Apocalipse 15 - 16

Um estudo Bíblico por Jack Kelley – www.gracethrufaith.com

O tempo dos Juízos das Taças está sobre nós. A fúria total da Ira de Deus, iniciada no capítulo 6, está chegando. Ele tem construído seus estágios para dar a todos que desejarem a oportunidade de buscar e encontrá-lo antes que seja tarde demais. Mas agora o clímax está ao alcance das mãos. Com a conclusão dos Juízos das Taças, as justas exigências de Deus por julgamento sobre aqueles que rejeitaram Seus honestos e incessantes apelos por reconciliação terão sido satisfeitas. Enfim o Planeta Terra estará pronto para receber Seu Rei e desfrutar a paz que somente Ele pode trazer.

Apocalipse 15

E VI outro grande e admirável sinal no céu: sete anjos, que tinham as sete últimas pragas; porque nelas é consumada a ira de Deus. E vi um como mar de vidro misturado com fogo; e também os que saíram vitoriosos da besta, e da sua imagem, e do seu sinal, e do número do seu nome, que estavam junto ao mar de vidro, e tinham as harpas de Deus. E cantavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro, dizendo:
“Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei dos santos. Quem te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o teu nome? Porque só tu és santo; por isso todas as nações virão, e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos”
(Apo 15.1-4). O que eu disse antes merece ser repetido. A Ira de Deus não começa aqui, ela termina aqui. Ela começou no capítulo 6, nos juízos dos selos, como indicado em Apo 6.17. Se você está procurando pelo arrebatamento pré-ira da Igreja, você terá que olhar no capítulo 4, onde a visão pré-tribulacionista o colocou desde o início.

A conformação da vontade do homem com a de Deus, à tanto resistida, será finalmente alcançada. Seguindo-se à certa e total derrota do anticristo e seus aliados, todo joelho no Céu, na terra e debaixo da terra se dobrará e toda língua confessará que Jesus Cristo é Senhor (Fil 2.10-11).

E depois disto olhei, e eis que o templo do tabernáculo do testemunho se abriu no céu. E os sete anjos que tinham as sete pragas saíram do templo, vestidos de linho puro e resplandecente, e cingidos com cintos de ouro pelos peitos. E um dos quatro animais deu aos sete anjos sete taças de ouro, cheias da ira de Deus, que vive para todo o sempre. E o templo encheu-se com a fumaça da glória de Deus e do seu poder; e ninguém podia entrar no templo, até que se consumassem as sete pragas dos sete anjos (Apo 15.5-8). O fato de que esses anjos estão vestidos de linho puro significa que os juízos são justos. A terra merece cada pedaço do que está por vir e não será uma vista muito bonita. O Rei do universo Se fecha dentro de Seu Templo para lamentar a necessidade de tudo isso, e uma vez mais nos é mostrado que Ele não fará nada para encurtar a duração ou diminuir o impacto desses juízos finais. Eles seguirão seu curso e ninguém poderá mudar isso.

Apocalipse 16

As Sete Taças da Ira de Deus

E OUVI, vinda do templo, uma grande voz, que dizia aos sete anjos: Ide, e derramai sobre a terra as sete taças da ira de Deus. E foi o primeiro, e derramou a sua taça sobre a terra, e fez-se uma chaga má e maligna nos homens que tinham o sinal da besta e que adoravam a sua imagem (Apo 16.1-2). Todos foram advertidos sobre as terríveis conseqüências que viriam de receber a marca (Apo 14.9-12). Mas como de costume no que diz respeito a Deus, muitas pessoas ignoraram a advertência. Eles só podem culpar a si mesmos.

E o segundo anjo derramou a sua taça no mar, que se tornou em sangue como de um morto, e morreu no mar toda a alma vivente (Apo 16.3) Um terço do mar havia sido atingido nos Juízos das Trombetas. Agora o restante está contaminado.

E o terceiro anjo derramou a sua taça nos rios e nas fontes das águas, e se tornaram em sangue. E ouvi o anjo das águas, que dizia: “Justo és tu, ó Senhor, que és, e que eras, e santo és, porque julgaste estas coisas. Visto como derramaram o sangue dos santos e dos profetas, também tu lhes deste o sangue a beber; porque disto são merecedores”.
E ouvi outro do altar, que dizia:
“Na verdade, ó Senhor Deus Todo-Poderoso, verdadeiros e justos são os teus juízos”
(Apo 16.4-7). E novamente o suprimento de água doce é atacado. Parcialmente envenenado antes (Apo 8.11), ele agora se transforma em sangue como o mar.

Pela segunda vez, não existe “há de vir” no nome de Deus. Mas agora o Nome também indica a pluralidade da Trindade (Algumas traduções antigas incluem a frase “há de vir” e algumas não). Aqueles que estão sob o altar clamam em apoio a estes juízos. É do seu sangue que o anjo das águas está falando (Apo 6.9-10).

E o quarto anjo derramou a sua taça sobre o sol, e foi-lhe permitido que abrasasse os homens com fogo. E os homens foram abrasados com grandes calores, e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre estas pragas; e não se arrependeram para lhe darem glória (Apo 16.8-9). Nos EUA, 2006 foi o ano mais quente já registrado, até então. Incrivelmente, a causa número um do aquecimento global é o crescente aumento da temperatura do sol. A despeito dos esforços patéticos dos homens de legislar por um retorno, essa tendência continuará até o dia em que as pessoas realmente arderão em chamas se ficarem diretamente expostas ao seu calor.

E o quinto anjo derramou a sua taça sobre o trono da besta, e o seu reino se fez tenebroso; e eles mordiam as suas línguas de dor. E por causa das suas dores, e por causa das suas chagas, blasfemaram do Deus do céu; e não se arrependeram das suas obras (Apo 16.10-11). Agora está ficando pessoal. Tendo afundado a terra em escuridão espiritual, o anticristo é levado à escuridão física, adicionando mais desconforto às chagas e queimaduras. Nenhuma lâmpada, nenhum fogo, nem mesmo o sol dará alívio da escuridão tão densa que quase se pode senti-la. O esforço de Satanás de transformar a verdade em mentira foi tão eficiente que os homens amaldiçoam a Deus por seus problemas, endurecendo seus corações ainda mais contra o arrependimento. Crendo que Deus é seu inimigo e que Satanás está tentando salvá-los, eles decidem ficar firmes em sua lealdade ao anticristo.

E o sexto anjo derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates; e a sua água secou-se, para que se preparasse o caminho dos reis do oriente. E da boca do dragão, e da boca da besta, e da boca do falso profeta vi sair três espíritos imundos, semelhantes a rãs. Porque são espíritos de demônios, que fazem prodígios; os quais vão ao encontro dos reis da terra e de todo o mundo, para os congregar para a batalha, naquele grande dia do Deus Todo-Poderoso (Apo 16.12-14). A Grande Fronteira entre o Ocidente e o Oriente é finalmente removida e a colisão de vencedores das Guerras Orientais de Apo 9.13-16, com suas mentes embaralhadas pelos espíritos malignos, vem retumbando em direção ao Oriente Médio para o confronto final.

Antes de prosseguirmos, é hora de uma breve lição de história, cortesia de Dan 11.40-45. Quando Alexandre o Grande morreu em 323 AC, o Império Grego foi dividido entre seus quatro generais. Cassandro tomou os territórios da Europa Oriental em volta do Mar Adriático. Seleuco tomou a Turquia, o Iraque e a Síria. Lisímaco ficou com as províncias Orientais se estendendo do Irã até a Índia. Ptolomeu ficou com o Egito. Cassandro não é mencionado em Daniel 11, e Seleuco mais tarde derrotou seu amigo Lisímaco, adquirindo o Irã e o Império Oriental no processo. A história de Daniel 11 é sobre os Reis do Norte (os Selêucidas) e os Reis do Sul (os Ptolomeus) lutando pelo controle de todo o Império. Esses são os reis dos versos 40-45.

É claro que quando Daniel escreveu o capítulo 11, por volta de 539 AC, esses homens ainda não haviam sequer nascido, e o Reino de Alexandre ainda estava 200 anos à frente. Mas numa maravilhosa demonstração do conhecimento de Deus sobre o futuro, existem 135 profecias historicamente cumpridas nos primeiros 35 versos de Daniel 11, todas escritas de 200 a 400 anos antes dos fatos. Isso dá credibilidade ao que Ele fez Daniel escrever sobre os tempos do fim, começando no verso 36. Mas por enquanto, nos concentraremos nos versos 40-45.

Ao mesmo tempo em que o os Reis do Leste de Apo 16.12 começam sua marcha, outra enorme força do norte começa a se mobilizar. Antes, o Rei do Norte (principalmente Irã, Iraque, Turquia e Síria), havia se unido ao Rei do Sul (Egito) para se opor ao movimento do anticristo para controlar o Oriente Médio, mas ele os superou. Somente a Jordânia, o lugar do esconderijo dos Judeus, permaneceu intacta (Dan 11.40-43). Então esta nova ameaça do norte não pode ser o já derrotado Rei do Norte.

Relatórios do movimento dessa enorme força de combate do Leste e do Norte alarmam grandemente o anticristo. O que eles pretendem? Será esta a aliança Sino-Russa que o mundo tem temido há tanto tempo? Ou será cada homem por si mesmo?

Montando seu quartel general em Jerusalém, o anticristo prepara suas tropas para encontrá-los na última grande batalha pelo Planeta Terra (Dan 11.44-45). Segundo algumas estimativas, cerca de 400 milhões de combatentes estarão envolvidos antes que termine. O sangue de seus mortos forma o rio que corre de Megido, na parte central de Israel, até Petra, na Jordânia, cerca de 280 quilômetros de distância.

“Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia, e guarda as suas roupas, para que não ande nu, e não se vejam as suas vergonhas”.
E os congregaram no lugar que em hebreu se chama Armagedom
(Apo 16.15-16). A frase “venho como ladrão” tem sido usada muitas vezes para descrever a vinda do Senhor para Sua igreja, mas aqui eu acredito que significa que esses combatentes humanos estão tão preocupados um com o outro que não notam o exército que realmente deveriam temer, aquele que está saindo do céu.

O nome Armagedom vem da frase hebraica Har Megiddo, ou Monte Megido. Este é um lugar no centro de Israel à entrada ocidental para o Vale de Jezreel. O Rei Salomão tinha enormes estábulos lá e Napoleão chamou esse vale de o mais ideal campo de batalha na terra. Aqui ele é usado como o palco para as tropas reunidas contra o anticristo.

Os crentes sobre a terra são acautelados a ficar alertas e manter sua justiça intacta porque o tempo é muito curto e se não forem cautelosos serão pegos desprevenidos. No livro do Apocalipse não há indicação do Espírito interior garantindo a segurança dos crentes da Tribulação como faz durante a era da Igreja. Como era o caso dos santos do Antigo Testamento, eles têm que ficar acordados e alertas e cuidar da sua posição diante de Deus constantemente.

E o sétimo anjo derramou a sua taça no ar, e saiu grande voz do templo do céu, do trono, dizendo: “Está feito”. E houve vozes, e trovões, e relâmpagos, e um grande terremoto, como nunca tinha havido desde que há homens sobre a terra; tal foi este tão grande terremoto. E a grande cidade fendeu-se em três partes, e as cidades das nações caíram; e da grande Babilônia se lembrou Deus, para lhe dar o cálice do vinho da indignação da sua ira. E toda a ilha fugiu; e os montes não se acharam (Apo 16.17-21). Esta passagem desafia qualquer descrição. Deus deu ao Planeta Terra seu mais severo julgamento. Qualquer coisa mais e o planeta literalmente deixaria de existir.

Terremotos nivelam todas as cidades. Babilônia, antiga inimiga de Deus, é separada para um tratamento especial que discutiremos na próxima vez. Toda a terra está sendo reformada neste ciclo final de juízo, parcialmente para erradicar todo traço das intenções malignas do homem e parcialmente para prepará-la para uma reconstrução total quando vier o Messias.

O castigo bíblico para a blasfêmia é a morte por apedrejamento (Lev 24.10-16). O anticristo e o povo da terra têm blasfemado o Nome de Deus desde o início. Agora vem a fase do castigo. Blocos de gelo de 45 quilos despencam do céu. Deus está apedrejando as pessoas da terra por sua blasfêmia. E ainda assim eles O amaldiçoam.

Na próxima vez, cobriremos a destruição dessas três poderosas forças que formam Babilônia a Grande, e que têm oprimido e escravizado a humanidade através da maior parte da história. Elas são religiosas, comerciais e governamentais em natureza e cada uma é tratada com uma medida especial da Ira de Deus. Nos vemos então.