Profecia Messiânica no Antigo Testamento

Um comentário por Jack Kelley - www.gracethrufaith.com

Durante o tempo após o seu pecado e expulsão do Jardim, Adão e Eva devem ter sentido incrível desepero. Eles haviam experimentado a vida antes e depois da maldição, os únicos a fazerem isso, e tinha conhecimento em primeira mão sobre a diferença. E que diferença! Mesmo a parte dela que podemos relacionar tinha que ter sido devastadora. Por exemplo, suponha que um dia você fosse o gerente residente da propriedade mais rica e luxuosa do mundo, com todos os seus confortos e privilégios, e no dia seguinte fosse pobre e insatisfeito fazendeiro, do lado oposto da estrutura econômica e social. E que isto fosse somente o começo. Que tal não ser mais imortal, não ser mais um com Ele em espírito?

A Semente da Mulher

Para evitar que eles ficassem excessivamente desanimados, Deus prometeu-lhe um redentor. Em Gêneses 3:15 nós lemos,

E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

Ele estava falando àquele que estava possuindo a serpente e em Hebraico a promessa contem uma impossibilidade biológica. A semente vem do macho. Esta é a primeira insinuação de um nascimento virginal na Bíblia. Um descendente da mulher destruiria Satanás e reverteria as conseqüências do ato que ele havia manipulado, redimindo a humanidade de sua ligação com o pecado.

Dois capítulos depois, em Gêneses 5, a Bíblia nos dá outra pista disso. As palavras raiz Hebraicas dos nomes do 10 patriarcas listados ali formam uma sentença. Em português lê-se,

"Ao homem é apontada tristeza de morte, mas o bendito Deus descerá ensinando que Sua morte trará o desesperado descanso".

Esta é uma profecia de que o próprio Deus viria à terra como a Semente da Mulher, e redentor dos homens.

Séculos depois, isso foi confirmado pelo Profeta Isaías.

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz (Isaías 9.6).

Como crentes do Novo Testamento nós podemos ver que os cinco nomes listados aqui descrevem os três membros da Trindade. Maravilhoso é o nome pelo qual o Anjo do Senhor Se identificou ao visitar os pais de Sansão (Juízes 13.18). Quando a frase "O Anjo do Senhor" aparece no Antigo Testamento, ela o faz em conjunção com uma visita pré-encarnada do Senhor Jesus. Que Ele está sendo referenciado aqui é confirmado pelo título, Príncipe da Paz. Jesus chamou o Espírito Santo de Conselheiro em João 14.26, e Deus Forte e Pai da Eternidade só podem se referir a Deus.

Um Descendente de Abraão

Em Gêneses 12.1-3 a origem desse redentor se torna mais clara. Ali Deus prometeu a Abraão que todas as nações da terra seriam abençoadas através dele, e em Gêneses 22 fez com que Abraão atuasse isso com o sacrifício de Isaque, o "filho único" de Abraão, sobre o Monte Moriá. 2000 anos depois um outro Pai ofereceria Seu único Filho como sacrifício pelo pecado no mesmo lugar. Abraão soube disso e chamou o lugar de Jehovah Jireh, dizendo, "No monte do Senhor se proverá" (Gêneses 22.14).

O Leão de Judá

Mais tarde, quando o neto de Abraão, Jacó, se aproximava da morte, Ele estreitou ainda mais isso dizendo que todos os reis de Israel, inclusive o último e definitivo, "aquele a quem pertence", viriam dentre os descendentes de um de seus filhos, Judá (Gêneses 49.10), apresentando o "Leão de Judá" como uma referência messiânica.

O Filho de Davi

Em 2 Samuel 7.12-15 nós lemos que Davi desejava construir um Templo para Deus, mas Deus recusou dizendo que seria preciso um homem de paz para construir uma casa para Ele. Ele disse que o filho de Davi, Salomão, seria esse homem, e durante o reinado de Salomão Issrael experimentou paz como nunca antes ou depois. Mas, para diminuir o desapontamento de Davi, Deus prometeu construir para ele uma "casa" e a Dinastia Davídica foi fundada. Daí em diante sempre haveria um descendente direto de Davi no trono de Israel. Esta foi uma promessa eterna feita por volta de 1000 AC, e Salomão seria o primeiro cumprimento. Mas como nem Salomão nem qualquer outro Rei Davídico foi aclamado pelos homens por ter "praticado o mal", existe muito mais acontecendo do que o olho pode ver. As palavras lançam sombras do Messias.

Assim, através da progressiva revelação de Deus, nós estreitamos a coisas desde descobrir que o redentor seria um descendente de Eva, o que não excluiria ninguém, até a família de Abraão, depois Judá, e então Davi. Mas ainda não terminamos. Durante os próximos 400 anos os Reis Davídicos foram de mal a pior, com poucas exceções. Finalmente, no tempo do Profeta Jeremias, Deus se encheu e pronunciou uma maldição de sangue sobre a linhagem de Davi, dizendo que nenhum filho do Rei Jeoaquim jamais reinaria sobre Israel (Jeremias 22.30). A linhagem Davídica, iniciada com Salomão, estava aparentemente terminada e a promessa de Deus a Davi quebrada.

O Ramo

Entretanto, antes de a nação ser levada para Babilônia, enquanto um Rei Davídico ainda se assentava no trono, Deus fez Ezequiel anunciar que a linhagem estava sendo suspensa e que não seria restaurada até que "venha aquele a quem pertence de direito" (Ezequiel 21.27), trazendo à mente a profecia de Jacó. Em 519 AC, depois de os Judeus retornarem do cativeiro Babilônico, Deus disse que um homem que Ele chamou de O Ramo seria o tal, e que Ele teria o sacerdócio também, combinando os dois (Zacarias 6.12). Existem quatro referências ao Ramo no Antigo Testamento, e todas apontam para o Messias.

Nascido de Uma Virgem, Nascido em Belém

Mas como Deus contornaria a maldição de sangue? Para a resposta a isso, temos que voltar até por volta de 750 AC. Naquele tempo duas das mais específicas profecias messiânicas jamais proferidas estreitaram o campo a uma única possibilidade. Em Isaías 7.14 o Senhor proclamou que o Messias seria nascido de uma virgem, e em Miquéias 5.2 que ele nasceria em Belém, a Cidade de Davi.

A fim de se qualificar legalmente para se assentar no trono de Davi, o Rei Messias teria que ser da casa e da linhagem de Davi. Ser da casa de Davi significa ser um descendente biológico de Davi. Ser da linhagem de Davi significa pertencer à Linhagem Real. Como isso pode ser?

Quando lemos as genealogias do Senhor em Mateus 1 e Lucas 3, podemos ver diferenças começando no tempo de Davi. a genealogia de Mateus corre através de Salomão, a Linhagem Real amaldiçoada. Mas a de Lucas corre através do irmão de Salomão, Natã. A linhagem de Natã não foi amaldiçoada, mas eles também não eram reis. Estudo adicional revela que Mateus está, na realidade, nos dando a genealogia de José, enquanto Lucas nos mostra a de Maria. Ambos eram descendentes de Davi, e em adiçao José era um dos muitos que eram herdeiros do trono de Davi, mas incapazes de o reclamar devido à maldição sobre sua linhagem.

Então, através de Sua mãe Maria, Jesus era um descendente biológico de Davi. Quando Maria e José se tronaram marido e mulher, Ele também se tornou o filho legal de José e herdeiro do Trono de Davi, mas, não sendo biologicamente relacionado a José, Ele não tinha a maldição de sangue. Ele tando da casa quanto da linhagem de Davi. Até o presente Ele é o único homem nascido em Israel desde 600 AC com direito legítimo ao trono de Davi. O anjo Gabriel confirmou isso a Maria quando anunciou sua gravidez iminente, dizendo que Ele o ocuparia para sempre (Lucas 1.32-33). Isaías 9.7 havia revelado o mesmo fato séculos antes. A promessa de Deus a Davi permanece.

Daniel e os Magos

200 anos depois de Miquéias identificar Belém como o local do nascimento do Messias, o Senhor disse a Daniel o tempo de Sua morte. Seriam 483 anos depois do decreto para reconstruir e restaurar Jerusalém, em seguida ao cativeiro Babilônica, mas antes que um exército inimigo viesse destruí-la novamente (Daniel 9.24-27). Isso coloca a morte do Messias em algum ponto entre 32 AD e 70 AD, de acordo com a nossa noção do tempo.

Daniel formou um grupo de Sacerdotes Persas para passar essa informação de pai para filho e, de acordo com a tradição, separou o grosso de sua riqueza pessoal como um presente para eles entregarem ao Messias quando chegasse o tempo de Seu nascimento. Ele aparentemente deu a eles um sinal de confirmação para procurarem, de Números 24.17, mais tarde conhecido como a Estrela de Belém. Recriando os céus antigos através de modelagem por computador, os cientistas anunciaram recentemente a descoberta dessa estrela, na verdade uma conjunção de Júpiter e Vênus, que depois da lua foi a luz mais brilhante no céu do Oriente Médio no tempo do nascimento do Senhor.

Os descendetes daqueles sacerdotes, agora uma força política muito influente na Partia (como a Pérsia veio a ser conhecida), permaneceram fieis à comissão de Daniel e, ao ver a estrela, partiram para Jerusalém. Chegando lá, eles buscaram uma audiência com o Rei Herodes, perguntando pelo paradeiro do que nascera para ser Rei de Israel. Reunindo os principais dos Sacerdotes, Herodes repetiu a pergunta e lhe foi referido Miquéias 5:2, onde Belém é identificada. Os sacerdotes Partitas, ou Magos como os chamamos, foram para lá e encontraram o menino Jesus.

O grupo de candidatos a Redentro da Humanidade, a Semente da Mulher, o Descendente de Abraão, o Leão de Judá, o Filho de Davi, o Messias de Israel, se reduziu a um. Jesus.

Fé em Ação

Pela fé, com nada mais do que a palavra de Daniel a seus ancestrais, o Magos montaram e fizeram uma perigosa viagem de 1300 quilômetros em território inimigo para encontra o Messias (Os Partitas e os Romanos estavam tecnicamente em guerra). Com 4000 anos de escrituras proféticas cumpridas em suas mãos, os principais dos sacerdotes, que não as tomavam mais literalmente, se recusaram a se unirem a eles para os últimos 8 quilômetros de Jerusalém a Belém para ver se a Palavra Deus realmente era verdadeira. Ao fazê-lo, os líderes do povo que Ele veio salvar perderam o evento principal da história humana, consignando-se a si mesmos à separação eterna do mesmo Deus que estavam buscando.

Se a história se repete como dizem que o faz, então, quando Ele voltar, muitos dos peritos religiosos de hoje, que também não tomam as profecias literalmente, cometerão o mesmo erro. Ao se lembrar da razão para esta temporada de festas, tire um tempo para agradecer a Ele por torná-lo como os Magos ao invés de como eles. Feliz Natal 24-12-07