Apocalipse 13 - 14

Um estudo Bíblico por Jack Kelley – www.gracethrufaith.com

A Grande Tribulação está para começar na terra. O Templo logo será desolado. Quando isso acontecer, os judeus remanescentes darão ouvidos ao chamado do Senhor em Mat 24.16 e fugirão para um lugar de proteção sobrenatural como vimos em Apo 12. Quando eles o fizerem o alvo oportuno será os chamados Santos da Tribulação, aqueles que chegaram à fé no Senhor após o arrebatamento. A primeira ordem de serviço do anticristo após se proclamar Deus e estabelecer sua falsa religião será fechar esse novo mover de Deus. Como eles estarão espalhados por todo lugar, a melhor maneira de fazer isso é congelá-los fora da economia, tornando impossível para eles receber salários ou comprar bens essenciais à vida.

Enquanto analisava Jó, Satanás enganara a Deus, “Ele somente Te adora porque Tu o abençoas e proteges. Tira-lhe tudo isso e ele Te amaldiçoará.” (Jó 1.9-11). Agora ele faz com que seu homem, o anticristo, perseguir os Santos da Tribulação da mesma maneira. Prive-os o bastante e esses novos convertidos ou voltarão ou morrerão. De qualquer forma, ele logo se livrará deles, ou assim ele pensa.

Apocalipse 13

E ELE pôs-se sobre a areia do mar (Apo 13.1). Tendo sido expulso do céu, Satanás se põe à beira do mar, um eufemismo para as nações gentílicas (Dan 7.2) pronto para fazer o pior sobre o Planeta Terra.

A Besta Vinda do Mar

E vi subir do mar uma besta que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças um nome de blasfêmia. E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio. E vi uma das suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou após a besta. E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: “Quem é semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela?” (Apo 13.2-4). Como as mesmas bestas em Dan 7 representavam Babilônia (leão), Pérsia (Urso) e Grécia (leopardo), faz sentido vê-las dessa forma aqui. A ordem é inversa porque Daniel estava olhando adiante no tempo enquanto João olhava para trás. Quando Daniel viu Roma, ele não pode compará-la a nenhum animal que já tivesse visto então a chamou de uma grande e terrível besta. João a mostra como sendo um monstro com múltiplas cabeças e chifres.

Mas os pronomes pessoais indicam um rei, mais do que um reino. Isso significa que o carisma de Alexandre, a astúcia de Ciro e a crueldade de Nabucodonosor estão presentes nesse rei. E o principal, ele empunha todo o poder e autoridade de Satanás, até mesmo se assentando no trono de Satanás. Esse monstro disfarçado de homem é o anticristo, finalmente revelando sua natureza. Tendo total poder (10 chifres) sabedoria sobrenatural (7 cabeças) e autoridade oficialmente reconhecida sobre todos (10 coroas), ele está pronto para refazer o mundo à sua imagem, e aqueles cujos corações estão focados nas coisas da terra estão adorando. Aparentemente ele chegou ao poder através de uma tentativa fracassada de assassinato que deixou cego seu olho esquerdo e seu braço direito ressecado (Zac 11.17). O mundo pensou que ele houvesse morrido, mas eis que está vivo. Rumores de sua ressurreição aumentam a sua aura e são encorajados.

E foi-lhe dada uma boca, para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses. E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no céu. E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação. E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo (Apo 13.5-8). Tendo consolidado seu poder sobre a terra, e se tornando simpático aos judeus ajudando-os a construir um Templo, ele agora marcha para a Cidade Santa para se colocar no Templo e declarar que é Deus em carne e osso, difamando Seu Nome, tornado Sua Casa desolada e montando um ataque total aos crentes remanescentes. Nós vimos a reação celestial a essa declaração. Ela o fez ser expulso para sempre e sinalizou o início da Grande Tribulação. Mas na terra é diferente. Todos cujos nomes não estão escritos no Livro da Vida do Cordeiro o adorarão.

Uma tradução mais literal do verso 8 seria, “e todos os que habitam na terra a adorarão (a besta), todos cujo nome não foi escrito antes da fundação do mundo no livro da vida do Cordeiro que foi morto”. Esta é a versão usada pala New American Standard e pela English Standard, duas das mais literais traduções do grego. Ela fala claramente da validade da doutrina da Segurança Eterna.

Se você foi salvo, Deus sabia disso antes de criar a terra. Antes de dar a Adão seu primeiro fôlego, Ele olhou através do vasto período de tempo e viu o momento em que você tomaria sua decisão individual de servi-Lo (Ele pré-conheceu). E foi então que ele fez uma reserva para você no Seu Reino, jurando nunca riscar seu nome do livro (Ele predestinou). No momento certo Ele falou ao seu coração, sabendo que você responderia (Ele chamou). E quando você o fez, Ele o limpou dos seus pecados, considerando-o daquele momento em diante como se nunca tivesse pecado (Ele justificou). E um dia em breve Ele lhe dará um novo corpo eterno e um lugar perto dEle em Seu Reino (Ele glorificou) (Rom 8.29-30).

No contexto do tempo você fez uso de sua própria livre escolha para aceitar o perdão que Jesus comprou para você. Mas tendo visto o final desde o começo, Ele sempre soube que você o faria. Por toda a sua vida Ele cuidou de você, preparando-o para o seu dia da decisão. E desde então Ele protegeu você, pois prometeu que nunca perderia algum daqueles que Lhe foram dados (João 6.39-40). Ele sabe que é o trabalho do pastor cuidar das ovelhas. E Ele é o Bom Pastor.

Se alguém tem ouvidos, ouça. Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a paciência e a fé dos santos (Apo 13.9-10). Novamente nos é dito que a Grande Tribulação não será encurtada, mas correrá pelos três anos e meio ordenados para ela desde os tempos antigos. Nem ninguém desse ponto em diante será preservado miraculosamente. Os julgamentos virão e seguirão seu curso. “Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida” (Apo 2.10). Como foi no começo do cristianismo, assim será no final. O castigo por amar Jesus é a morte. Deixe-me apressar para lembrá-lo que a Era Cristã não termina com a Igreja. Haverá cristãos na terra muito depois de a Igreja desaparecer.

A Besta Vinda da Terra

E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como o dragão. E exerce todo o poder da primeira besta na sua presença, e faz que a terra e os que nela habitam adorem a primeira besta, cuja chaga mortal fora curada. E faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens.

E engana os que habitam na terra com sinais que lhe foi permitido que fizesse em presença da besta, dizendo aos que habitam na terra que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida da espada e vivia. E foi-lhe concedido que desse espírito à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta. E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome (Apo 13.11-17). Chamamos esta de segunda besta, o Falso Profeta. O fato de que ele vem da terra significa que é um homem comum. Seus dois chifres significam que ele tem autoridade de testemunha, testificando o poder de seu parceiro superior, assim como João Batista testificou sobre Jesus. Ele se parece muito com Gentil Jesus das denominações liberais e faz milagres como Elias, mas suas palavras se originam no coração de Satanás.

Ele lidera a religião mundial e se assegura de que ela esteja unida em sua adoração ao anticristo. Construindo a imagem dele, ele usa poder sobrenatural do diabo para dar uma aparência de vida e faz com que todos a adorem sob pena de morte. Como ninguém pode dizer se outra pessoa está realmente adorando ou somente fingindo, ele desenvolve um teste. Se você é leal ao anticristo e realmente o adora, você precisa concordar receber uma marca para prová-lo. Isso não somente demonstrará sua sinceridade, mas lhe permitirá participar totalmente na vida principal sem medo. Recusar significa que você é um daqueles que deram seu coração a Jesus. Se você for pego, o castigo é a morte. E mesmo que não seja pego, você enfrentará um desafio quase impossível em simplesmente ficar vivo.

Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis (Apo 13.18). Este verso tem sido assunto de muita especulação e interpretação incorreta, porque nos diz muito pouco. Ele diz somente que o número do anticristo é o número de um homem, e que seu número é literalmente 600 e 60 e 6, o que pode ser diferente de 666. Nós não sabemos.

O que sabemos é que ambas as línguas bíblicas (hebraico e grego) dão valores numéricos às letras de seus alfabetos para compensar sua falta de um sistema numérico direto. Os romanos usavam Numerais Romanos, designando valores numéricos a umas poucas letras, e hoje a maior parte usa Numerais Hindu-Arábicos, símbolos específicos de valor originalmente desenvolvidos no 2° século antes de Cristo, mas de uso restrito até vários séculos depois. Se (e este é um grande se) os números seiscentos, sessenta, e seis, supostamente significam um nome, então o valor numérico do nome do anticristo provavelmente seria igual a essa quantia em sua forma grega, sendo o grego a língua do Apocalipse.

Não acho que faça sentido imaginar um equivalente numérico para as letras do alfabeto português para descobrir isso porque, afora certas práticas religiosas pagãs, não há um sistema de valorização aceito para isso. Nós sempre utilizamos Numerais Arábicos e, assim, não designamos equivalentes numéricos para as letras do nosso alfabeto como os Hebreus, Gregos e Romanos fizeram.

Alguns acham que o número deva se aplicar a algo diferente do seu nome, sua data de nascimento, por exemplo, ou um título de algum tipo. Poderia ser um número de registro, como o nosso número de CPF, ou qualquer dos outros números pelos quais somos conhecidos em vários aspectos de nossas vidas.

O grande qualificador para este verso é a frase “aquele que tem entendimento”. Para mim isso desqualifica a maioria de nós para até mesmo imaginar. Parece que uma pessoa teria que ter um entendimento da prática da gematria, o cálculo da equivalência numérica das letras, palavras, ou frases no grego bíblico para aparecer com a resposta.

Daniel 12.4 nos diz que nos últimos dias o conhecimento se multiplicará. Isso significa que muito em breve alguém quebrará esse código. Pessoalmente, eu acredito que seja improvável que isso aconteça antes de a igreja desaparecer.

Apocalipse 14

O Cordeiro e os 144.000

E OLHEI, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em suas testas tinham escrito o nome de seu Pai. E ouvi uma voz do céu, como a voz de muitas águas, e como a voz de um grande trovão; e ouvi uma voz de harpistas, que tocavam com as suas harpas. E cantavam um como cântico novo diante do trono, e diante dos quatro animais e dos anciãos; e ninguém podia aprender aquele cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra. Estes são os que não estão contaminados com mulheres; porque são virgens. Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá. Estes são os que dentre os homens foram comprados como primícias para Deus e para o Cordeiro. E na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis diante do trono de Deus (Apo 14.1-5). Em Apo 7 nós vimos que faz sentido ver os 144.000 lá exatamente como são descritos… Judeus Messiânicos das 12 tribos de Israel, testemunhando ao mundo depois que a igreja se foi.

Então Quem São Esses Caras?

Aqui um grupo com o mesmo tamanho, 144.000, é mostrado diante do Monte Sião e eles têm os nomes do Pai e do Filho escritos em suas frontes. Eles são descritos como tendo sido redimidos da terra e estão diante do Trono de Deus cantando um novo cântico, um cântico que só eles podem cantar.

Hebreus 12.22-24 fornece uma bela descrição desse grupo. “Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos; à universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados; e a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel”. Isso foi escrito para a Igreja.

A similaridade é inconfundível. Por sua localização (Céu), seu estado espiritual (homens justos tornados perfeitos) e sua dedicação tanto a Deus como a Jesus eles são reminiscentes de um grupo primeiramente visto em Apo 5 e descrito como Reis e Sacerdotes. Eles cantam um novo cântico como aquele grupo, eles seguem o Cordeiro aonde quer que vá, significando que são Seus discípulos, e foram comprados dentre os homens (1 Cor 6.19-20).

Apesar de ser tentador vê-los como os 144.000 originais, martirizados e no Céu, somente um grupo se encaixa perfeitamente naquela descrição... a Igreja. Esses 144.000 são uma amostra dos redimidos, trazidos ao Céu no arrebatamento de Apo 4, e apresentados como os primeiros frutos da colheita das almas, assim como as ofertas alçadas eram os primeiros frutos da colheita de grãos (Lev 23.9-14). A totalidade dos grãos era a colheita, mas somente uma amostra era apresentada.

Quanto à frase “contaminados com mulher”, ela é usada para simbolizar a adoração a ídolos. Como a adoração pagã era sexual em sua natureza, o Senhor às vezes descrevia a adoração de ídolos em termos sexuais (leia Eze 16 e 23 se quiser). Esses 144.000 não haviam feito isso. De fato eles eram totalmente inculpáveis, mais evidências de que eles são os redimidos no Céu. Nenhum humano na terra é inculpável, e não há evidência bíblica que homens que permanecerem celibatários receberão recompensas especiais.

Os Três Anjos

E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo com grande voz: “Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Apo 14.6-7). Note o tremendo contraste entre a visão anterior das coisas no Céu e esta advertência sobre o que está para cair sobre a terra. Esta é a última advertência antes do pavoroso Julgamento das Taças que completa, não inicia, a ira de Deus.

Em Mat 24.14 Jesus prometeu que o Evangelho seria pregado em todas as nações antes do fim dos tempos. As pessoas têm especulado sobre este anjo seria na verdade TV via satélite ou algo dessa natureza, mas não importa. Entre os primeiros 144.000, os crentes da Tribulação e este anjo Sua promessa tem sido cumprida.

E outro anjo seguiu, dizendo: “Caiu, caiu Babilônia, aquela grande cidade, que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição” (Apo 14.8). Este verso fala do futuro colapso da igreja mundial. Como veremos em Apo 17, o anticristo terá usado essa “igreja” como meio para um fim. Mas agora é tempo para todo o mundo louvá-lo e somente a ele.

E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: “Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão, também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome”. Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.

E ouvi uma voz do céu, que me dizia: “Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor”.

“Sim”, diz o Espírito, “para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os seguem” (Apo 14.9-13). Uma clara advertência de terríveis conseqüências por adorar o anticristo e receber sua marca. Que posição absolutamente insuportável de se estar. Adore a Deus e morra agora. Adore o anticristo e morra para sempre. A voz do Céu concorda pronunciando a 2ª de sete bênçãos no Apocalipse. A primeira foi para aqueles que lêem, ouvem e guardam no coração o que está escrito neste livro (Apo 1.3). Esta é para aqueles que são martirizados por sua fé durante a Grande Tribulação.

A Colheita da Terra

E olhei, e eis uma nuvem branca, e assentado sobre a nuvem um “semelhante ao Filho do homem”, que tinha sobre a sua cabeça uma coroa de ouro, e na sua mão uma foice aguda. E outro anjo saiu do templo, clamando com grande voz ao que estava assentado sobre a nuvem: “Lança a tua foice, e sega; a hora de segar te é vinda, porque já a seara da terra está madura”. E aquele que estava assentado sobre a nuvem meteu a sua foice à terra, e a terra foi segada (Apo 14.14-16). Alguns querem ver esse anjo como Jesus, por causa da frase “filho do homem”. Para mim o maior argumento contra isso é o fato de que ele está usando uma stephanos, ou coroa da vitória, como a que a igreja usa. Jesus usa um diadema, ou coroa de realeza. Mas quer ele seja ou não, não afeta nosso entendimento da passagem. Ele está sendo ordenado a iniciar a fase final do julgamento da terra.

E saiu do templo, que está no céu, outro anjo, o qual também tinha uma foice aguda. E saiu do altar outro anjo, que tinha poder sobre o fogo, e clamou com grande voz ao que tinha a foice aguda, dizendo: “Lança a tua foice aguda, e vindima os cachos da vinha da terra, porque já as suas uvas estão maduras”. E o anjo lançou a sua foice à terra e vindimou as uvas da vinha da terra, e atirou-as no grande lagar da ira de Deus. E o lagar foi pisado fora da cidade, e saiu sangue do lagar até aos freios dos cavalos, pelo espaço de mil e seiscentos estádios (Apo 14.17-20).

Esta passagem, como aquela antes dela, é uma perspectiva, simbólica das coisas por vir. Aqueles sendo segados são descrentes da terra. Sabemos disso porque é feita referência à vinha da terra, não à vinha verdadeira. Também o lagar da ira de Deus que está localizado fora da cidade simboliza o futuro julgamento das taças, culminando na Batalha do Armagedom.

Esse período de tempo está também em vista na Parábola do Reino do Joio e do Trigo, onde antes de o Trigo (filhos do Reino) ser trazido para o milênio, os filhos do Mal são segados e atirados na fornalha ardente (Mat 13.36-45). Filhos do Reino se refere aos crentes vivos na terra durante a Grande Tribulação.

Isso mostra a que extensão Satanás sacrificará a humanidade para manter sua posse do Planeta Terra. Leia em Isa 63 uma profecia do Antigo Testamento sobre esse tempo.

As coisas estão acontecendo bastante depressa agora, então João tem que ficar indo e voltando entre as coisas no Céu e as na terra, primeiro apresentando uma perspectiva e então voltando para preencher os detalhes, para assegurar que entendemos tudo. O pensamento principal aqui é transmitir a extensão da carnificina. A altura média dos freios do cavalo é de 1,40 metros acima do solo e 1600 estádios é igual a mais ou menos 280 quilômetros para você ter uma idéia. Se você pudesse dirigir ao longo de seu comprimento a 50 quilômetros por hora, levaria quase 6 horas. Na próxima vez teremos os detalhes do Julgamento das Taças.