um local de refúgio fora do alcance de Satanás (Ap. 12:13-16). Enfurecido, ele direcionará sua fúria contra os gentios que desde o arrebatamento vieram a acreditar que Jesus é o seu Salvador (Ap. 12:17).

Ele fixará residência no corpo do anti-Cristo (Ap. 13:4) e com a ajuda de um falso profeta, convencerá o mundo incrédulo a segui-lo e receber um sinal na mão direita ou na testa para provar a sua lealdade a ele (Ap. 13:16-17).

Três anjos entregarão mensagens finais de Deus para a humanidade. O primeiro oferecerá uma última chance de aceitar o Evangelho, o segundo anunciará a vindoura destruição da Babilônia e tudo o que a cidade representa, e o terceiro advertirá a humanidade contra receber a marca da besta (Ap. 14:6-11).

As pessoas que ignorarem a advertência contra receber a marca serão tratadas com uma dose de feridas feias e dolorosas (Ap. 16:2). Toda a água na Terra vai se transformar em sangue, seja no mar (Ap. 16:3) ou em nascentes e rios (Ap. 16:4). Todas as fontes de água estarão agora contaminadas. O anjo encarregado das águas nos lembra que Deus é justo em fazer isso porque aqueles Ele está julgando derramaram o sangue dos santos e dos profetas de Deus. Agora ele está dando-lhes sangue para beber. (Ap. 16:5-7)

O sol se tornará uma super nova neste momento ficando tão quente que as pessoas serão queimadas apenas por ir para fora. Mais uma vez eles amaldiçoarão a Deus, mas se recusarão a arrepender-se. (Ap. 16:8-9)

Em seguida, o Sol vai ficará totalmente escuro transformando o dia em noite, e ainda assim o povo da terra amaldiçoará a Deus, mas se recusarão a se arrepender (Ap. 16:10-11).

O anti-Cristo vai reunir os exércitos do mundo para o Armageddon em um último esforço para repelir os "invasores" da Terra. Desde o Céu uma alta voz bradará: "Está feito!" E toda a fúria da ira de Deus será liberada na Terra. Relâmpagos, trovões, e o pior terremoto que o homem já experimentou serão seguidos por uma torrente de pedras de granizo pesando 50 quilos (Ap. 16:17-21). A punição por blasfêmia é o apedrejamento, e as pessoas blasfemadores da Terra sofrerão a forma mais extrema dessa punição por seu comportamento.


Babilônia, a Grande

Então, Deus se voltará para Babilônia, sede das forças que O têm desafiado desde o tempo após o dilúvio. Existem três componentes para o sistema mundial da humanidade e todos eles terão sede lá. São eles governamental, comercial e religioso, e entre si têm escravizado o povo da Terra há milhares de anos.

Primeiro Deus usará o componente governamental para destruir o religioso.

"A besta (o anti-Cristo) e os dez chifres (os dez reis que o assistem) que você viu odiarão a prostituta (a Babilônia religiosa). Eles a evarão à ruína e a deixarão nua, comerão a sua carne e a destruirão com fogo, pois Deus pôs no coração deles o desejo de realizar o propósito que ele tem, levando-os a concordar em dar à besta o poder que eles têm para reinar até que se cumpram as palavras de Deus" (Ap. 17:16-17).

Em seguida, Ele se voltará para o componente comercial. Ele será tão totalmente destruído que os líderes da Terra ficarão horrorizados, mal acreditando o que seus próprios olhos estão lhes dizendo.

"... e chorarão e se lamentarão, gritando: 'Ai! A grande cidade, vestida de linho fino, de roupas de púrpura e vestes vermelhas, adornadas de ouro, pedras preciosas e pérolas! Em apenas uma hora, tamanha riqueza foi arruinada!'" (Ap. 18:16-17)

Finalmente, o componente governamental.

"Mas a besta foi presa, e com ela o falso profeta que havia realizado os sinais milagrosos em seu nome, com os quais ele havia enganado os que receberam a marca da besta e adoraram a imagem dela. Os dois foram lançados vivos no lago de fogo que arde com enxofre. Os demais foram mortos com a espada que saía da boca daquele que está montado no cavalo. E todas as aves se fartaram com a carne deles." (Ap. 19:20-21)

Por seis mil anos, Deus tem trabalhado incansavelmente para reconciliar o homem consigo mesmo, mesmo dando Sua própria vida em troca das nossas. Mas Seus esforços todas terminaram em fracasso devido à infidelidade da humanidade. Pacto, após pacto foram instituídos e quebrados. O único que perdura é o que o Pai fez com seu Filho para nos salvar. Mas, mesmo assim, a maior parte da humanidade, dada a opção de participar como beneficiário neste aliança eterna, se recusou. Finalmente, esgotada a Sua paciência, Deus removerá o remanescente que escolheu o perdão que Ele oferece, e julgará o resto. Você pode culpá-lo? Você quase pode ouvir os passos do Messias. 11-09-13