O Pentecostes e o Arrebatamento da Igreja

Um Estudo Bíblico por Jack Kelley – www.gracethrufaith.com

Como um aprofundamento para o artigo da semana passada, foi-me pedido para delinear minha posição de apoio à Festa Judaica do Pentecostes como um provável dia para o Arrebatamento da Igreja. Deixe-me começar repetindo que eu não creio que o Arrebatamento precise necessariamente cair em qualquer Feriado Judaico, mas se fosse então o Pentecostes é o mais provável e aqui está o por que.

O Pentecostes acontece no começo do verão (maio – junho). É o único Feriado entre as 3 Festas da Primavera (Páscoa, Pães Asmos e Primícias) e as 3 do Outono que eu revi na semana passada. Seu nome em Hebraico é Shavuot. Pentecostes é uma palavra grega que se traduz como “50 dias”, já que acontece 50 dias depois das Primícias, o dia que deveríamos conhecer como Manhã da Ressurreição (leia Solucionando o Mistério dos Três Dias e Três Noites). A Festa das Primícias é celebrada no dia seguinte ao primeiro sábado depois da Páscoa e o Pentecostes no dia depois do Sábado, sete semanas depois, (Lev 23.15-16) dando origem ao seu apelido de “Festa das Semanas”. Já que o Shabat Judaico é no sábado, ambos os Feriados são no Domingo.

O que é o Pentecostes?

Os Judeus celebram o Pentecostes (somente usarei seu nome grego para evitar maiores confusões do que o necessário) como o dia em que Moisés recebeu a Lei no Monte Sinai, no deserto, e a nação de Israel nasceu (Exo 19-20). Os cristãos o celebram como o dia em que o Espírito Santo desceu sobre os Discípulos em Jerusalém e a Igreja nasceu (Atos 2) (leia Moisés, Jesus e o Arrebatamento da Igreja). Se você concorda com meu ponto de vista de que as parábolas de Mateus 13 descrevem a Igreja na terra e que a parábola do fermento prediz que haverá pecado na igreja, você estará interessado no fato de que diferentemente de todas as outras Festas Judaicas que exigem pão não levedado, o Pentecostes requer pão assaco com fermento (Lev 23.17). O Pentecostes também iniciava a colheita anual do trigo, talvez apontando para outra parábola do Reino de Mateus, a do Joio e do Trigo. As cerimônias do Pentecostes revelam uma súbita ligação com a igreja por vir.

Nas sinagogas, o Livro de Rute é lido no Pentecostes. A história de Rute tem sido chamada de “O Romance da Redenção” onde Naomi, uma mulher judia de Belém que perde terras e posição e é forçada ao exílio em um país estrangeiro, onde seu marido logo falece deixando-a sem um tostão e sozinha. Ela decide retornar a Belém e é acompanhada por Rute, uma mulher gentia que jurou nunca abandoná-la. Rute era uma moabita que havia se casado com um dos filhos da Naomi, que também havia morrido, tornando-a nora de Naomi e, como ela, uma viúva desprovida. De volta a Belém, um parente de Naomi, um proeminente judeu chamado Boaz, se apaixona por Rute e se casa com ela, redimindo, no processo, as terras e a posição de Naomi, de acordo com a lei (Lev 25.25 e Deu 25.5-6). O modelo aqui é dramático, com Naomi no papel de Israel, destituída e sozinha; Rute como a Igreja, a noiva gentia; Boaz como o Parente Redentor (Messias) e a história uma predição do relacionamento entre eles. Em seu caminho para redimir Israel, o Parente Redentor toma uma noiva gentia, salvando a ambas da destruição e restaurando a terra de Israel. A identificação da Igreja com o Pentecostes começou nas profecias de Rute.

Por falar nisso, Boaz era filho de Raabe, a prostituta do Livro de Josué (leia O Evangelho em Josué – A História de Raabe), e três gerações mais tarde, seu tataraneto Davi tornou-se Rei de Israel. Raabe e Rute aparecem na genealogia do Senhor Jesus (Mat 1.5), e um dos pilares à entrada do templo tinha o nome de Boaz.

Quando é o Seu Aniversário?

Por tradição, Enoque, um dos patriarcas de Gênesis 5, nasceu em um dia a ser mais tarde conhecido como Pentecostes. O nome Enoque significa “ensino”, uma função primária da Igreja, e assim muitos eruditos os vêem como um “tipo” da igreja também. Gênesis 5.21-23 indica que Enoque era bem próximo de Deus e foi verdadeiramente tomado vivo (arrebatado) ao céu pouco antes do Grande Dilúvio. Estudiosos pré-tribulacionistas vêem esse evento como uma pista de um ainda futuro desaparecimento da Igreja logo antes da Grande Tribulação. (leia Como foi nos Dias de Noé). Essas mesmas tradições também sustentam que Enoque desapareceu da terra em seu aniversário. Assim, eis aqui um modelo em Gênesis de um homem identificado com a igreja tendo nascido e sendo arrebatado no dia que se tornaria o Pentecostes, o dia em que a igreja nasceu. (E será arrebatada?)

Tudo isso, é claro, é meramente acumulação de evidências circunstanciais. O Arrebatamento é um evento secreto, e como tal sua cronologia exata é conhecida somente por Deus. Mas somos admoestados a aprender com a história de Israel (Rom 15.4) e estar cientes dos tempos e das estações para que não sejamos pegos de surpresa enquanto os eventos marcando o fim dos tempos se desenrolarem (1 Tes 5.4). Na verdade, nem todos dormiremos (morreremos), mas todos seremos transformados; Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. (1 Cor 15.51-52)

Breve e Muito Breve

Um dia muito em breve, todos os que estão em Cristo, tendo ouvido e crido na Palavra da Verdade, o Evangelho da nossa salvação, recebendo portanto a marca da promessa do Espírito Santo, irão repentinamente desaparecer da face da terra juntamente com todas as crianças e aqueles mentalmente incapazes de tomar decisões conscientes (leia E Quanto aos Pigmeus na África?). Em um instante nós estaremos levando nossas rotinas diárias e no seguinte estaremos de pé na presença de nosso Redentor, nossos pecados perdoados e esquecidos, e todas as nossas imperfeições desfeitas. Entre nós estarão todos os fiéis mortos, reunidos com seus corpos aperfeiçoados e restaurados à eterna vida física. Juntos iniciaremos a mais incrível jornada de exploração e descobrimento jamais sonhada.

Nem nós, nem o mundo descrente, teremos recebido qualquer aviso antecipado do tempo desse evento; ele terá vindo completamente de surpresa. Talvez ele aconteça no Pentecostes, talvez não. Mas uma coisa é certa, quando ele acontecer nenhum de nós se preocupará se o predissemos com exatidão. Expressaremos somente em felicidade inimaginável nossa gratidão por estar lá. Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; (Efe 2.8-9) Mas, como está escrito:As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu,e não subiram ao coração do homem,são as que Deus preparou para os que o amam. Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. (1 Cor 2.9-10). Você quase pode ouvir os passos do Messias.