Eu Neles e Tu em Mim

Um Estudo Bíblico por Jack Kelley - www.grathrufaith.com

Parte da confusão com relação ao caráter permanente da nossa salvação vem de nossa falha em distinguir entre as duas facetas do nosso relacionamento com o Senhor: união e comunhão.

Base e Condição

União descreve a base do nosso relacionamento e é explicada em João 17.20-23. O resumo da passagem é o verso 23, "Eu neles, e tu em mim..."

Efésios 1.13-14 e 2 Coríntios 1.21-22 claramente declaram que no momento da fé somos unidos com Deus e o Espírito Santo é selado dentro de nós como um "... penhor da nossa herança...". Em João 17.23 Jesus declara estar em nós também. Como o Pai está no Filho e o Filho está em nós, então o Pai também está em nós. Pai, Filho e Espírito Santo, todos em nós. União.

Comunhão define a condição do nosso relacionamento em um determinado ponto no tempo. Estamos freqüentemente juntos e conversando com freqüência, ou algo se colocou entre nós, tornando-nos estranhos um ao outro?

A Necessidade de Ambos é Clara

O Senhor quer que aprendamos as lições ensinadas por Israel, primeiro que o mais legítimo esforço jamais praticado pelo homem não pode produzir uma vida simplesmente boa o bastante para atender os padrões de Deus para a justiça.

Mas ainda assim Ele quer que vivamos de uma forma que seja agradável a Ele, obedecendo Suas Leis e recebendo Suas bênçãos. Ele sabe que seremos mais felizes e viveremos uma vida mai longa e melhor dessa forma. E essa é a segunda lição.

É claro que somente podemos ser verdadeiramente livres para viver uma vida feliz e abençoada se não estivermos constantemente temendo perder tudo, e ainda nossa natureza pecaminosa fará até o melhor de nós ficar em débito em algumas ocasiões. Então Ele Se assegurou de que Sua promessa de Vida Eterna pudesse ser mantida independentemente do nosso mérito, pagando Ele mesmo todo o preço, e então a tornou irrevogável selando a Si mesmo dentro de nós. O antigo hino chama isso de "Bendita Segurança". Ele chama isso de união.

Você Ainda Está Pecando?

E Ele Se certificou de que quando continuássemos pecando ao quebrar Suas Leis, mesmo depois de sermos salvos, nós pudéssemos restaurar nosso relacionamento simplesmente confessando nossos pecados e pedindo Seu perdão. Isto se chama manter a comunhão e Ele tornou isso possível pagando antecipadamente por todos os pecados de nossa vida.

A Quem Você Chama de Teimoso?

Ele sabia que sendo criaturas teimosos e rebeldes, nós às vezes negaríamos nossos pecados, justificando nosso comportamento e recusando-nos a arrepender. Como jamais poderia tolerar o pecado, Ele sabia que isso interomperia nossa comunhão e O forçaria a retirar temporariamente nossas bênçãos (isso se chama disciplina). Ele espera que isso nos force a arrepender e confessar nossos pecados para que possamos ser perdoados e restaurados, não tendo medo de ser recusados ou rejeitados (1 João 1.8-10)

Existem duas razões por que muitos Cristãos vivem vidas derrotadas e infrutíferas. Ou lhes ensinaram uma doutrina que omite qualquer referência à santidade e eles vivem fora da comunhão e nem o sabem; ou eles se convenceram que de alguma forma estão além do perdão de Deus e portanto não podem restaura sua comunhão com Ele. Ambos ignoram a admoestação e a promessa de 1 João 1.8-10 e são as armas principais na artilharia de Satanás.

A Oração do Senhor

Então, na próxima vez que orar "perdoa-nos as nossas dívidas assim com nós perdoamos aos nossos devedores", você saberá que está pedindo para ser restaurado à comunhão depois de ter ficado bravo com alguém que lhe ofendeu. Você o perdoou e pode agora ser perdoado por sua raiva (Mateus 6.14). Justificada ou não, a raiva é um pecado (Mateus 5.22).

E Então Temos Hebreus 6.4-6

E na próxima vez que você ler esta famosa passagem, saberá que o escritor estava avisando os Judeus Messiânicos de que se voltassem a sacrificar ovelhas por seus pecados (voltar ao ritual Judaico) seria impossível para eles restaurar sua comunhão com o Senhor. A sombra havia sido substituída pela realidade. Ele não os estava ameaçando com a irrevogável perda da salvação, mas com a perda da comunhão.

Como Você Sabe Disso?

Existem vários lugares em que poderíamos procurar apoio para essa idéia, mas talvez a mais clara esteja na parábola do Filho Pródigo. Ela é encontrada em Lucas 15.11-32 se desejar vevê-la. Dois pontos são críticos. Quando o filho exigiu o direito de deixar a casa de seu pai e seguir seu próprio caminho, ele não deixou de ser o filho de seu pai, e quando finalmente caiu em si e retornou, seu o recebeu de volta com celebração. A união nunca foi quebrada e a comunhão havia sido incondicionalmente restaurada.

Quando você entregou seu coração a Jesus, Ele lhe deu autoridade para se tornar filho de Deus (João 1.12). Como você é Seu filho, é também Seu herdeiro (Gálatas 4.4-7) e a sua herança é a Vida Eterna (Tito 3.7). Seus pecados não confessados interromperão sua comunhão com Deus, mas você jamais poderá deixar de ser Seu filho.