Creia Em Seu Coração

Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. (Rom. 10:9)

Todos nós confessamos (dar ênfase ou reconhecer) com nossas bocas e entendemos a sua importância para a nossa salvação, mas e quanto à parte "crer em teu coração" do verso? No verso 10 Paulo diz que é com o nosso coração que cremos e somos justificados. A palavra Grega traduzida como justificar é dikaios que significa inocente ou santo. A versão King James traduz esta palavra como "crer para a justiça" significando que a nossa crença na ressurreição é o que nos traz a nossa justiça, permitindo a Deus nos considerar como inocentes de qualquer pecado e, portanto, santos.

A noção de ressurreição corpórea é tão velha quanto a Bíblia. Ela está contida no que é discutívelmente o primeiro livro escrito da Bíblia.

Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra. E depois de consumida a minha pele, contudo ainda em minha carne verei a Deus, Vê-lo-ei, por mim mesmo, e os meus olhos, e não outros o contemplarão; e por isso os meus rins se consomem no meu interior. (Jó 19:25-27)

O Rei Davi sabia que veria seu recém falecido filho pequeno novamente (2 Sam 12:22-23) e tanto Isaías 26:20-21 quanto Daniel 12:2 prometem uma ressurreição corpórea no fim dos tempos.

Os Cristãos primitivos tinham problemas com isso, então Paulo devotou um capítulo inteiro às perguntas Coríntios sobre a ressurreição chegando ao ponto de declarar "se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados" (1 Cor. 15:17). Ainda assim, hoje muitos que se chamam de Cristãos ainda não crêem nisto. Muitos da teologia liberal não requerem crença em uma ressurreição corpórea, e mesmo entre os Evangélicos isso é algo espiritualizado. Sabemos que se cremos na Bíblia nos é exigido crer em uma ressurreição corpórea, mas sabemos porque isso é exigido?

Há Mais do Que os Olhos Podem Ver
João Batista apresentou Jesus como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (João 1:29), não somente os pecados dos Judeus o mesmo daqueles Judeus e Gentios presentes naquele momento, mas os pecados do mundo. Toda violação da lei de Deus que já foi ou que jamais será cometida deveria ser tratada. É claro que isso não queria dizer que o mundo não seria mais um lugar pecaminoso, mas que a pena pelos pecados do mundo seria levada  pelo Cordeiro de Deus. Eis como Ele o fez.

Em crucificações Romanas uma placa era colocada acima da cabeça daquele que estava sendo executado listando as leis infringidas pelas quais sua vida estava sendo tirada. Ela servia como um dissuasivo para os que observavam as execuções públicas. No caso de Jesus, a placa dizia "Jesus de Nazaré, Rei dos Judeus" indicando que seu crime contra Roma era a traição. Em Col 2:13-14 nos é dito que no reino espiritual uma outra placa também estava colocada. Ela listava todos os pecados que a humanidade já havia ou jamais iria cometer. Isso explica porque a Sua vida estava sendo tirada.

E, quando vós estáveis mortos nos pecados, e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-vos todas as ofensas, Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.

Note que diz que Ele perdoou todos os nossos pecados. Não somente os que cometemos antes de sermos salvos, e não somente os que cometemos por acidente. Ele perdoou todos os nossos pecados, até mesmo aqueles que cometemos por vontade própria e repetidamente.

Hebreus 10:14 diz que Jesus ofereceu por todos os tempos um sacrifício pelo pecado e então assentou-se à destra de Deus, porque por aquele único sacrifício Ele nos tronou perfeitos para sempre. Sua morte aconteceu em um dia específico no tempo, mas o seu efeito se aplica através da etensão do tempo para todos os dias de todos os homens.

Mas Jesus na verdade fez muito mais do que carregar a punição devida a nós. 2 Cor. 5:21 diz que Deus àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus. Em outras palavras, enquanto estava na cruz Ele se tornou a personificação física do pecado. Deus não pode habitar na presença do pecado, nem mesmo olhar para ele (Hab. 1:13) e assim teve que se virar, separando a Si mesmo de Seu Filho. Por 3 horas a luz foi retirada do mundo e pela primeira vez em toda a eternidade os dois não eram um só.

Se a punição definitiva pelo pecado é a completa separação de Deus, então Jesus a sofreu. Este foi o único momento em toda a provação que Ele reclamou, exclamando "Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?" (Mat. 27.45-46). Quando morreu, terminada a Sua punição, Ele não mais personificava o pecado e a luz foi restaurada.

Qual É o Ponto?
Depois de Sua ressurreição, Jesus se parecia como outro homem para Seus discípulos. Ele andou com eles, falou com eles, comeu com eles e permitiu que eles O tocassem para se assegurarem que Ele não era somente um espírito, mas um homem com carne e osso (Luc. 24:36-43). A sua ressurreição foi corpórea. Mais tarde Ele subiu ao céu para assentar-Se à destra de Deus o Pai Todo Poderoso.

Agora eis o ponto. Lembre-se, Deus não pode estar na presença de pecado ou mesmo olhar para ele (Hab. 1:13). Jesus tomou sobre Si mesmo todos os pecados da humanidade, passados, presentes e futuros. Se até mesmo um deles fosse deixado sem pagameno por Sua morte, Jesus não poderia estar na presença de Deus e ainda estaria na sepultura (Rom. 6:23). Sua ressurreição é a prova da sua. Se você não pode acreditar que Deus ressuscitou Jesus dos mortos, então você não pode acreditar quetodos os seus pecados estão perdoados e que Ele o ressuscitará.

Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem. Porque assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um homem. Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo. (1 Cor. 15:20-22)

Naquela manhã de domingo em Abril de 32AD, enquanto o sol nascia os sacerdotes no Templo estavam preparando para o festival que sempre começa na manhã depois do primeiro Sábado depois da Páscoa (Pessach). Era as Primícias, significando o começo da colheita de primavera para a Nação de Israel.

E Mary estava indo para o sepulcro com algumas outras mulheres para completar o processo de sepultamento interrompido pelos feriados. Mas a sepultura estava vazia. O Filho havia ressuscitado, as Primícias daqueles que dormem. 

Aquela sepultura vazia era o sinal mais claro que jamais recebemos de que o Senhor havia completado Sua missão. O Cordeiro de Deus havia de fato tirado o pecado de todo o mundo, todo ele.

From that day to this the only qualification for salvation has been to believe in your heart that God raised Jesus from the dead. That's His proof that all the sins of your life have been forgiven, so if you don't believe God raised Jesus from the dead, you can't believe that He'll raise you. Selah 06-21-08

Daquele dia até hoje a única qualificação para a salvação tem sido crer em seu coração que Deus ressuscitou Jesus dos mortos. Esta é a prova de que todos os pecados da sua vida foram perdoados, então se você crê que Deus ressuscitou Jesus dos mortos, você pode crer que Ele ressuscitará você. Selah 21-06-08