Apocalipse 2 e 3 - Sete Cartas Para Sete Igrejas - Parte 1

Um Estudo Bíblico por Jack Kelley – www.gracethrufaith.com

De acordo com Apocalipse 1.1, o livro foi escrito para sete congregações na Ásia, atual Turquia. Por 2.000 anos os estudiosos têm imaginado porque uma mensagem tão importante seria enviada a essas sete igrejas, já que elas não eram as mais importantes nem mesmo em seus dias, quanto mais agora. É verdade, Éfeso era uma cidade líder de seu tempo, mas a igreja de lá era pequena e assim eram as outras. Por que o livro não foi escrito para a Igreja de Roma, por exemplo? Certamente o Senhor sabia que Roma seria a capital do Cristianismo por uma grande parte da história da igreja, o endereço perfeito para uma mensagem atemporal. Ou que tal Jerusalém, onde a Igreja nasceu.

A resposta está na descoberta de que as cartas dos capítulos 2 e 3 têm um propósito representativo, bem como específico. Elas podem na verdade ser lidas com quatro níveis de aplicação.

Quatro Níveis de Aplicação

O primeiro nível é histórico. As sete igrejas realmente existiram e cada uma tinha experiência com o problema em particular a que o Senhor quando ditou as cartas a João. Segundo, já que todas as igrejas deveriam ler todas as cartas, elas eram também admoestações para todas elas. Terceiro, como tanto o desafio quanto a promessa com que cada carta termina são pessoais e não corporativos, as cartas eram para indivíduos assim como para congregações. E quarto, lidas na ordem em que aparecem elas delineiam a história da igreja, então são proféticas. Elas cronicam o espaço entre a 69ª e a 70ª semana de profecia das 70 semanas de Daniel (Daniel 9.24-27).

O Senhor começa cada carta com um dos 24 títulos diferentes que são usados para descrevê-Lo no livro, e o título que Ele escolhe dá uma pista para o tema da carta. O nome de cada Igreja também contém uma pista. Cada carta pode ser dividida em sete partes, o título do Senhor sendo a primeira. Então vem uma menção honrosa, uma crítica, uma admoestação, um chamado, um desafio e uma promessa. Duas das sete cartas, Sardes e Laodicéia, não contêm menção honrosa, e em duas outras, Esmirna e Filadélfia, nenhuma crítica é feita. Pérgamo não recebe admoestação, mas tem duas críticas. Nas últimas quatro cartas o desafio e a promessa estão invertidos.

Eu dissecarei cada carta em suas partes componentes enquanto seguimos. E como eu já visitei os locais de cada uma das sete igrejas alguns anos atrás, incluirei uma nota pessoal ou duas também. A propósito, cada carta também carrega uma interessante semelhança com uma das sete Parábolas do Reino de Mateus 13, e com uma das 7 cartas que Paulo escreveu para igrejas. (Paulo, na verdade, escreveu 13 cartas, não incluindo Hebreus, mas quatro eram para indivíduos e duas eram segundas cartas para igrejas para as quais ele escrevera anteriormente). Com isso, vamos começar.

Para a Igreja de Éfeso (Apo 2.1-7)

“ESCREVE ao anjo da igreja que está em Éfeso:” Éfeso significa querida, ou amada, companheira escolhida. Éfeso representa a igreja do 1º século.

(Título) “Isto diz aquele que tem na sua destra as sete estrelas, que anda no meio dos sete castiçais de ouro:” Usando este título o Senhor Se identifica como Aquele que veio visitar João, Aquele com autoridade sobre a Igreja, e Aquele a quem a Igreja deve afeição bem como lealdade.

(Menção honrosa) “Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência, e que não podes sofrer os maus; e puseste à prova os que dizem ser apóstolos, e o não são, e tu os achaste mentirosos. E sofreste, e tens paciência; e trabalhaste pelo meu nome, e não te cansaste.” A igreja em Éfeso trabalhou incansavelmente para permanecer verdadeira em relação ao Seu Evangelho.

(Crítica) “Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor.” A igreja já se tornara tão ocupada em seu serviço ao Rei que esqueceu do próprio Rei! A relação que Ele buscava estava se transformando em outra religião.

(Admoestação) “Lembra-te, pois, de onde caíste!” Quantas vezes ouvimos amigos comentarem sobre os “bons velhos tempos” quando eram recém convertidos?

(Chamado) “Arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres. Tens, porém, isto: que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio.” Aqui está o remédio. Volte a fazer o que fazia antes. Lembre-se de quando não conseguia se fartar da Bíblia? Quando aparecia na igreja meia hora antes, só porque amava estar lá, e não queria sair quando o serviço terminava? Como mantinha uma conversa com o Senhor que começava quando você acordou de manhã e não terminava até que adormecesse à noite?

Os Nicolaítas eram uma seita herege que advogava uma mistura de costumes pagãos, como comer alimento sacrificado a ídolos e imoralidade sexual, com a adoração cristã. Há somente Um digno de receber adoração, e adorá-lo é o propósito principal da Igreja.

O castiçal é identificado em Apo 1.20 como a igreja, então, removê-lo significa remover a igreja de Éfeso. Apesar de as ruínas de Éfeso serem extensas e impressionantes, necessitando a maior parte do dia para serem vistas, quando estivemos lá há alguns anos atrás, encontramos somente escassos traços da igreja de Éfeso do 1º século.

(Desafio) “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas:” Procure nos dois lados da sua cabeça. Você tem orelhas aí? Então esta carta foi escrita para você. Apesar de a carta a Éfeso descrever a era apostólica, a igreja luta com os mesmos problemas hoje. A igreja como um todo está muito distraída com programas e planos, sua congregação está muito ocupada implementando-os, e você está muito ocupado ajudando. Somos seres humanos, não feitos humanos, e uma vez salvos, estar com o Senhor em companheirismo é o propósito de nossa vida.

(Promessa) “Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus.” Por causa da ênfase nas boas obras e programas na igreja hoje, muitos que se chamam cristãos, e corretamente se consideram membros ativos de suas congregações, nunca encontraram tempo para ter um encontro com o Rei que eles alegam servir e receber o perdão que Ele comprou para eles com Sua vida. Quão chocados eles ficarão ao ouvi-Lo dizer: “Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade” (Mat 7.23)

A primeira das Parábolas do Reino, o Semeador, se aplica aqui. Ela ensina que enquanto a semente foi plantada em todo o mundo, ela somente encontrou solo fértil em uma pequena parte. E é claro que a carta de Paulo aos Efésios é a mais clara descrição de como nós somos imediatamente recebidos por Deus, tendo sido salvos pela graça, não pelas obras para que ninguém se gabe.

Para a Igreja de Esmirna (Apo 2.8-11)

“E ao anjo da igreja que está em Esmirna, escreve:” Esmirna significa esmagada. Vem da mesma raiz que mirra, uma erva balsâmica que libera seu aroma ao ser esmagada. Esmirna representa a igreja do 2º e 3º séculos que sofreu intensa perseguição.

(Título) “Isto diz o primeiro e o último, que foi morto, e reviveu:” A ênfase no título é óbvia, superar a morte.

(Menção honrosa) “Conheço as tuas obras, e tribulação, e pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia dos que se dizem judeus, e não o são, mas são a sinagoga de Satanás.” Os primeiros a perseguir a igreja foram os judeus. Policarpo, o mais famoso dos primeiros mártires, era o bispo de Esmirna e lá ele foi queimado na estaca com a idade de 86 anos.

(Admoestação) “Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias.” Os dez dias referem-se aos reinos de 10 Césares Romanos, cobrindo um período de 250 anos.

(Chamado) “Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.” Não há promessa de livramento, somente de recompensa no céu. As estórias de da graça dos crentes em face da morte enquanto métodos engenhosos e diabólicos eram empregados para exterminá-los como uma forma de entretenimento público alcançaram status lendário.

(Desafio) “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas:” Muitos de nós no Ocidente nunca enfrentamos sérias ameaças por causa de nossa fé, mas em todo o mundo o número de mártires cristãos tem chegado à média de 1 milhão por ano pelos últimos 10 anos. Seu número somente crescerá à medida que o Fim se aproxima.

(Promessa) “O que vencer não receberá o dano da segunda morte.” Um antigo adágio diz: Nasça uma vez e morra duas. Nasça duas vezes e morra uma. É a segunda morte que você deve evitar. Ela é permanente.

Hoje uma próspera cidade chamada Izmir, a terceira maior da Turquia, está onde a antiga Esmirna uma vez esteve. Um incidente que claramente mostrou o senso de humor do Senhor conquanto enfatizasse o ponto de vista da carta, aconteceu enquanto dirigíamos através da cidade. Vimos sinais destacados em uma saída da estrada perto de Izmir apontando para Esmirna e, pensando que havíamos encontrado a antiga cidade, saímos rapidamente. Mas no final da pequena rampa de saída havia uma interseção sem qualquer indicação de que direção nós deveríamos tomar. E não havia mais sinais indicando o caminho para Esmirna. Após uma hora dirigindo para trás e para diante procurando em ambas as direções, eu desisti e segui em frente. Eu não entendi até mais tarde após descrever o evento ao nosso agente de viagens turco. Ele me disse que os sinais apontam para onde Esmirna estava. Não há mais nenhum traço de Esmirna hoje. A igreja de Esmirna está no céu.

A parábola do Joio e do Trigo traz idéias semelhantes sobre esta carta, assim como a carta de Paulo aos Filipenses, cujo tema é alegria no sofrimento.

Para a Igreja de Pérgamo (Apo 2.12-17)

“E ao anjo da igreja que está em Pérgamo escreve:” Pérgamo significa casamento com mistura e representa a mistura de práticas pagãs e cristãs no 4° século, quando o Cristianismo se tornou a religião oficial do Império Romano.

(Título) “Isto diz aquele que tem a espada aguda de dois fios:” Em Hebreus 4.12 a espada de dois gumes é usada para descrever a Palavra de Deus, a fonte da Verdade.

(Menção Honrosa) “Conheço as tuas obras, e onde habitas, que é onde está o trono de Satanás; e reténs o meu nome, e não negaste a minha fé, ainda nos dias de Antipas, minha fiel testemunha, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita.” Com o estabelecimento de Bagdá como o principal centro de distribuição entre o Golfo Pérsico e o Mar Mediterrâneo, em seguida à morte de Alexandre, Babilônia entrou em declínio e a religião do culto da mãe/filho mudou seu quartel general para Pérgamo. (Ela eventualmente se estabeleceu em Roma). A referência à habitação de Satanás mostra a verdadeira fonte dessa falsa religião.

(Crítica 1) “Mas algumas poucas coisas tenho contra ti, porque tens lá os que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, para que comessem dos sacrifícios da idolatria, e se prostituíssem.” (Crítica 2) “Assim tens também os que seguem a doutrina dos nicolaítas, o que eu odeio.” Essas práticas pagãs rastejou para dentro da igreja em Pérgamo, exatamente como em Éfeso.

(Chamado) “Arrepende-te, pois, quando não em breve virei a ti, e contra eles batalharei com a espada da minha boca.” A verdade do Evangelho sempre foi a melhor defesa contra os cultos.

(Desafio) “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas:” Ainda há muita idolatria na igreja. Talvez você tenha estacionado a sua no estacionamento, ou tenha barbeado sua face esta manhã, ou a mantenha em um banco no centro.

(Promessa) “Ao que vencer darei eu a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe.” Assim como a bola preta era um voto contra alguém, uma pedra branca era sinal de confiança. Quando um importante homem de negócios tinha que terminar uma transação em uma cidade distante, ele não viajava para lá. Era perigoso demais. Invés disso, ele enviava um servo de confiança, capacitado a agir em seu favor. O servo carregava uma forma de identificação parecida como uma moeda feita de argila branca cozida. O selo do homem de negócios sendo representada ira impresso na argila, assim como um nome secreto, conhecido somente pela outra parte da transação. Com a apresentação da pedra branca, o servo se autenticava como merecedor de todos os direitos e privilégios de seu mestre. À Sua maneira, nosso Senhor Jesus nos identificará como merecedores dos direitos e privilégios devidos a Ele, quando entrarmos na Presença do nosso Pai do Céu.

Nosso Senhor instruiu os discípulos a irem por todo o mundo (Mat 18.19-20), mas em Pérgamo o mundo veio para a igreja. No 4° século o Edito de Milão tornou o cristianismo legal e finalmente a religião oficial do Império. Quando isso aconteceu, os festivais pagãos se tornaram feriados cristãos. As festas de Saturnalia e Ishtar se tornaram o Natal e a Páscoa. Isso explica o porquê de símbolos pagãos como a acha de Yule (um pedaço de lenha tradicionalmente queimado no natal em países europeus e na América do Norte) e a árvore sempre verde, que simbolizam o sol morrendo e nascendo novamente no solstício de inverno, serem associados com o Natal, enquanto símbolos da fertilidade como o coelho e os ovos estão conectados com a Páscoa. Ishtar era a deusa babilônica da fertilidade.

As impressionantes ruínas sobre um monte 300 metros acima dos vales perto da moderna Bergama são marcadamente pagãs, com os restos de grandes templos aos deuses e imperadores romanos, mas somente pequenos traços da igreja que existia lá.

A parábola da Semente de Mostarda nos fala de uma pequena semente que cresce como algo que ela jamais deveria ser e é uma profecia do que pode acontecer quando o mundo e a igreja são misturados. E a carta de Paulo aos Coríntios, a igreja mundana, é um paralelo óbvio.

Filhos de Um Casamento Misturado

É minha crença que as igrejas em Éfeso, Esmirna e Pérgamo todas desapareceram, simbolicamente e na realidade. Mas o casamento entre as crenças pagãs e a cristã em Pérgamo produziu 4 frutos que sobrevivem até os dias de hoje e são representados pelas quatro cartas restantes. Nós veremos isso na próxima vez.